Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12807
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Relação entre a distribuição alimentar circadiana e o estado nutricional de trabalhadoras em turnos da área da enfermagem
metadata.dc.creator: Coelho, Martina Pafume
metadata.dc.contributor.advisor1: Crispim, Cibele Aparecida
metadata.dc.contributor.referee1: Mendonça, Maria Angélica Oliveira
metadata.dc.contributor.referee2: Maia, Yara Cristina de Paiva
metadata.dc.contributor.referee3: Zimberg, Ioná Zalcman
metadata.dc.description.resumo: Os profissionais da área da enfermagem estão envolvidos na prestação de serviços de saúde 24 horas por dia, o que os torna um modelo clássico de trabalhador em turnos. Por esse motivo, estes indivíduos são comumente submetidos a longas jornadas de trabalho e redução dos períodos de lazer e descanso. Muitas evidências da literatura têm apontado que esse esquema laboral está associado ao aumento do risco de problemas de saúde, incluindo as desordens metabólicas e nutricionais como a obesidade. O objetivo desse estudo foi avaliar a distribuição das refeições ao longo do dia e sua relação com o estado nutricional de profissionais da área de enfermagem. O estudo incluiu 221 mulheres profissionais da área da enfermagem do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU). As participantes foram classificadas em três turnos: turno diurno (n=112); turno noturno (n=55) e turno diurno-noturno (n=54). As voluntárias foram submetidas às seguintes avaliações: nutricional (recordatório 24 horas de três dias), antropométrica (massa corporal, estatura, índice de massa corporal, circunferência da cintura e circunferência do quadril) e de qualidade do sono (Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh). Os resultados demonstraram que as trabalhadoras do turno noturno com IMC inadequado consumiram maiores quantidades de carboidratos no jantar que os outros dois turnos (p=0,01). A distribuição da ingestão de energia, carboidratos, proteínas e lipídios ao longo do dia não diferiu significantemente entre os três turnos. No entanto, quando a distribuição circadiana foi avaliada separadamente para cada turno, o período do dia teve um efeito significante para a maioria das variáveis nutricionais nos três turnos. Em geral, a ingestão de energia, carboidratos, proteínas e lipídios, em cada um dos três grupos avaliados, foi menor no café da manhã e lanche, maior no almoço e declinou do almoço para o jantar (almoço > jantar; p < 0,05). Na categorização de acordo com o estado nutricional (indivíduos com peso adequado versus peso excessivo), o tempo exerceu um efeito significante na ingestão ao longo do dia para o consumo de energia e macronutrientes. Ademais, quando a distribuição circadiana foi avaliada separadamente para indivíduos eutróficos, o consumo de energia e todos os macronutrientes foi maior no almoço, e essas quantidades declinaram do almoço para jantar (almoço > jantar; p < 0,05). No entanto, para os indivíduos com excesso de peso, as quantidades ingeridas de energia, carboidratos e lipídios não reduziram do almoço para o jantar (almoço = jantar; p > 0,05). Conclui-se que a distribuição das refeições ao longo do dia está associada com o trabalho em turnos e o estado nutricional das profissionais da área da enfermagem na medida em que indivíduos eutróficos ingerem menor quantidade de energia e macronutrientes no jantar em relação ao almoço, enquanto que trabalhadoras com excesso de peso ingerem quantidades similares. Deve ser dada uma atenção especial ao padrão circadiano da alimentação, por ser essa uma ferramenta positiva no planejamento dietético e uma possível estratégia contra o desenvolvimento de sobrepeso e obesidade.
Abstract: Nursing professionals are involved in providing health services 24 hours for day which makes them a classic model of shift workers. Therefore, these professionals are commonly subjected to shift work with long working day and reduced leisure time and rest. This work schedules has been associated with health problems including increase risk of developing metabolic and nutritional disorders such as obesity. The aim of this work was to assess the meal distribution across the day (energy and macronutrients intake) and its relationship with nutritional status of nursing professionals. The study includes 221 woman nursing professionals of university hospital in Uberlandia, Brazil (HC-UFU). The participants were classified in three shifts: day shift (n=112); night shift (n=55) and day-night shift (n=54). Professionals underwent the following assessments: nutritional assessment (3-day 24 hours recall) (n=217) and anthropometric variables (weight, height, body mass index, waist circumference and hip circumference) (n=216). Night workers with inadequate BMI demonstrated consuming higher amount of carbohydrates at dinner than other two groups (p=0.01). The distribution of energy, carbohydrates, proteins and lipids intake throughout the day did not differ significantly between the three shifts. However, when the circadian distribution was evaluated separately for each shift, time of day had a significant effect for most nutritional variables in three shifts groups. In general, energy, carbohydrates, proteins and lipids intake in each of the three groups evaluated was lower at breakfast and snack, higher at lunch, and declined at dinner time (lunch > dinner; p< 0.05). Categorization according to nutritional status (individuals with normal weight versus excessive weight), time exerted a significant effect on intake throughout the day for energy and macronutrients. Moreover, when the circadian distribution was evaluated separately for eutrophic individuals, the consumption of energy and all macronutrients was higher at lunch, and these amounts declined from lunch to dinner (lunch > dinner, p< 0.05 ).However, individuals with excess of weight of the three groups showed that energy, carbohydrates and lipids intake did not decline from lunch to dinner (lunch = dinner; p> 0.05).We concluded that the distribution of meals throughout the day is associated with shift work and nutritional status of individuals working in the area of nursing in that eutrophic individuals ingest less energy and macronutrient balanced dinner for lunch , while overweight workers ingest similar amounts. Special attention needs to be given to eating circadian pattern, being a positive tool in dietetic planning and a possible strategy against overweigh/obesity.
Keywords: Trabalho em turnos
Estado nutricional
Profissional de enfermagem
Distribuição das refeições
Padrão circadiano da ingestão alimentar
Shift work
Nutritional status
Nursing professionals
Distribution of meals
Circadian pattern of food intake
Nutrição - Avaliação
Trabalhadores - Nutrição
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências da Saúde
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde
Citation: COELHO, Martina Pafume. Relação entre a distribuição alimentar circadiana e o estado nutricional de trabalhadoras em turnos da área da enfermagem. 2014. 111 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2014.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12807
Issue Date: 27-Feb-2014
Appears in Collections:PGCS - Mestrado em Ciências da Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RelacaoDistribuicaoAlimentar.pdf1.34 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.