Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12832
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Avaliação do consumo alimentar de trabalhadores em turnos da área da enfermagem
metadata.dc.creator: Pires, Karina Bueno
metadata.dc.contributor.advisor1: Crispim, Cibele Aparecida
metadata.dc.contributor.referee1: Araujo, Ana Christina Tomaz
metadata.dc.contributor.referee2: Maia, Yara Christina de Paiva
metadata.dc.description.resumo: Introdução: Estudos apontam que a prática de hábitos alimentares inadequados em trabalhadores em turnos está associada à elevada ocorrência de enfermidades. Entretanto, é nítida a escassez de estudos com este grupo de indivíduos que tenham utilizado metodologias apropriadas para a avaliação do consumo alimentar. Objetivo: O objetivo deste estudo foi avaliar a ingestão de macro e micronutrientes em profissionais de enfermagem que trabalham em diferentes turnos. Metodologia: Duzentos e vinte e duas trabalhadoras da área da enfermagem de um hospital universitário brasileiro foram classificadas em três turnos: dia (n=112), noite (n=55) e dia-noite (n=55). As profissionais foram submetidas à avaliação do consumo alimentar por meio do recordatório 24 horas (três dias não consecutivos, incluindo um dia do final de semana). A adequação do consumo alimentar foi realizada por meio da comparação com os valores de referência das Dietary Reference Intakes (DRIs). Foram ainda realizadas as seguintes avaliações: padrão de sono (Escala de sonolência de Epworth), além da aferição do peso e altura, para o cálculo do índice de massa corpórea (IMC); e da circunferência da cintura (CC). Resultados: O tempo total de horas trabalhadas por semana foi significativamente maior no turno da noite e no turno dia-noite quando comparado ao turno do dia (p<0,0005). A média do tempo de sono durante os dias trabalhados (minutos) foi menor no turno da noite comparado ao turno do dia e dia-noite (p<0,0005). A sonolência diurna foi maior no turno da noite, quando comparado com o turno do dia e dia-noite (p<0,02). De maneira geral, o consumo percentual de macronutrientes, em relação ao valor calórico diário, foi adequado nos três grupos avaliados. Na comparação entre grupos, foi observado maior consumo percentual de proteínas e lipídeos em profissionais pertencentes ao turno da noite quando comparados ao turno do dia e dia-noite (proteínas: 21,2% ± 0,8; 18,2% ± 0,5; 18,1% ± 0,7, respectivamente, p=0,01; Lipídeos: 35,5% ± 0,8; 32,5% ± 0,5; 31,1% ± 0,8, respectivamente; p= 0,001). A média de ingestão de colesterol foi significantemente menor nas trabalhadoras do turno dia-noite, quando comparadas aos dos turnos dia e noite (188,1 mg/dia ± 18,9; 239,2 mg/dia ± 13,2; 248,0 mg/dia ± 20,5, respectivamente; p=0,04). A maioria das trabalhadoras analisadas apresentou média de ingestão abaixo dos valores de recomendação para vitaminas e minerais, independentemente do turno de trabalho, além de elevada frequência de inadequação de vitaminas e minerais de diferentes faixas de adequação, considerando os valores da EAR e RDA, independentemente do turno analisado. Conclusão: Conclui-se que trabalhadoras da área de enfermagem avaliadas, apesar de relatarem uma ingestão percentual de macronutrientes adequada, apresentaram importantes inadequações no consumo de micronutrientes, independentemente do turno de trabalho, sugerindo a necessidade de intervenção e criação de programas educativos.
Abstract: Introduction: Studies suggest that the high incidence of poor dietary habits in shift workers may be associated with a greater incidence of disease. However, the lack of appropriate methodologies in studies that have evaluated the food intake patterns of this group of individuals is evident. Objective: To assess the macro and micronutrient intake of nursing professionals working different shifts. Methods: Two hundred and twenty two nursing workers were classified into three shifts: day shift (n=112), who worked only during the day (morning or afternoon without night shift); night shift (n=55), who worked only during night shifts; and day-night shift (n=54), who worked during the day (morning or afternoon) plus at least 9 hours a week of night shifts. Volunteers underwent nutritional assessments (24-hour recall on three non-consecutive days, including one day on the weekend) and evaluations of anthropometric variables (weight, height, body mass index and waist circumference) and sleep pattern (Epworth Sleepiness Scale). The food intake assessment was performed by comparison with the reference values recommended by the Dietary Reference Intakes (DRIs). Results: The total time of hours worked per week was significantly higher in the night and day-night shift compared to day shift (p <0.0005). The average sleep time during the working days (minutes) was lower in the night shift compared to day and day-night shift (p <0.0005). Daytime sleepiness was higher in the night shift, when compared to the day and day-night shift (p <0.02). In general, the percentage intake of macronutrients, in relation to caloric intake, was adequate in three groups. An increased consumption of protein and fat was observed in the night workers when compared to the day-night and day workers (protein: 21.2 ± 0.8, 18.2 ± 0.5, 18.1 ± 0.7, respectively, p = 0.01; fat: 35.5 ± 0.8, 32.5 ± 0.5, 31.1 ± 0.8, respectively; p = 0.001). Mean cholesterol intake was significantly lower in day-night workers compared to the day and night workers (188.1 ± 18.9, 239.2 ± 13.2, 248.0 ± 20.5, respectively; p = 0.04). Most workers analyzed showed a mean intake below the recommended allowances for vitamins and micronutrients, independent of the shift work, besides a high frequency of inadequate vitamins and minerals of different adjustment ranges, considering the EAR and RDA values, regardless of the shift. Conclusion: We concluded that nurses working in shifts had adequate macronutrient intake but marked inadequacies in micronutrient intake, independent of the shift work.
Keywords: Trabalho em turnos
Profissionais da enfermagem
Ingestão alimentar
Micronutrientes
Avaliação nutricional
Shift work
Nursing
Nutrition
Dietary intake
Micronutrients
Nutritional assessment
Enfermeiros
Nutrição - Avaliação
Ciências médicas
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências da Saúde
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde
Citation: PIRES, Karina Bueno. Avaliação do consumo alimentar de trabalhadores em turnos da área da enfermagem. 2014. 96 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2014.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12832
Issue Date: 16-Dec-2014
Appears in Collections:PGCS - Mestrado em Ciências da Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AvaliacaoConsumoAlimentar.pdf930.6 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.