Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/16859
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Manifestações bucais da sífilis: estudo retrospectivo
metadata.dc.creator: Guidi, Rafaela
metadata.dc.contributor.advisor1: Durighetto Jr, Antonio Francisco
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Zanetta-Barbosa, Darceny
metadata.dc.contributor.referee1: Ono, Rosana
metadata.dc.contributor.referee2: Perez, Danyel Elias da Cruz
metadata.dc.description.resumo: Tendo em vista o aumento da incidência de sífilis em vários países europeus, norte americanos e na América Latina e uma recente preocupação em relação à transmissão desta doença na prática odontológica observados na literatura, o objetivo deste estudo foi avaliar retrospectivamente os dados sóciodemográficos da sífilis diagnosticada na população atendida no Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU) no período de 1999 a 2006 e verificar nesta mesma população a ocorrência da sífilis e suas manifestações bucais. No período do estudo, 1.229.964 pacientes foram atendidos no HC-UFU, dos quais 637 tiveram o diagnóstico de sífilis cadastrado no setor de Nosologia. Dos 637 prontuários revisados 298 foram incluídos no estudo após avaliação dos dados clínicos e laboratoriais. Dados quanto ao gênero, idade, raça, procedência, manifestação clinica e presença de lesões bucais, foram coletados, organizados e descritos. Os dados em relação à ocorrência da sífilis ao longo do período estudado foram submetidos à análise estatística. Dos casos incluídos, 99 foram sífilis congênita e 199 de sífilis adquirida. Destes últimos, 101 casos ocorreram no gênero masculino. A idade variou de 16 a 81anos, com média de 36,5 anos e picos na terceira, quarta e quinta décadas. A raça branca foi a mais acometida (57%). Dos 199 casos de sífilis adquirida 2,5% foram classificados como sífilis primária, 16,5% secundária, 24,5% latente, 4% terciária, 44% foram considerados tratados e 8,5% não puderam ser classificadas. Infecção por HIV ocorreu em 13,5% dos casos de sífilis adquirida. No período estudado a ocorrência de sífilis foi baixa na amostra estudada (0,024%) e mostrou pouca variação ao longo dos anos com uma queda estatisticamente significante apenas entre 2004 e 2005, não sustentada no ano seguinte. O estudo sugeriu que a alta freqüência de diagnósticos de sífilis congênita pode refletir os esforços direcionados a esse tipo de diagnóstico, devido ao programa de erradicação da sífilis congênita lançado pelo Ministério da Saúde, em 1993. As manifestações bucais estiveram presentes em 5% dos casos de sífilis adquirida e quando excluídos os casos de sífilis latente e tratada onde a doença é assintomática este percentual chegou a 15,8%, dos quais a maioria (60%) apresentou-se na forma de úlcera. Dos pacientes que apresentaram manifestações bucais 4% eram HIV positivos. Considerando-se a raridade da transmissão não sexual da sífilis e a baixa ocorrência da mesma encontrada no presente trabalho sugere-se que o risco de transmissão da doença na prática odontológica é baixo na amostra estudada.
Abstract: The aim of this study was to assess the occurrence of syphilis and its oral manifestations in patients attended in a teaching hospital of a medical school in Uberlândia, Brazil, between 1999 and 2006, in view of its recent resurgence related in Europe, Unites States and Latin America and the current worry about spreading during the practice of dentistry. At the period of this study, 1,229,964 patients were attended at the teaching hospital witch 298 has confirmed diagnosis of syphilis in all clinical forms, by clinical and laboratorial findings. We have collected epidemiological data including gender, age, race, origin, stage of occurrence and oral manifestations. Data was subjected to descriptive and statistical evaluation. Results demonstrate that of the 289 syphilis cases, 99 was congenital syphilis and 199 acquired syphilis. Of these 199 cases, 101 were male and the mean age was 36,5 years (range, 16-81 years). The majority of cases were white (57%). Acquired syphilis showed 5 cases as primary syphilis (2,5%), 33 cases as secondary(16,5%), 49 cases as latent (25%), 8 cases as tertiary (4%) and 87 cases as treated(44%). Among these cases, 5% presented with oral manifestations and 13,5% of cases were HIV positive. The occurrence of syphilis, in the studied population was only 0,024% and variation was statistically significant between 2004 and 2005, in which a decrease was noted. The percentual of oral manifestations when cases of latent and treated syphilis (asymptomatic disease) was excluded, achieved 15,8%. The high prevalence of congenital syphilis can reflect the diagnosis efforts, since the implantation of congenital syphilis eradication program by the Brazilian Health Department. Considering the rarity of nonsexual transmission of syphilis and the low percentual of cases in our sample, we believe that contagion and dissemination risk during the practice of dentistry is low in studied population.
Keywords: Sífilis
Manifestações orais
Epidemiologia
Doenças sexualmente transmissíveis
Syphilis
Oral manifestations
Epidemiology
Sexual transmissible disease
Boca - Sífilis
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ODONTOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências da Saúde
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Odontologia
Citation: GUIDI, Rafaela. Manifestações bucais da sífilis: estudo retrospectivo. 2007. 86 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2007.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/16859
Issue Date: 24-Aug-2007
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Odontologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Rafaela.pdf401.24 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.