Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/15475
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorBorges, Érika Gonçalves-
dc.date.accessioned2016-06-22T18:42:33Z-
dc.date.available2015-12-30-
dc.date.available2016-06-22T18:42:33Z-
dc.date.issued2015-07-21-
dc.identifier.citationBORGES, érika Gonçalves. Política linguística e o ensino do português como língua estrangeira (PLE): uma investigação sob a perspectiva da pragmática. 2015. 188 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Letras e Artes) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2015.por
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufu.br/handle/123456789/15475-
dc.description.abstractThe aim of this work was to investigate the language politics adopted in Brazil, concerning the teaching of Portuguese as a Foreign Language (PFL), and discuss its effects on the reception of international exchange students in undergraduate and graduate courses, at a Federal University in Minas Gerais. A documentary and a field research of qualitative nature was carried out in order to investigate the politics of representation regarding the PFL and the processes of identification of foreign students with the referred language, as well as the possible impacts that a \"shy\" PFL teaching policy may have in relation to the identification processes of foreign students with the portuguese language. Data was gathered through questionnaires and interviews with students, teachers and the coordinator of a portuguese course held during two semesters at the referred university. The hypothesis that guided our research was partly confirmed, at least in regards to the institution investigated. We noted that the lack of a clearly established policy for the PFL teaching seemed to make it difficult for foreign students to develop an identification process with the portuguese language. Data also showed that, due to the new status of the English language in the world, Brazil s current language politics has taken the language as an intermediary tool for the reception of foreign students and, consequently, there has not been a clearly established policy for PFL teaching.eng
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Uberlândiapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectPolítica linguísticapor
dc.subjectPortuguês como língua estrangeirapor
dc.subjectPolítica de representaçãopor
dc.subjectLanguage politicseng
dc.subjectPortuguese as a foreign languageeng
dc.subjectPolitics of representationeng
dc.subjectLíngua portuguesa - Estudo e ensinopor
dc.subjectLíngua portuguesa - Estudo e ensino - Falantes estrangeirospor
dc.titlePolítica linguística e o ensino do português como língua estrangeira (PLE): uma investigação sob a perspectiva da pragmáticapor
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Freitas, Alice Cunha de-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4791984E7por
dc.contributor.referee1Bertoldo, Ernesto Sérgio-
dc.contributor.referee1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4727397A0por
dc.contributor.referee2Borges, Maria Isabel-
dc.contributor.referee2Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4702105H5por
dc.creator.Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4239166H6por
dc.description.degreenameMestre em Estudos Linguísticospor
dc.description.resumoO objetivo geral deste trabalho é investigar as políticas linguísticas adotadas no Brasil, no que se refere ao ensino de Português como Língua Estrangeira (PLE), e discutir seus efeitos na recepção dos estudantes estrangeiros intercambistas, nos cursos de graduação e de pósgraduação, de uma universidade federal de Minas Gerais. Para tanto, realizamos uma pesquisa documental e uma de campo, de natureza qualitativa, discutindo os dados amparados no arcabouço teórico da Linguística Crítica e da Pragmática. Na pesquisa documental, buscamos por documentos sobre o ensino de PLE implantados pelo governo federal e, na pesquisa de campo, consultamos, por meio de entrevistas e de questionários abertos, os estudantes, professores e coordenadores de um curso de PLE oferecido pela instituição pesquisada. Refletimos, nesse trabalho, sobre as políticas de representação concernentes ao PLE e sobre os processos de identificação com essa língua, bem como sobre os possíveis impactos que uma política \"tímida\" de ensino de PLE pode ter em relação aos processos de identificação dos estrangeiros com a língua portuguesa. A hipótese que norteou nossa investigação pareceu se confirmar parcialmente, porque, pelo menos no que tange à instituição investigada, notamos que a falta de uma política claramente estabelecida para o ensino de PLE pareceu dificultar que os estudantes estrangeiros tivessem a chance de desenvolver processos de identificação com a língua portuguesa. Os dados mostraram que, em razão do novo status da língua inglesa diante do mundo (World English, tal como defendido por Rajagopalan, 2012), a atual política linguística brasileira tem tomado esse idioma como a língua de intermediação para o acolhimento de estudantes estrangeiros, e consequentemente, não tem havido uma política claramente estabelecida para o ensino de PLE.por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Estudos Linguísticospor
dc.subject.cnpqCNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICApor
dc.publisher.departmentLinguística Letras e Artespor
dc.publisher.initialsUFUpor
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Estudos Linguísticos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PoliticaLinguisticaEnsino.pdf7.05 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.