Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/13413
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Conservação de invertebrados em áreas urbanas : um estudo de caso com formigas no cerrado brasileiro
Other Titles: Conservation of invertebrates in urban areas: a study of case with ants in the brazilian cerrado
metadata.dc.creator: Nascimento, Renata Pacheco do
metadata.dc.contributor.advisor1: Vasconcelos, Heraldo Luís de
metadata.dc.contributor.referee1: Ferreira, Leandro Valle
metadata.dc.contributor.referee2: Marçal Junior, Oswaldo
metadata.dc.description.resumo: Alguma das maiores ameaças à manutenção da diversidade biológica têm sido o crescimento e a expansão da população humana, aumentando a exploração dos recursos e modificando a forma de uso da terra em ecossistemas naturais. Uma estratégia de conservação em paisagens urbanizadas tem sido a criação e manutenção de praças e parques urbanos o que disponibiliza um ambiente menos perturbado. Porém, poucos estudos têm dado atenção sobre a ecologia das comunidades de formigas nessas áreas. Assim, foi avaliado o potencial de praças e parques urbanos para a conservação de formigas dentro de uma paisagem urbana. O trabalho foi realizado no município de Uberlândia (MG), em doze praças, dois parques e três áreas naturais. Foram medidas a área total, área de pavimentação, cobertura arbórea, taxa de visitação pública e distância até o centro urbano. Para a coleta de formigas foi utilizado o método de armadilhas de solo, usando sardinha em óleo vegetal como atrativo. As armadilhas permaneceram nos locais por 48 horas e, depois de recolhidas, as formigas foram montadas e identificadas. Praças, parques e reservas apresentaram diferenças em relação as variáveis medidas, havendo ainda uma forte e significativa correlação entre as variáveis ambientais. Foram obtidos 3.125 registros de formigas, pertencentes a 142 espécies, sendo que o número médio e a riqueza de espécies por transecto foi maior nas reservas do que nos outros três ambientes, e maior nos parques e praças de bairro dos que nas praças de centro. A curva de acumulação de espécies para praças de centro indica que a maioria das espécies deste ambiente foi capturada com o esforço amostral. Houve uma relação negativa entre a abundância de espécies exóticas e o número total de espécies de formigas registrado por transecto, sendo Pheidole megacephala a espécie responsável pelo padrão observado, não ocorrendo espécies exóticas nos parques e reservas. Apenas área e distância do centro urbano mostraram relação significativa e positiva com a riqueza de espécies de formigas. Também foi observadas diferenças na composição de espécies entre as áreas mais preservadas e as praças. Algumas espécies ainda apresentaram forte associação com essas áreas, podendo indicar o estado de conservação dos ambientes estudados. Dentro do meio urbano, os parques apresentaram maior valor de conservação. No entanto, as praças de bairro podem sustentar uma alta riqueza de espécies, especialmente em praças maiores e naquelas próximas a áreas naturais. A presença da espécie Pheidole megacephala mostrou-se se um fator importante na riqueza de espécies nas praças de centro, sendo que as comunidades de formigas destas praças parecem estruturadas mais por competição interespecífica do que pelos fatores ambientais. Os resultados deste estudo sugerem que algumas espécies de formigas podem ser consideradas indicadoras de áreas verdes urbanas, como Pheidole megacephala e Cardiocondyla wroughtonii, podendo ser utilizadas como bioindicadoras do potencial de conservação dessas áreas.
Abstract: One of the major threats to conservation of biological diversity is the growth and expansion of the human population, through increased exploration of natural resources and modifications in land use of natural ecosystems. One conservation strategy in urban landscapes is the creation and maintenance of public squares and parks by providing a less disturbed environment. However, few studies have focused on the ecology of ant communities in these areas. Therefore, it was evaluated the value of public squares and parks for the conservation of ants inside an urban landscape. The work was carried in the city of Uberlândia (MG), in twelve public squares, two urban parks and in three natural reserves. The size of each site, amount of pavementation, tree cover, public visitation rates, and distance to the urban center were measured. For the collection of ground-dwelling ants, pitfall traps containing sardine as attractive, were used. The traps remained in operation for 48 hours, after which the collected ants were identified. Public squares, parks and reserves differend in relation to all environmental variables measured, and there was a significant and strong correlation between these variables. In total, there were 3.125 species records and 142 species. The average richness of species per transect was greater in the reserves than in the others three habitats, and greater in the parks and public squares in residential areas than public squares in the city center. The species accumulation curve for public squares in the city center indicates that the majority of the species from this site were captured with the sampling effort employed in this study. There was a negative relationship between the abundance of exotic ant species and ant species richness, a pattern, mostly caused by the presence of Pheidole megacephala. There was no exotic species in the parks and reserves. Area and distance to the urban center showed a positive relationship with ant species richness. There was also a difference in the composition of species between the more preserved areas (parks and reserves) and the public squares. Some species presented strong association with a given type of habitat, and thus could be used as indicators of the state of conservation of the studied environments. Within the urban landscape, parks presented the greatest conservation value. However, it was found that public squares in residential areas can support a relatively high number of species, especially in larger squares and those close to natural areas. The presence of exotic Pheidole megacephala showed to be an important factor affecting species richness in the city center public-squares, suggesting that ant communities in these sites are structured by inter-specific competition rather by environmental factors. The results of this study indicate that some ants species, such as Pheidole megacephala and Cardiocondyla wroughtonii, can be considered as indicators of urban vegetated areas, and thus could be used as bioindicators of the conservation potential oh this areas.
Keywords: Urbanização
Comunidade de formigas
Pheidole megacephala
Bioindicadores
Valor de conservação
Urbanization
Ant communities
Pheidole megacephala
Bioindicators
Conservation value
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::ECOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências Biológicas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Ecologia e Conservação de Recursos Naturais
Citation: NASCIMENTO, Renata Pacheco do. Conservation of invertebrates in urban areas: a study of case with ants in the brazilian cerrado. 2005. 71 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2005.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/13413
Issue Date: 29-Jul-2005
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Ecologia e Conservação de Recursos Naturais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RNascimentoDISSPRT.PDF1.5 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.