Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/16946
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Carcinogênese bucal Efeito da exposição crônica a soluções de etanol sobre o epitélio lingual de camundongos
metadata.dc.creator: França, Danilo Saletti
metadata.dc.contributor.advisor1: Cardoso, Sergio Vitorino
metadata.dc.contributor.referee1: Hiraki, Karen Renata Nakamura
metadata.dc.contributor.referee2: Ribeiro, Rosy Iara Macielde Azambuja
metadata.dc.description.resumo: O câncer oral tem se tornado um problema que atinge várias partes do mudo e está relacionado com vários fatores coadjuvantes. Além disso, pode influenciar diretamente no acometimento dos tumores malignos. Dentre estes fatores, destacam-se o uso do tabaco e o consumo do álcool. O álcool causa agressão à mucosa pelo contato físico, levando a alterações em suas camadas, como a alteração na sua espessura, inclusive no epitélio. Também causa o aumento da permeabilidade epitelial, favorecendo assim a entrada de substâncias carcinógenas. Estudos experimentais em camundongos knockout para o gene da metalotioneína têm mostrado seu papel protetor em quadros de intoxicação alcoólica aguda. Desta forma, a quantidade de metalotioneína nos tecidos em que é encontrada, está diretamente relacionada com o prognóstico para o câncer. O objetivo deste estudo foi avaliar quantitativamente alterações estruturais e a expressão imunohistoquímica de metalotioneína no epitélio lingual de camundongos submetidos à ingestão crônica de álcool. Para isso, foi utilizado um ensaio de três grupos com dez animais cada, a saber: grupo controle (sem etanol), grupo EtOH15% (etanol a 15%) e grupo EtOH40% (etanol a 40%). Os animais foram monitorados durante todo o período experimental, que foi de seis meses. As alterações epiteliais foram avaliadas pela mensuração na sua espessura, onde foi obtida a espessura total deste epitélio. A expressão da metalotioneína foi verificada pela técnica da streptavidinabiotina- peroxidase com anticorpo primário anti-MT (E-9), cujos resultados foram expressos como índice de marcação, obtendo-se o percentual marcado para os três grupos. Os resultados em relação à espessura epitelial mostraram que não houve diferenças significantes entre os três grupos avaliados. A expressão da metalotioneína também não apresentou diferenças significativas entre os grupos estudados. Finalmente, não foi observada correlação significativa entre a expressão de metalotioneína e a espessura epitelial e entre estes e os parâmetros histológicos e imunohistoquímicos. Desta forma, concluiu-se que a alcoolização crônica não favorece o aumento da camada epitelial, nas concentrações estudadas, não favorecendo também alterações na expressão de metalotioneína no epitélio lingual de camundongos.
Keywords: Carcinogênese bucal
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ODONTOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências da Saúde
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Odontologia
Citation: FRANÇA, Danilo Saletti. Carcinogênese bucal Efeito da exposição crônica a soluções de etanol sobre o epitélio lingual de camundongos. 2009. 60 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2009.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/16946
Issue Date: 28-Aug-2009
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Odontologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
d.pdf1.67 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.