Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/13452
Document type: Tese
Access type: Acesso Aberto
Title: Crescimento econômico, inflação e regimes cambiais: análise de painel
Author: Cardoso, Carlos de Almeida
First Advisor: Vieira, Flavio Vilela
First member of the Committee: Damasceno, Aderbal Oliveira
Second member of the Committee: Silva, Cleomar Gomes da
Third member of the Committee: Almeida, Alexandre Nunes de
Fourth member of the Committee: Nunes, Clemens Vinicius de Azevedo
Summary: A análise empírica desenvolvida nesta tese tem por base a estimação de modelos de dados em painel para o crescimento econômico e a inflação, para um conjunto de 82 economias, utilizando-se da abordagem System GMM. Os resultados das estimações dos modelos de crescimento para o período de 1970 a 2009 fornecem um resultado fundamental para o presente trabalho. Em que pese grande parte da literatura empírica sugerir que não há uma relação significativa entre o regime cambial adotado e o crescimento das economias, e conforme se apurou com os resultados empíricos da própria tese para o período de 1990 a 2009, os resultados dos modelos estimados para as quatro últimas décadas, por outro lado, evidenciam que os países que adotaram regimes cambiais intermediários estiveram associados a um maior crescimento econômico quando comparado aos países que adotaram regimes de câmbio fixo/rígido. Além disso, os resultados do período de 1970 a 2009 sugerem que impactos negativos para o crescimento estiveram associados a episódios de reversão brusca dos fluxos de capitais. Os modelos de crescimento estimados para os dois períodos distintos (1970 a 2009 e 1990 a 2009), de maneira geral, evidenciam a importância do crescimento defasado sobre o crescimento econômico corrente e indicam que as variáveis de crise bancária e crise de dívida não se mostraram estatisticamente significativas. Por sua vez, os resultados específicos do período de 1990 a 2009 sugerem ainda que não há diferença estatisticamente significativa entre os países que adotaram e os que não adotaram o regime de metas de inflação no que se refere ao crescimento econômico e, além disso, apresentam um resultado não esperado, de que os países que vivenciaram crise cambial e monetária tiveram maiores taxas de crescimento. Os resultados dos modelos de inflação estimados por System GMM para os três períodos analisados (1990 a 2009, 1990 a 1999 e 2000 a 2009), focando no entendimento da relação entre regime cambial e inflação, revela um caráter dúbio ou não consensual, tanto em termos do sinal dos coeficientes estimados quanto em termos de sua significância estatística. As evidências indicam ainda uma importância de outras variáveis como a taxa de crescimento da oferta monetária, a dívida do governo, a variação da taxa de câmbio real efetiva e a taxa de juros real, além da relevância da inflação defasada. O resultado da variável dummy de crise de dívida indica que os países que vivenciaram esse tipo de crise tiveram maiores taxas de inflação enquanto que o resultado da dummy para países que vivenciaram crise cambial e monetária sugere que o ajustamento com a vivência desse tipo de crise pode ter contribuído para uma menor inflação no período. Por outro lado, as dummies de crise de reversão brusca dos fluxos de capitais e de crise bancária não se mostraram estatisticamente significativas. Outra evidência encontrada, bastante relevante para a tese, é de que o regime de metas de inflação está associado a um melhor (menores taxas) desempenho inflacionário nas economias que o adotaram, baseada nos resultados para o período de 1990 a 1999.
Abstract: The empirical analysis developed in this dissertation is based on the estimation of panel data models for economic growth and inflation for a set of 82 economies using the System GMM methodology. The estimation results for the growth models for the period of 1970 to 2009 provide a fundamental lesson for this work. Regardless of the result from an extensive part of the empirical literature suggesting that there is not a significant role for the exchange rate regime in affecting long run growth, and based on the results of this dissertation for the period of 1990 to 2009, the estimated results suggest that for the last four decades there is evidence that countries with intermediate exchange rate regimes are associated to higher economic growth when compared to countries adopting fixed/pegged exchange rate regimes. Other than this, the results for the period of 1970 to 2009 suggest a negative impact on growth were associated to episodes of sudden stops in capital flows. The estimated growth models for the two distinct periods (1970 to 2009 and 1990 to 2009) provide evidence on the relevance of the lagged growth rate for the current growth rate and also indicate that banking and debt crises are not statistically significant. On the other hand, the specific empirical results for the 1990 to 2009 period suggest that there is no statistically significant difference among countries that adopt and those who did not inflation target regarding growth performance, and there is also evidence of an unexpected result that countries undergoing currency crises have higher rates of economic growth. The results from the estimated inflation models using System GMM for three different periods (1990 to 2009, 1990 to 1999 and 2000 to 2009) and focusing on understanding the relation between exchange rate regimes and inflation, reveals an absence of consensuses both in terms of estimated coefficient signs and regarding their statistical significance. There is also additional evidence on the relevance of other variables such as monetary growth, government debt, real effective exchange rate change, real interest rate and lagged inflation. The estimated result for the dummy variables for debt crisis indicates that countries under this type of crisis have experienced higher inflation rates while the result for the dummy variable for countries under currency/monetary crisis suggests that the adjustment under this crisis might have contributed to a lower inflation within the period of crises. On the other hand, the dummy variables for sudden stop and banking crisis are not statistically significant. Other empirical evidence found, that is relevant for the thesis, is that the inflation target regime is associated to a better (lower rate) inflationary performance for the economies adopting such regime, based on the results for the period of 1990 to 1999.
Keywords: Crescimento econômico
Inflação
Regimes cambiais
Análise de dados em painel
Economic growth
Inflation
Exchange rate regime
Panel data analysis
Desenvolvimento econômico
Política cambial
Area (s) of CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIA
Language: por
Country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
Institution Acronym: UFU
Department: Ciências Sociais Aplicadas
Program: Programa de Pós-graduação em Economia
Quote: CARDOSO, Carlos de Almeida. Crescimento econômico, inflação e regimes cambiais: análise de painel. 2013. 96 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais Aplicadas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2013.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/13452
Date of defense: 25-Jun-2013
Appears in Collections:TESE - Economia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CrescimentoEconomicoInflacao.pdf485.43 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.