Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/16683
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Sepse precoce de origem materna em uma unidade de terapia intensiva neonatal no Brasil: critérios diagnósticos, fatores de risco e evolução clínica
metadata.dc.creator: Barbosa, Nayara Gonçalves
metadata.dc.contributor.advisor1: Gontijo Filho, Paulo Pinto
metadata.dc.contributor.referee1: Abdallah, Vânia Olivetti Steffen
metadata.dc.contributor.referee2: Mussi-pinhata, Marisa Márcia
metadata.dc.description.resumo: A sepse neonatal é a principal causa de morbidade e mortalidade neonatal, sobretudo em países em desenvolvimento, onde há evidências de uma maior proporção de infecções de origem materna. O objetivo do estudo foi avaliar a incidência de sepse precoce baseado em critérios clínicos e/ou microbiológicos, fatores de risco e evolução em um hospital universitário do Brasil. Estudo retrospectivo modelo caso (neonatos com sepse), controle (não infectados), de vigilância através de consultas de prontuários das mães e recém-nascidos. Os pacientes foram internados na UTIN nível II/III, do Hospital de Clínicas de Uberlândia (HC-U), no período de janeiro de 2010 a dezembro de 2011 e foram acompanhados até receberem alta hospitalar. A taxa de incidência de sepse precoce foi extremamente alta de 110,91 casos por 1.000 nascidos vivos, predominantemente de origem materna (91,93%). Este índice representou 37,8% dos casos de sepse na unidade, com uma mortalidade hospitalar de 38,7%, a maioria (75,0%) na primeira semana de vida. O diagnóstico foi baseado principalmente (93,5%) por critérios clínicos, sendo identificado apenas um caso com EGB (1,78 casos por 1000 nascidos vivos); além do mais, a colonização das gestantes era desconhecida em 56,4%. Os fatores de risco independentemente associados foram: parto vaginal, <3 consultas pré-natais. Em síntese, a sepse de origem materna foi parte expressiva nos casos de sepse neonatal hospitalar, deste modo, as medidas relativas a melhorias no cuidado pré-natal, educação em saúde, diagnóstico, tratamento de infecções na gestante, condições assépticas e atendimento especializado durante o parto e continuidade de cuidados à saúde materna e neonatal, se fazem necessárias para diminuir a morbidade e mortalidade neonatal, sobretudo em países com recursos humanos e financeiros limitados, como o Brasil.
Abstract: Neonatal sepsis is the leading cause of morbidity and mortality mainly in developing countries, in which major proportion are maternally acquired. The purpose of this study was to investigate the incidence of early-onset sepsis (EOS) based on clinical and/or microbiological criteria, risk factors and outcome in a tertiary center in a Brazilian university hospital. We conducted a retrospectively study, case (infected) and control (no infected) model through consulting the medical chart records from mothers and newborn. Neonates admitted to the neonatal intensive care unit (NICU) and born at the University Hospital between January 2010 and December 2011were enrolled in our analysis and followed until discharge. We detected a high EOS incidence rate accounted for 110.91 cases per 1,000 live births and mainly of probable maternal origin (91.93%). This rate represented 37.80% of all sepsis occurred in NICU, with 38.7% of mortality, most of all within first week of life (75.9%). The majority of EOS diagnosis was based on clinical criteria (93.5%) in which in only one case was identified GBS; moreover, mothers colonization was unknown in 56.4% of cases. The risk factor associated to EOS identified at the present study was: vaginal delivery and 1-3 consults antenatal care. Thus, early-onset sepsis represents a greater contribution to the incidence of neonatal sepsis and represents a major burden in neonatal health assistance. We believe that simples and efficient efforts concerning several pre-natal practices and improving laboratorial diagnostics of maternal infections may have a greater impact in reducing neonatal mortality in developing countries like Brazil.
Keywords: Sepse neonatal precoce
Fatores de risco
Prognóstico
Early onset neonatal sepsis
Risk factors
Outcome
Microbiologia
Septicemia
Infecção hospitalar
Recém-nascidos
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::IMUNOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências Biológicas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Imunologia e Parasitologia Aplicadas
Citation: BARBOSA, Nayara Gonçalves. Sepse precoce de origem materna em uma unidade de terapia intensiva neonatal no Brasil: critérios diagnósticos, fatores de risco e evolução clínica. 2012. 50 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2012.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/16683
Issue Date: 23-Aug-2012
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Imunologia e Parasitologia Aplicadas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
d.pdf1.23 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.