Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/13364
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: As representações sociais dos agentes de controle de zoonoses sobre a dengue em Uberlândia, MG
Other Titles: representations of agents of zoonosis control on dengue fever in Uberlândia, MG
metadata.dc.creator: Corrêa, Lourdes Maria Campos
metadata.dc.contributor.advisor1: Cunha, Ana Maria de Oliveira
metadata.dc.contributor.referee1: Marçal Junior, Oswaldo
metadata.dc.contributor.referee2: Shuvartz, Marilda
metadata.dc.description.resumo: A dengue é uma doença infecciosa viral cujo principal vetor é o Aedes aegypti. Um ambiente favorável ao vetor, junto a estratégias ineficientes para reduzir a sua proliferação, permitiram ao vírus da dengue o estabelecimento e expansão de sua circulação, aumentando os índices da doença principalmente nos centros urbanos. O objetivo da presente pesquisa foi identificar as Representações Sociais sobre a dengue dos Agentes de Controle de Zoonoses de Uberlândia MG. Esta pesquisa se inseriu em uma abordagem qualitativa dentro da modalidade das Representações Sociais. Essas são entendidas como teorias e modos de pensamento, sobre um dado fenômeno, que são estruturadas coletivamente, porém, partem de múltiplas interpretações a partir das individualidades dos sujeitos. Entre os dias 5 e 22 de outubro de 2010, foram feitas entrevistas semiestruturas com 20 agentes de zoonoses do Centro de Controle de Zoonoses de Uberlândia atuantes no controle da dengue. As entrevistas foram gravadas e, posteriormente, transcritas para análise. O Termo de Consentimento Livre e Esclarecido foi aplicado aos agentes antes da realização das entrevistas e a pesquisa foi submetida ao Comitê de ética em Pesquisa da Universidade Federal de Uberlândia. Os agentes exibiram representações próximas aos conhecimentos científicos, como: é uma doença grave; é uma doença infecciosa; o vetor é a fêmea do mosquito; o mosquito da dengue tem corpo listrado; a oviposição ocorre na superfície dos recipientes; os focos de larvas podem ser encontrados em água suja; existem quatro tipos de vírus da dengue; o tratamento da doença é feito por hidratação; uma análise sorológica é necessária para constatar a doença; o mosquito da dengue tem hábitos diurnos; a fêmea do mosquito utiliza o sangue para a maturação dos ovos; a oviposição ocorre de forma repartida. Também foram encontradas RS diferentes das explicações científicas, como: a dengue é um vírus; o mosquito não é um animal. Nas entrevistas os agentes exteriorizaram suas representações relativas a outros aspectos, dentre as quais: a população não se compromete com a prevenção da dengue; a população não tem consciência da gravidade do problema; a mídia veicula informações ultrapassadas; o trabalho de agente ajuda à população na prevenção; o treinamento é positivo; a população não recebe bem o agente; o treinamento veicula conteúdos atualizados; a população não acredita na dengue; a população acha que dengue é coisa de Deus; a população trata mal o agente; a prevenção tem que somar ações individuais e do governo; deveria haver punições, como multa, para resolver o problema; falta a divulgação do agente na mídia; as campanhas deveriam ser mais apelativas; o trabalho de agente é agradável; o treinamento permite troca de experiências; o zoneamento ajuda o trabalho dos agentes. No confronto com a literatura médica, percebe-se que representações dos agentes são bem próximas dos conhecimentos científicos e provavelmente surtem efeitos positivos em suas práticas, que não se limitam a atos técnicos, mas incluem um trabalho de conscientização e veiculação de informações. Esses agentes poderiam ser aproveitados como educadores ambientais, o que seria favorecido pelo seu contato diário com a população.
Abstract: Dengue is an infectious viral disease whose main vector is Aedes aegypti. A favorable environment for the vector, along with inefficient strategies to reduce their proliferation, allowed to the dengue virus the establishment and expansion of its circulation, increasing rates of the disease mainly in urban centers. The aim of this study was to identify the Social Representations of Agents Zoonosis Control of Uberlândia - MG, who deal directly with dengue, about dengue. This research is inside to a qualitative approach in the form of Social Representations. These are understood as theories and ways of thinking about a given phenomenon, which are structured collectively. However, starts from multiple interpretations of the individuality of your subjects. Semi-structured interviews were conducted with 20 agents of zoonoses active in dengue control from Center for Zoonosis Control of Uberlândia. The interviews were conducted between 5th and 22th October 2010, being recorded and later transcribed for analysis. The Term of Consent was applied before the interviews and the study was submitted to the Ethics Committee in Research of Universidade Federal Uberlândia. The agents exhibited representations close to scientific knowledge, as: is a serious disease, is an infectious disease, the vector is the female mosquito, the dengue mosquito has striped body, oviposition occurs on the surface of the vessels, the foci of larvae can be found in dirty water, there are four types of dengue virus, the disease treatment is done by hydration, a serological analysis is needed to establish the disease, the dengue mosquito is diurnal, the female mosquito uses the blood to the maturation of eggs, the oviposition occurs divided. RS different of scientific explanations also were found, such as dengue is a virus, the mosquito is not an animal. In the interviews, the agents presented representations relating to other aspects, including: the population is not committed to the prevention of dengue, the population is unaware of the seriousness of the problem, the media conveys outdated information, the agent job helps people to preventing dengue, training is positive, the population doesn\'t receive the agent; training conveys updated content, the population doesn\'t believe in dengue, dengue population thinks is God\'s thing, the population do bad treatments to the agent, prevention is sum of the individual and government, there should be punishments of fines, to solve the problem, lack the disclosure of the agent in the media, the campaigns should be more attractive, the agent job is nice, the training allows the exchange of experiences, the zoning helps the work of the agents. In comparison with the literature, we found that the representations of the agents are very close to scientific knowledge and probably have a positive effect on their practices, which are not limited to technical acts, but include an awareness and disclosure of information. We analyzed that these agents could be used as environmental educators, which would be furthered by his daily contact with the population.
Keywords: Epidemiologia
Infestação
Dengue
Representações sociais
Agente de controle de zoonoses
Epidemiology
Infestation
Social representation
Agent control of zoonoses
Ecologia humana
Zoonoses
Agentes comunitários de saúde
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::ECOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências Biológicas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Ecologia e Conservação de Recursos Naturais
Citation: CORRÊA, Lourdes Maria Campos. representations of agents of zoonosis control on dengue fever in Uberlândia, MG. 2012. 96 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2012.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/13364
Issue Date: 1-Mar-2012
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Ecologia e Conservação de Recursos Naturais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
d.pdf1.23 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.