Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/13663
Document type: Tese
Access type: Acesso Aberto
Title: Juventude, trabalho e educação superior: a geração y em análise
Author: Borges, Bento Souza
First Advisor: França, Robson Luiz de
First member of the Committee: Batista, Gustavo Araújo
Second member of the Committee: Lucena, Carlos Alberto
Third member of the Committee: Santos, Adriana Cristina Omena dos
Fourth member of the Committee: Davi, Tânia Nunes
Summary: Hoje, no Brasil, é cada vez mais comum o ingresso de jovens, cada vez mais novos, no Ensino Superior.Esses jovens trazem consigo uma série de características bastante peculiares, que as gerações anteriores não possuíam,causadas, em parte, pela Revolução tecnológica ocorrida a partir da década de 1970. Eles se desenvolveram em uma época de grandes avanços tecnológicos e de prosperidade econômica. Essa geração, denominada Geração Y, convive diariamente com pessoas de outras gerações no mercado de trabalho e na escola que, maioria das vezes, não tiveram ou não têm a mesma intimidade tecnológica e não desenvolveram os mesmos hábitos dela. São jovens que cresceram vivendo em ação, estimulados por atividades, fazendo tarefas múltiplas. Os estudos que abordam temas relacionados à questão geracional e, especificamente, sobre a Geração Y,ainda apresentam algumas controvérsias como, por exemplo, o ano de nascimento para alguns, a partir de 1977; para outros, a partir de 1985 até seu comportamento uns descrevem-nos como bem comportados, trabalhadores em equipe e moralistas e outros,como egocêntricos, superficiais e rebeldes. Alguns autores tratam esses jovens denativos digitais e as pessoas de outras gerações anteriores demigrantes digitais. Diante de tantas mudanças no perfil desses jovens, é natural que o ambiente escolar passe por modificações para se adequar a essa nova era, a esse novo aluno e novo trabalhador. Considerando que esses jovens são, ao mesmo tempo,frutosdesse tempo tecnológico e agentes ativos desse processo de mudança, entendemos que tanto o ambiente escolar quanto o trabalho desenvolvidopelo professor está passando por transformações profundas para atender a um público com características tão distintas. Assim sendo, este texto tem como objetivo ampliar o debate sobre a Geração Ye analisar as influências da Revolução Tecnológica ocorridaa partir dos anos 1970 para esses jovens nas relações de trabalho e, sobretudo, no ambiente escolar e no trabalho docente. Para isso, buscou-se embasamento em algumas teorias do trabalho, em estudos sobre juventude e gerações, em estudos da área da Administração e em alguns teóricos da área da Educação Superior, sempre considerando aspectos filosóficos, sociológicos e didáticos para a análise dessa geração. Por meio de uma pesquisa bibliográfica, o que percebemos é que as mudanças ocorridas no mundo em função da evolução tecnológica e da globalização influenciaram em muito as características, os ideais e o comportamento dos jovens e isso se reflete diretamente na escola. O professor precisa conhecer como essa nova geração pensa e age e,depois,buscar novaspráticas de ensino que estejam em consonância com esse público. O que não podemos deixar de entender é que as mudanças trazidas pela chegada da Geração Ynão são passageiras. À medida que mais e mais jovens chegam à idade escolar e,posteriormente,ao mercado de trabalho e assumem cargos de liderança, as escolas e empresas precisarão adaptar-sea essa geração vibrante, conectada e inquieta.
Abstract: Nowadays, it is increasingly common the inflow of youngsters of a very low age into college education in Brazil. These young people bring with them a number of very peculiar characteristics which previous generations did not have, caused in part by the technological revolution starting in the 1970s. They grew up at a time of great technological advancement and economic prosperity. This new Generation, known as Generation Y, leads an everyday life with people from other generations in the workplace and at school. Most of the time, the previous generations did not have or still do not have the same technological intimacy and did not develop the same habits of Generation Y, that grew up among hectic action, being stimulated by various activities and performing multiple tasks. The studies which approach issues related to generational matter and specifically Generation Y does have some controversies such as the starting point, for some, since 1977, for others since 1985. As to Generation Y behavior, some describe them as well-behaved, team workers and ethicists and others as self-centered, superficial and rebels. Some authors refer to these youngsters as digital natives, and to people of other previous generations as digital migrants. With so many changes in the profile of these young people, it is natural that the school environment has to undergo some modifications to adapt to this new era: new student and new worker. Considering that these young people are at the same time fruit of this technological time and active agents of this process of change, we understand that both the school environment and the work carried out by the teacher is undergoing profound transformations to meet the needs of a new public with such distinctive features. Thus, this paper aims to broaden the debate about Generation Y and assess the influences of the Technological Revolution occurred on these young people in labor relations, and especially in the school environment and on the teaching work. To achieve that, we sought some grounding in theories of work and in studies on youth and generations and management, and some theorists in the area of college education, always taking into account the philosophical, sociological and educational aspects to analyze this Generation. Through a bibliographic research, we realized that changes in the world regarding technological developments and globalization have influenced much the character, ideals and behavior of the young people and this is directly reflected in school. The teacher needs to know how this new Generation thinks and acts, and then seek new teaching practices that are consistent with this audience. What we cannot fail to understand is that the changes brought about by the arrival of Generation Y are not passing. As more and more young people come to school age and later to the labor market and assume leadership positions, the schools and enterprises need to adapt themselves to this vibrantly connected and restless Generation.
Keywords: Gerações
Geração Y
Educação
Trabalho docente
Generations
Generation Y
Education
Teaching work
Ensino superior
Docentes - Identidades e saberes
Area (s) of CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
Language: por
Country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
Institution Acronym: UFU
Department: Ciências Humanas
Program: Programa de Pós-graduação em Educação
Quote: BORGES, Bento Souza. Juventude, trabalho e educação superior: a geração y em análise. 2014. 154 f. Tese (Doutorado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2014.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/13663
Date of defense: 14-Jan-2014
Appears in Collections:TESE - Educação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
JuventudeTrabalhoEducacao.pdf2.04 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.