Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/14000
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Encontros e desencontros entre personagens em um museu de ciências: entre o realizado e o possível
metadata.dc.creator: Reis, Flávia Machado dos
metadata.dc.contributor.advisor1: Takahashi, Eduardo Kojy
metadata.dc.contributor.referee1: Bossler, Ana Paula
metadata.dc.contributor.referee2: Guido, Lúcia de Fátima Estevinho
metadata.dc.description.resumo: Os museus e centros de Ciências são considerados espaços não formais de educação, pois nestes locais podem acontecer ações educativas que se diferenciam das atividades que geralmente são desenvolvidas na escola. Os docentes que se dispõem a levar seus alunos a um espaço como esses contribuem, não só para a aquisição de conhecimentos relacionados à Ciência, mas também para a formação e ampliação cultural dos seus alunos. Entretanto, poucas investigações têm analisado o papel do professor na elaboração e acompanhamento da visita ao museu, assim como as relações entre o museu e a escola. Neste sentido, o trabalho proposto teve como objetivo geral compreender as relações que existem entre professores de ciências e a equipe educativa do Museu de Biodiversidade do Cerrado (MBC) no que se refere às visitas monitoradas de estudantes da Educação Básica. Realizaram-se estudos de caso com dois professores de ciências da rede estadual de educação de Uberlândia que visitaram o MBC com seus alunos. Foram feitas observações in loco no MBC e nas escolas antes e depois da visita e, após a visita, foram realizadas entrevistas semi estruturadas e aplicados questionários para a coleta de dados. Também realizamos entrevistas com os mediadores e com as coordenadoras da exposição didática do local. Os dados foram analisados segundo a proposta teórico-metodológica da análise de conteúdo. Em relação às expectativas da equipe educativa do museu em relação às visitas escolares é que: tanto alunos, como professores, interajam com os recursos disponíveis no museu, que a visita seja um momento de aquisição e de ampliação de informações e de cultura, mas que sejam os professores os responsáveis pedagógicos pela organização e condução da visita. As coordenadoras também esperam que os docentes que visitam o local com seus alunos se apropriem do museu. Os professores de ciências indicam que obtêm informações sobre o MBC por meio de visitas anteriores e através de convites; em relação à organização e o planejamento da visita, os docentes se preocupam com os aspectos logísticos; a preparação dos alunos em sala de aula consiste em informá-los sobre as datas e horários da visita e comportamentos que devem assumir no local. Os motivos e interesses dos professores ao visitar o museu estão ligados aos conteúdos de ciências que podem ser visualizados no museu e com a possibilidade do aluno aprender mais sobre o assunto. No entanto, no momento da visita os professores deixam a cargo dos mediadores toda a condução das atividades no Museu. No retorno à escola, o professor se ateve a verificar as respostas do questionário avaliativo proposto para a atividade, mas a outra professora não realizou nenhuma atividade de desdobramento. Para os docentes, a função/papel educativo do MBC é possibilitar aos alunos interação com os objetos, concepções também apresentadas pelos mediadores. Os professores ainda concebem o museu como um espaço de aprendizagem, onde é possível trabalhar conceitos científicos, dinamizar as aulas de Ciências, atrair a atenção dos alunos, comprovar o conteúdo de Ciências e vivenciar a experiência. Os mediadores ainda atribuem ao potencial educativo do museu: a possibilidade de aliar teoria e prática, de viver a experiência (ver), de promover maior aproximação com os estudantes, de contribuir com o conhecimento científico da população e de servir de fonte para ampliar a cultura científica. Tanto professores quanto mediadores percebem que ainda falta interação entre o museu e as escolas. Por fim, destacamos que os professores participantes dessa pesquisa não se apropriam do planejamento da visita ao MBC e a apropriação do espaço museal e de suas atividades acontecem como formas de lazer, de diversão e não como um espaço que pode ampliar a prática pedagógica do docente e sua própria formação.
Abstract: Museums and Sciences Centers are considered non-formal spaces of education because in these places may occur educational actions that are difference from the activities that are generally developed in school. Teachers, who are willing to take their students to these spaces, contribute not only to the acquisition of knowledge related to the science, but also to the cultural formation and development of their students. However, few studies have analyzed the role of a teacher in the preparation and monitoring of the visit to the museum, as well as the relations between the museum and the school. In this sense, the proposed workhad as a general objective to comprehend the relationsthat there are between science teachers and the educational group of The Cerrado Biodiversity Museum (MBC) as regard to the monitored visits of the students of Basic Education. The studies of cases were done with two sciences teachers from the public state system education in Uberlândia who visited the MBC with their students. The observations were made in the MBC and in the schools before and after the visits, and after the visits semi structured interviews and questionnaires have been applied in order to collect data. We also conducted interviews with the mediators and the coordinators of the educationalexhibition site. The data were analyzed according to the methodological and theoretical proposal of content analysis. The expectations of the educational museum staff in relation to school visits are that: both students and teachers interact with the resources available in the museum and the visit should be a moment of acquisition and expansion of information and culture, but the teachers must be pedagogical responsible for the organization and leading the visit. The coordinators also hope that the teachers who visit the site with their students take ownership of the museum. The sciences teachers indicatethat they obtain information about the MBC through the previous visits and through invitations; and regarding to the organization and planning of the visit, the teachers concern with the logistic aspects that are the preparation of the students in classroom giving them information about dates and schedules of visits and, mainly, how they do behavior in the museum. The motives and interests of the teachers to visit the museum are connectedto the contents of science that can be visualized in the museum and the possibility of the student to learn more about it. However, at the moment of the visit teachers leave to the mediators all the concerning about how to deal with the activities during the visit in the museum. Returning to school, one teacher only verify the answers from the evaluative questionnaire proposed for the activity, and the other teacher did not make any different activity in order to deployment the visit. To the teachers, the educational function/role of the MBC is to enable students to interact with the objects and views/concepts also presented by the mediators. The teachers still conceive the museum as a space of learning, where is possible to work scientific concepts, boost sciences class, attract the attention of the student, "prove" the sciences content and live experience. The mediators still assign to the educational potential of the museum the possibility to ally theory and practice, to live and see the experience, to promote closer ties with students, to contribute to the scientific knowledge of the population, and to be a source to enlarge the scientific culture. Both teachers and the mediators realize that there is still lacking of interaction between the museum and schools. Lastly, we emphasize that the participating teachers of this research do not appropriate from the visit planning to the MBC, and the ownership of the museum space and its activities occurred as leisure and internment time and ithas not seen as a space of can be enlarge the pedagogical practice of the teachers to their own training.
Keywords: Universidade Federal de Uberlândia - Museu de biodiversidade do cerrado
Museus de ciência - aspectos educacionais - Uberlândia (MG)
Professores de Ciências
Museu de biodiversidade do cerrado
Apropriação do planejamento
Apropriação do espaço museal
Mediadores
Sciences teachers
Cerrado biodiversity museum
Appropriation of planning
Appropriation of the museum space
Mediators
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências Humanas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Educação
Citation: REIS, Flávia Machado dos. Encontros e desencontros entre personagens em um museu de ciências: entre o realizado e o possível. 2015. 324 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2015.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/14000
Issue Date: 31-Mar-2015
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Educação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
EncontrosDesencontrosPersonagens.pdf7.01 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.