Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12834
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Impacto do atletismo paralímpico na qualidade de vida de pessoas com deficiência física
metadata.dc.creator: Medeiros, Robson da Silva
metadata.dc.contributor.advisor1: Morales, Nívea de Macedo Oliveira
metadata.dc.contributor.referee1: Santos, Sílvio Soares dos
metadata.dc.contributor.referee2: Rosenburg, Eleusa Gallo
metadata.dc.description.resumo: A qualidade de vida (QV) e o bem-estar têm sido uma preocupação da população em geral e para muitos, o esporte é um meio para alcançá-la. As pessoas com deficiência física inicialmente buscavam no esporte uma possibilidade de recuperação, integração social e bem-estar. Recentemente, o esporte paralímpico tem se tornado cada vez mais profissional com a presença de atletas paralímpicos de alto rendimento, o que tem garantido maiores oportunidades e possivelmente, melhor QV para esses indivíduos. O objetivo do trabalho foi avaliar a qualidade de vida (QV) de indivíduos com deficiência física, praticantes de atletismo paralímpico, conforme o nível de competitividade esportiva (elite vs participação) e compará-los com pessoas com deficiência física sedentárias ou saudáveis sedentárias. Participaram do estudo 228 indivíduos, divididos em quatro grupos, pareados por idade e sexo. Grupo G1- pessoas com deficiência física praticantes de atletismo nível elite; G2 - pessoas com deficiência física praticantes de atletismo nível participação; G3 - pessoas com deficiência física sedentárias e G4 - pessoas saudáveis sedentárias. A QV foi medida pelo questionário WHOQOL-BREF. A comparação dos escores do WHOQOL-BREF foi realizada por meio da ANOVA com pós-teste de Bonferroni. Cada grupo foi composto por 57 voluntários, sendo 41 do sexo masculino e 16 do sexo feminino. A média de idade foi de 31 anos (dp = ± 9,6 anos). Observou-se maior satisfação geral com a QV para G1 em comparação com G2 (p=0,00), sem diferença significativa nos domínios do WHOQOL-BREF. Em comparação com G4, G1 obteve melhor resultado no domínio psicológico e escore total; G2 foi melhor que G4 no domínio psicológico, sem diferença para os demais domínios. Os grupos G1, G2 e G4 apresentaram maiores escores de QV do que G3. Os resultados demonstraram que praticantes de atletismo com deficiência física apresentaram melhor QV em comparação com pessoas com deficiência física sedentárias ou saudáveis sedentárias. Os atletas paralímpicos de elite relataram melhor satisfação geral com a QV do que os demais atletas, porém sem diferença significativa nos domínios da QV avaliados pelo WHOQOL-BREF.
Abstract: Quality of life (QOL) and well-being have been a concern of the population in general, and for many, sport is a means to achieve it. People with physical disabilities in the sport initially sought in sport, a chance of recovery, social integration and well-being. Recently, paralympic sport has become increasingly professional with the presence of paralympians high yield, which has ensured greater opportunities and possibly better QOL for these individuals. The objective of this study was to evaluate quality of life (QOL) of individuals with physical disabilities, practitioners of paralympic athletics, according to the level of competitive sport (elite vs. participation) and compare them with sedentary people with physical disabilities or healthy sedentary. The study included 228 individuals, divided into four groups, matched for age and sex. G1 group - people with physical disabilities practitioners of athletics, elite level; G2 - people with physical disabilities practitioners of athletics, participation level; G3 - sedentary people with physical disabilities and G4 - sedentary healthy people. QOL was measured by the WHOQOL-BREF questionnaire. A comparison of the scores of WHOQOL-BREF was performed by ANOVA with Bonferroni post-test. Each group consisted of 57 volunteers, 41 male and 16 female. The mean age was 31 years (SD = ± 9.6 years). We observed greater overall satisfaction with QOL in G1 compared to G2 (p = 0.00), with no significant difference in domains of the WHOQOL-BREF. Compared with G4, G1 had the best result in the psychological domain and the total score; G2 was better than G4 in the psychological domain, with no difference for the other domains. G1, G2 and G4 groups had higher QOL scores than G3. The results showed that practitioners of athletics with physical disabilities had better QoL compared to sedentary people with physical disabilities or healthy sedentary. The paralympic elite athletes reported better overall satisfaction with QOL than other athletes, however, with no significant difference in QOL domains assessed by the WHOQOL-BREF.
Keywords: Qualidade de vida
Esportes para pessoas com deficiência
Atletas
Atletismo
Quality of life
Sports for persons with disabilities, Athletes, Track and field
Ciências médicas
Atletismo
Atletas com deficiência
Qualidade de vida
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências da Saúde
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde
Citation: MEDEIROS, Robson da Silva. Impacto do atletismo paralímpico na qualidade de vida de pessoas com deficiência física. 2014. 59 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2014.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12834
Issue Date: 22-Aug-2014
Appears in Collections:PGCS - Mestrado em Ciências da Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ImpactoAtletismoParalimpico.pdf389.81 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.