Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/15799
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Implicações do gene TP53 do vírus do papiloma humano no câncer da próstata
metadata.dc.creator: Saraiva, Ana Cândida Machado
metadata.dc.contributor.advisor1: Goulart Filho, Luiz Ricardo
metadata.dc.contributor.referee1: Bonetti, Ana Maria
metadata.dc.contributor.referee2: Stanziola, Leonilda
metadata.dc.description.resumo: A glândula próstata pode ser acometida por várias patologias. Dentre elas o câncer de próstata é a 4a causa de morte em homens com idade superior a 50 anos. Apesar da etiologia desta doença não ser bem compreendida, as alterações genéticas e a presença de agentes infecciosos têm sido sugeridas como associadas ao desenvolvimento desse câncer. Uma das alterações genéticas mais freqüentes nos cânceres são as relacionadas ao gene supressor de tumor TP53, responsável pelo controle do ciclo celular e apoptose. No início da década de 90, vários trabalhos também surgiram na tentativa de estabelecer relação entre a infecção pelo vírus do papiloma humano (HPV) e o câncer de próstata. Dentro deste contexto, este trabalho teve como objetivos avaliar a prevalência do HPV, analisar o polimorfismo Arg72Pro, associar este polimorfismo à presença do HPV e rastrear por mutações nos exons de 5 a 8 do gene TP53 em pacientes apresentando câncer de próstata. Foram analisados 36 tecidos prostáticos sendo estes provenientes de adenocarcinoma, HPB e NIP e sangues periféricos de alguns desses pacientes bem como de um grupo de homens escolhidos aleatoriamente na população. As técnicas utilizadas para detecção e tipagem do HPV foram a PCR e a PCR nested. Já para a análise do polimorfismo Arg72Pro e para o rastreamento de mutações foram utilizadas as técnicas de PCR e LIS-SSCP. Não houve diferenças das freqüências do polimorfismo Arg72Pro entre os tecidos com HPB e CaP (p=0,36; intervalo de confiança 95%). As freqüências obtidas nos sangues de alguns dos pacientes com patologias prostáticas também não diferiram significativamente, sendo que o grupo com HPB não diferiu do grupo CaP (p=0,72; xvi intervalo de confiança 95%), nem este da freqüência encontrada na população (p=0,08; intervalo de confiança 95%). Foram detectadas perda de heterozigose (LOH) em 9 (34,61%) pacientes que perderam o alelo Pro, ficando Arg/Arg. Desses indivíduos 5 (35,71%) pertenciam ao grupo do câncer, 3 (37,5%) ao grupo das HPBs e 1 (25%) ao grupo das NIPs. Dentre os 36 pacientes analisados para a infecção pelo HPV, por meio da PCR e PCRnested, apenas 2 (5,55%) apresentaram positividade para HPV do tipo 16 e 39. O Teste t, com nível de significância de 5%, mostrou não haver diferenças significativas para a presença do HPV entre as amostras obtidas por RTU e prostatectomia radical, nem entre os tecidos malignos e benignos analisados. Os pacientes positivos para a infecção do HPV apresentaram o genótipo homozigoto para arginina, entretanto, a baixa prevalência desta infecção não possibilitou associá-la ao polimorfismo Arg72Pro. Foi detectado um perfil eletroforético diferencial no exon 6 em um paciente com câncer de próstata. Desta forma, a baixa prevalência da infecção pelo HPV, a não associação desta com o polimorfismo Arg72Pro bem como a rara freqüência de mutações nos exons analisados sugere que estes não seriam mecanismos essenciais para desenvolvimento do câncer de próstata. Entretanto, o evento de LOH pode estar associado à progressão ou desenvolvimento deste tumor, sendo um evento precoce ou intermediário, porém não obrigatório. Estudos mais detalhados e ampliados devem ser realizados para compreender melhor os processos fisiológicos, que resultam da associação genótipo ambiente, nesta afecção.
Abstract: The prostate gland can be assaulted by many pathologies. Among them the prostate cancer is the 2nd death cause on men older than 50 years old. Although the etiology of this disease is not well comprehended, the genetic alterations and the presence of infectious agents have been suggested as associated to the development of this cancer. One of the most frequent genetic alterations on the cancers are the ones related to the tumor suppressor gene TP53, responsible for the cell cycle control and apoptosys. In the beginning of the 90s, many works also arose on the attempt to establish a relationship between the human papilloma virus (HPV) infection and the prostate cancer. Within this context, this work had as objectives, to evaluate the HPV prevalence, to analyze the Arg72 Pro polymorphism, to associate this polymorphism to the HPV presence and to track for mutations n the exons 5 to 8 of the PT53 gene in patients presenting prostate cancer. 36 prostatic tissues were analyzed, seeing that these proceeding were from adenocarcinomas, BPH and PIN and peripheral blood of some of these patients, as well as of a group of men randomly chosen on the population. The techniques used for the HPV detection and typing were the PCR and nested PCR. For the Arg72Pro polymorphism analysis and for the tracking of mutations, the PCR and LIS-SSCP techniques were used. There were no differences on the frequencies of the Arg72Pro polymorphism between the BPH and PCa tissues (p=0,36; 95% reliance interval). The frequencies obtained on the blood of some patients with prostatic pathologies also did not differed significantly, whereas the BPH group did not differ from the PCa group (p=0,72, xviii 95% reliance interval), nor this from the frequency found on the population (p=0,08, 95% reliance interval). It was detected Loss of Heterozigosity (LOH) in 9 (34,61%) patients that lost the Pro allele, becoming Arg/Arg. Among these individuals, 5 (35,71%) belonged to the cancer group, 3 (37,5%) to the BPHs and 1 (25%) to the PINs. Among the 36 analyzed patients for the HPV infection, by means of PCR and nested PCR, only 2 (5,55%) presented positivity for HPV types 16 and 39. The t Test, showed that there were no significant differences for the HPV presence among the samples obtained by TUR and radical prostatectomy, nor among the malignant and benignant analyzed tissues. The positive patients for the HPV infection presented an homozygous genotype for arginine, however, the low prevalence of this infection did not allow an association to the Arg 72Pro polymorphism. A possible mutation was detected on the exon 6 in one patient with prostate cancer. In this manner, the low prevalence of the HPV infection, and the nonassociation of this with the Arg72Pro polymorphism as well as the rare frequency of mutations on the analyzed exons suggest that these would not be the essential mechanisms for the prostate cancer development. However, the LOH event could be associated to the progression or development of this tumor, being a precocious or intermediate event, yet not obligatory. More detailed and amplified studies should be done to clear these results, searching for directions to better comprehend the physiological procedures, which result on the genotype-environment association, on this affection.
Keywords: Câncer de próstata
Papilomavírus humano
TP53
Vírus do papiloma
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::GENETICA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências Biológicas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Genética e Bioquímica
Citation: SARAIVA, Ana Cândida Machado. Implicações do gene TP53 do vírus do papiloma humano no câncer da próstata. 2002. 144 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2002.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/15799
Issue Date: 16-Oct-2002
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Genética e Bioquímica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ACMSaraivaDISSPRT.pdf856.02 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.