Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/13159
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Fatores de patogenicidade e estudo epidemiológico de Salmonella Minnesota de origem avícola
metadata.dc.creator: Resende, Adilson Ribeiro
metadata.dc.contributor.advisor1: Rossi, Daise Aparecida
metadata.dc.contributor.referee1: Fonseca, Belchiolina Beatriz
metadata.dc.contributor.referee2: Paula, Aline Teodoro de
metadata.dc.description.resumo: A salmonelose é uma enfermidade de importância mundial que preocupa as autoridades sanitárias pelo potencial zoonótico e por ser barreira ao comércio internacional de alimentos. Alguns sorovares são diretamente associados à saúde pública por serem mais incriminados na etiologia da enfermidade em humanos, mas outros, como S. Minnesota, têm trazido preocupação pelo aumento no número de isolamentos na cadeia de produção de frangos de corte. Pouco se conhece sobre a virulência deste sorovar e seu potencial em causar doença humana. Objetivou-se avaliar características de virulência, o perfil de resistência antimicrobiana e o padrão de similaridade genética de 71 cepas de S. Minessota isoladas na cadeia produtiva de frangos de corte. As cepas foram isoladas no período de 2009 a 2010 em duas unidades de uma empresa (A e B) com ciclo completo de produção, localizadas em estados diferentes. Os isolados foram sorotipificados e submetidos ao teste de susceptibilidade antimicrobiana pelo teste de difusão em disco. Após, utilizando PCR, foi avaliada a presença dos genes invA (invasão), lpfA (fímbria-adesão), agfA (fímbria-biofilme) e sefA (fímbria-adesão). Utilizando PCR, foi realizada a identificação de genes de resistência aos beta-lactâmicos (blaTEM, blaSHV e blaCTX-M). A relação filogenética foi determinada por método de RAPD-PCR. Dentre as drogas testadas, os maiores percentuais de resistência foram para tetraciclina e sulfonamida, com 93,8% na unidade A e 89,7% na unidade B. Foram reconhecidos oito perfis de resistência aos antimicrobianos (A1 a A8) dentre as cepas isoladas na indústria A, sendo que 30 (93,8%) apresentaram resistência ou resistência intermediária a pelo menos um antibiótico. Dezesseis (53,3%) foram resistentes a dois antimicrobianos (A1) e 14 (46,7%) consideradas multi resistentes, pois apresentaram resistência a três ou mais classes de drogas (A2 a A7). Das 39 cepas provenientes da indústria B, 11 perfis foram identificados (B1 a B11), sendo 35 (89,7%) cepas resistentes ou com resistência intermediária a pelo menos uma droga. Destas, 10 (28,6%) foram resistentes a dois antibióticos (B1), e 25 (71,4%) multi resistentes (B2 a B10). Do total de cepas das duas indústrias, 100% foram positivas para o gene invA, 98,6% para o gene agfA, 49,3% para o gene lpfA e nenhuma cepa apresentou o gene sefA. Houve 52,1% de positividade para dois genes concomitantemente, e 47,9% para três dos genes avaliados. Quanto aos genes de resistência estudados, apenas três cepas foram positivas para o gene blaTEM (4,2%), 11 (15,5%) para o gene blaCTX-M, não havendo positividade para o gene blaSHV. A avaliação filogenética demonstrou a presença de sete clusters com similaridade superior a 80% e três perfis distintos. Com base no dendrograma observou-se a disseminação de um mesmo perfil em ambas as empresas, a ração como possível fonte de contaminação e a persistência do agente por longos períodos no ambiente. A presença dos genes de virulência e o perfil de resistência aos antimicrobianos observados nas cepas de S. Minnesota demonstram a necessidade de um constante monitoramento na cadeia de produção avícola para minimizar os perigos de contaminação do produto final.
Abstract: Salmonellosis is an illness of global importance that worries health authorities by zoonotic potential and by being a barrier to international trade in food. Some serovars are directly associated with public health because they are incriminated in the etiology of the disease in humans, but others, like S. Minnesota, have brought concern the increase in the number of isolates in broiler production chain. Little is known about the virulence of this serovar and its potential to cause human disease. It aimed to evaluate virulence characteristics, antimicrobial resistance profile and the pattern of genetic similarity of 71 strains of S. Minnesota isolated in the production chain of broilers. The strains were isolated from 2009 to 2010 period, into two units of a company (A and B) with complete cycle of production, located in different states. Isolates were serotyped and submitted to antimicrobial susceptibility by disk diffusion test. Later, using PCR, were evaluated the presence of invA (invasion), lpfA (piliadhesion), agfA (pili-biofilm) and sefA (pili-adhesion) genes. Next, using PCR, was performed the identification of genes conferring resistance to beta-lactams (blaTEM, and blaSHV blaCTX-M). The phylogenetic relationship was determined by RAPD-PCR method. Among the drugs tested, the highest percentages of resistance were to tetracycline and sulfonamide, with 93.8% in unit A and 89.7% in unit B. Were recognized eight antimicrobial resistance profiles (A1 to A8) among strains isolated in industry, and 30 (93.8%) were resistant or intermediate resistance to at least one antibiotic. Sixteen (53.3%) were resistant to two antibiotics (A1) and 14 (46.7%) were considered multi resistant, because they were resistant to three or more classes of drugs (A2 to A7). Of the 39 strains from the B industry, 11 profiles have been identified (B1 to B11), being 35 (89.7%) resistant strains or with intermediate resistance to at least one drug. Of these, 10 (28.6%) were resistant to two antibiotics (B1), and 25 (71.4%) multiple resistant (B2 to B10). Of all strains of both industries, 100% were positive for the invA gene, 98.6% for agfA gene, 49.3% for lpfA gene and no strain showed the sefA gene. There was positivity of 52.1% for two genes simultaneously, and 47.9% for three of the evaluated genes. As to the resistance genes studied, only three strains (4,2%) were positive for blaTEM gene, 11 (15.5%) for blaCTX-M gene, and there was no positivity for blaSHV gene. Phylogenetic evaluation showed the presence of seven clusters with similarity greater than 80% and three distinct profiles. Based on the dendrogram we observed the spread with similar profiles in both companies, the feed as a possible source of contamination and the persistence of the agent for long periods in the environment. The presence of virulence genes and antimicrobial resistance profile observed in S. Minnesota strains demonstrate the need for constant monitoring in the poultry production chain to minimize end-product contamination hazards.
Keywords: RAPD
Resistência antimicrobiana
Salmonelose
Virulência
Antimicrobial resistance
Salmonellosis
Virulence
Salmonela
Frango de corte - Doenças
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::MEDICINA VETERINARIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências Agrárias
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Ciências Veterinárias
Citation: RESENDE, Adilson Ribeiro. Fatores de patogenicidade e estudo epidemiológico de Salmonella Minnesota de origem avícola. 2015. 60 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Agrárias) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2015.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/13159
Issue Date: 26-Jun-2015
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Ciências Veterinárias

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
FatoresPatogenicidadeEstudo.pdf1.99 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.