Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/13283
metadata.dc.type: Tese
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Redes de interações de frugivoria por aves em plantas nativas e exóticas em ambiente urbano
metadata.dc.creator: Oliveira, Diego Silva Freitas
metadata.dc.contributor.advisor1: Marçal Junior, Oswaldo
metadata.dc.description.resumo: O consumo de frutos por aves no Brasil é bem documentado, mas ainda existe uma escassez de trabalhos comparando o consumo de frutos nativos e exóticos, especialmente em ambiente urbano. A Teoria de Redes pode ser uma ferramenta útil neste tipo de estudo, pois permite avaliar simultaneamente várias espécies de aves e de plantas envolvidas nas interações. Os objetivos desta tese foram avaliar redes de interação planta-ave consumidora de frutos em ambiente urbano em escalas regional e local; verificar o papel das espécies vegetais nativas e exóticas nas redes e comparar as assembleias de aves consumidoras destes dois grupos de plantas. Foi conduzida uma revisão da literatura sobre frugivoria por aves em áreas urbanas do Brasil e a partir desses dados uma meta-análise foi realizada para criar uma rede de interações em escala regional. Também foram realizadas observações em áreas verdes urbanas de Uberlândia, em quatro espécies vegetais nativas (Matayba guianensis, Xylopia aromatica, Cecropia pachystachya e Phoradendron affine) e quatro exóticas (Michelia champaca, Muntingia calabura, Roystonea borinquena e Ligustrum lucidum). As observações foram realizadas entre maio de 2012 e março de 2014 no período da manhã e no fim da tarde, totalizando 320 horas de observação. Foram incluídos 15 trabalhos na meta-análise com 70 espécies de aves consumindo frutos de 15 espécies de plantas (seis exóticas e nove nativas), sendo Tangara sayaca a espécie registrada no maior número de trabalhos (n=14) e Tyrannidae a família mais representativa (n=18 spp.). As avifaunas consumidoras de frutos exóticos e nativos não formaram grupos distintos e a rede de interações em escala regional foi significativamente aninhada (NODF=0,30; p < 0,01) e não modular (M= 0,36; p= 0,16). Duas plantas exóticas fazem parte do núcleo de generalistas (região com maior densidade de interações) da rede de frugivoria em ambiente urbano no Brasil (Ficus Microcarpa e M. champaca). Em Uberlândia foram registradas 540 visitas com consumo de frutos, realizadas por 31 espécies de aves distribuídas em quatro ordens e 12 famílias, sendo Tyrannidae a família mais representativa (n=9 spp.). Pitangus sulphuratus foi a espécie de ave que interagiu com a maior variedade de plantas (n= 7 spp., 4 exóticas e 3 nativas) . As espécies vegetais com maior número de interações foram Xylopia aromatica (nativa) e Michelia champaca (exótica), consumidas por 13 espécies de aves. 339 visitas foram feitas a espécies vegetais exóticas e 201 a plantas nativas e foram consumidos 2055 frutos, sendo 1450 nativos e 655 exóticos. Houve diferença significativa na comparação do número de visitas a plantas nativas e exóticas (U=1018,5; p<0,05), mas não na comparação do número de frutos consumidos (U=1301,50; p=0,7). A rede local de interações não foi significativamente aninhada (NODF=40,11; p=0,20) nem modular (M=0,34; p=0,35). Há tanto espécies nativas quanto exóticas nas posições mais centrais da rede local e somente duas espécies de planta integram o núcleo de generalistas, X. aromatica (nativa) e M. champaca (exótica). As assembleias de consumidores de frutos nativos e exóticos não constituíram grupos diferentes. Os resultados indicam que um grupo relativamente diversificado de aves consome frutos em ambiente urbano no Brasil e esse consumo se dá de maneira oportunista, não havendo preferência por nativos ou exóticos, tanto em escala regional quanto em nível local.
Abstract: Fruit consumption by birds is well reported in Brazil, but few studies compared the use of native and exotic fruit, especially in urban environment. Network Theory may be a useful tool in such studies, since it allows to evaluate multiple species of both animal and plants involved in interactions. The goals of this thesis were to evaluate bird-plant interaction networks in urban environment on regional and local scale; to assess the role of native and exotic plant species in the networks and to compare the consumers assembly interacting with native and exotic plants. We reviewed published literature on bird frugivory in urban areas of Brazil and made a meta-analysis to generate an interaction network on a regional scale. We also made observations in urban green areas of Uberlândia, Minas Gerais State in four native plant species (Matayba guianensis, Xylopia aromatica, Cecropia pachystachya e Phoradendron affine) and four exotic species (Michelia champaca, Muntingia calabura, Roystonea borinquena e Ligustrum lucidum). 320 hours of observations were carried out between May 2012 and April 2014 during morning and late afternoon. We included 15 papers in our meta- analysis in which 70 bird species consumed fruits from 15 plant species (six exotic e nine native). The bird species recorded in the greater number of papers was Tangara sayaca (n=14) and the most representative family was Tyrannidae (n=18 spp.). Bird fauna consuming native and exotic fruits were not in different groups and the interaction network on a regional scale was significantly nested (NODF=0,30; p < 0,01) but not modular (M= 0,36; p= 0,16). Two exotic plant species are part of the generalist core (region with higher interaction density) of the frugivory network in urban environment in Brazil (Ficus Microcarpa e M. champaca). At Uberlândia we recorded 540 visits with fruit consumption, performed by 31 bird species from four orders and 12 families.The most representative family was Tyrannidae (n=9 spp.) and Pitangus sulphuratus was the bird species interacting with higher plant diversity (n= 7 spp., 4 exotic e 3 native). Plant species with higher number of interactions were Xylopia aromatica (native) and Michelia champaca (exotic), both consumed by 13 bird species. A total of 339 visits were recorded on exotic plant species and 201 on native plants and 2055 fruits were consumed, 1450 native and 655 exotic fruits. Comparing native and exotic plant species there was significant difference in the number of visits (U=1018,5; p<0,05), but not in the number of fruits consumed (U=1301,50; p=0,7). Interaction network on a local scale was not significantly nested (NODF=40,11; p=0,20) nor modular (M=0,34; p=0,35). There are both native and exotic plant species on central positions of the local network and only two species comprise the generalist core, X. aromatica (native) e M. champaca (exotic). Bird assembly consuming native and exotic fruits did not form different groups. Results suggest that a relatively diverse set of birds consume fruits in urban environment in Brazil and this consumption occurs in an opportunistic way,with no preference for native or exotic plants, both on regional and local scale.
Keywords: Ecologia urbana
Frugivoria
Rede de interações
Urban ecology
Frugivory
Interaction network
Ave - Ecologia
Ave - Nutrição
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::ECOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências Biológicas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Ecologia e Conservação de Recursos Naturais
Citation: OLIVEIRA, Diego Silva Freitas. Redes de interações de frugivoria por aves em plantas nativas e exóticas em ambiente urbano. 2014. 61 f. Tese (Doutorado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2014.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/13283
Issue Date: 25-Jul-2014
Appears in Collections:TESE - Ecologia e Conservação de Recursos Naturais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RedesInteracoesFrugivoria.pdf1.39 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.