Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/16307
Document type: Tese
Access type: Acesso Aberto
Title: Direito à memória: modos de viver e morar em Uberlândia entre as décadas de 1960 e 1980
Author: Silva Júnior, Renato Jales
First Advisor: Almeida, Paulo Roberto de
First member of the Committee: Morais, Sérgio Paulo
Second member of the Committee: Petuba, Rosângela Maria Silva
Third member of the Committee: Inácio, Paulo Cesar
Fourth member of the Committee: Barbosa, Túlio
Summary: Esta tese trata da cidade de Uberlândia produzida e construída nos diferentes registros de memória. No diálogo com moradores desta cidade, especialmente do bairro Presidente Roosevelt, problematizo a construção de memórias patrimonializadas pelo poder público e/ou reconstruídas pela imprensa nas primeiras décadas do século XXI. Analisei os lugares e modos de morar nesta cidade e, ao final, privilegiei um deles, o bairro Presidente Roosevelt. Dessa forma, questiono algumas noções comuns sobre moradia como a de ―popular‖ e a de ―pobres‖ que carregavam conotações políticas e impunha aos seus moradores modos de viver para serem aceitos à cidade pensada por grupos dominantes. A pesquisa realizada com os sujeitos que, por diferentes meios ajudaram na construção física e simbólica dos lugares, foi importante para questionar determinados supostos que elegeram o poder público e as empresas imobiliárias como protagonistas na cena urbana e desconsideraram o poder de intervenção dos moradores. Por fim, as narrativas orais elaboradas para a tese colocaram como elemento de disputa na/pela cidade o direito à memória. Ao redesenhar os lugares sociais a partir dos seus valores os moradores do bairro Presidente Roosevelt colocaram outras memórias em evidência e possibilitaram a produção de uma história distinta daquela imposta pelas políticas patrimoniais e divulgadas pela imprensa.
Abstract: This dissertation is about the city of Uberlândia produced and built in different historical memory registers. From different records of residents of this city, especially the neighborhood of President Roosevelt problematized property building memories rebuilt by the government or by the press in the first decades of the twenty-first century. Followed by workers who live and places I chose one of these: the neighborhood of President Roosevelt. To problematize some notions such as social housing and poor carried a political connotation which required residents to these places and ways of life to be accepted to the dominant city. I Problematize also questioned the idea that sometimes accepts the social spaces of Uberlândia City were built by the partnership-estate and overlook the empowerment of residents. Oral narratives were important to redesign social places and question certain memories that these subjects withdrew from the active role of city builders. The dialogue with the subjects were also fundamental to the interpretation of the sources produced by the press and understand the attempt to establish certain way about living in the city and how these change over the pressure of social subjects.
Keywords: Cidade
Memória
Lugares sociais
Pertencimento
City
Memory
Social places
Belonging
Memória - Uberlândia (MG) - História 1960-1980
Uberlândia (MG) - História 1960-1980
Area (s) of CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::HISTORIA
Language: por
Country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
Institution Acronym: UFU
Department: Ciências Humanas
Program: Programa de Pós-graduação em História
Quote: SILVA JÚNIOR, Renato Jales. Direito à memória: modos de viver e morar em Uberlândia entre as décadas de 1960 e 1980. 2013. 204 f. Tese (Doutorado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2013.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/16307
Date of defense: 29-Aug-2013
Appears in Collections:TESE - História

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DireitoMemoriaModos.pdf3.88 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.