Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/13466
metadata.dc.type: Tese
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Territorialidade e indicação geográfica : estudo dos territórios do Vale dos Vinhedos (BRA) e Montilla-Moriles (ESP)
metadata.dc.creator: Jeziorny, Daniel Lemos
metadata.dc.contributor.advisor1: Ortega, Antonio César
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Estrada, Eduardo Moyano
metadata.dc.contributor.referee1: Almeida Filho, Niemeyer
metadata.dc.contributor.referee2: Corazza, Gentil
metadata.dc.contributor.referee3: Martins, Humberto Eduardo de Paula
metadata.dc.contributor.referee4: Schmidt, Carlos
metadata.dc.description.resumo: Esta tese se sustenta em dois pilares: o tema das indicações geográficas (IGs) e a perspectiva territorial do desenvolvimento. A partir de um estudo comparado entre territórios no Brasil e na Espanha, lançamos mão da perspectiva territorial do desenvolvimento para avaliar as possibilidades das indicações geográficas em contribuir para o desenvolvimento rural, respondendo algumas perguntas. Quais a potencialidades das indicações geográficas para canalizar a inovação em territórios rurais e auxiliar os produtores associados a encaminhar processos de desenvolvimento territorial? O grau de difusão das IGs em um país interfere nos seus efeitos sobre o território em que se aplica? O tamanho do espaço geográfico do território é importante? A especificidade do produto conta? Enfim, quais os limites e possibilidades para as indicações geográficas funcionarem como instrumentos que canalizem processos de desenvolvimento territorial, dado que os territórios em que se aplicam não são construções sociais homogêneas? Afinal, como podemos entender, objetivamente, o desenvolvimento territorial? Assim, ao mesmo tempo em lançamos mão de uma perspectiva multidisciplinar, enfocando o pensamento de economistas, geógrafos e cientistas sociais na perspectiva territorial do desenvolvimento, procuramos encontrar um lugar para as indicações geográficas na seara da literatura econômica. Além disso, procuramos construir uma ideia puramente objetiva de desenvolvimento territorial com a qual possamos identificar alguns resultados destas estratégias nos processos de apropriação capitalista de espaços rurais. Por hipótese básica, temos que a simples organização de uma indicação geográfica em determinado território vitivinícola não garante, aprioristicamente, nenhum tipo de efeito, que não seja o de fazer com que um grupo de produtores associados detenha o controle sobre a quantidade de matéria prima produzida dentro de um determinado recorte espacial, bem como da técnica aplicada sobre essa matéria prima, para gerar um produto com características específicas determinadas coletivamente.
Abstract: This thesis is based on two pillars: the issue of geographical indications (GIs) and the territorial approach to development. From a comparative study between territories in Brazil and Spain, we used the territorial development perspective to assess the possibilities of geographical indications to contribute to rural development, answering some questions. Which the potential of geographical indications to channel innovation in rural areas and help producers associated with forward territorial development processes? The widespread of GIs in a country interferes in their effects on the territory as it applies? The size of the geographical territory of space is important? The specificity of the product account? Finally, the limits and possibilities for geographical indications act as instruments to channel territorial development processes, since the territories in which they apply are not homogeneous social constructions? After all, how can we understand objectively the territorial development? So, while we employ a multidisciplinary perspective, focusing on the thinking of economists, geographers and social scientists in the territorial approach to development, we seek to find a place for geographical indications in the harvest of the economic literature. In addition, we seek to build a purely objective view of territorial development with which we can identify some results of these strategies in capitalist appropriation processes of rural areas. For basic hypothesis, we have the simple organization of a geographical indication in a given territory wine does not guarantee, a priori, any effect, other than to make a group of associated producers holds control over the amount of raw material produced within a certain spatial area, as well as the technique applied to the raw material, to generate a product with specific characteristics - collectively determined.
Keywords: Indicações geográficas
Desenvolvimento territorial
Mercados singulares
Brasil
Espanha
Geographical indications
Territorial development
Singular markets
Brazil
Spain
Economia regional - Brasil
Desenvolvimento econômico
Regiões vinícolas - Rio Grande do Sul
Economia agrícola
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências Sociais Aplicadas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Economia
Citation: JEZIORNY, Daniel Lemos. Territorialidade e indicação geográfica : estudo dos territórios do Vale dos Vinhedos (BRA) e Montilla-Moriles (ESP). 2015. 204 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais Aplicadas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2015.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/13466
Issue Date: 26-Feb-2015
Appears in Collections:TESE - Economia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TerritorialidadeIndicacaoGeografica.pdf1.6 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.