Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12783
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Queda de idosos que motiva atendimento hospitalar de emergência pelo SUS em Uberlândia - MG : epidemiologia e consequências para a saúde
metadata.dc.creator: Freitas Júnior, Orízio da Silva
metadata.dc.contributor.advisor1: Ribeiro, Lindioneza Adriano
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Jorge, Miguel Tanús
metadata.dc.description.resumo: O rápido aumento da proporção de idosos na população mundial e brasileira suscita a discussão a respeito de eventos incapacitantes nessa faixa etária, dos quais se destacam a ocorrência de quedas. Este estudo objetivou avaliar aspectos epidemiológicos e clínicos relacionados aos acidentes causados por quedas em idosos atendidos no Hospital de Clínicas de Uberlândia (HCU). Para a coleta de dados, referentes ao período de 01/09/2003 a 31/08/2004, foi sorteado um dia da semana, no qual se iniciou a investigação e, seqüencialmente, a cada seis dias, durante vinte e quatro horas, foram entrevistados os idosos atendidos no Pronto Socorro do HCU em conseqüência de quedas. Foram também feitas visitas diárias às enfermarias para entrevistar todos os idosos internados devido a quedas. Para a realização de tais entrevistas, foi utilizado um questionário elaborado especificamente para a obtenção de informações relativas aos dados pessoais do paciente, às suas condições de saúde antes da queda, às condições de sua moradia, à necessidade e o nível de cuidados que o paciente demandava e às causas e circunstâncias da queda. No período estudado, 485 pacientes foram atendidos no hospital vítimas de quedas, e a amostra estudada foi composta por 177 destes pacientes que residiam e sofreram a queda em Uberlândia e foram entrevistados. A média de idade dos pacientes foi de 76 anos e 108 (61,0%) era do sexo feminino; predominaram os casados ou viúvos (147; 83,0%) aposentados ou pensionistas (121; 68,3%); 76 (42,9%) tinham renda mensal entre dois e quatro salários mínimos. O tipo de residência predominante foi casa (135; 76,3%), com a presença de tapetes (136; 76,8%), desníveis (109; 61,0%) e escadas (69; 39,0%). Estes fatores, associados a problemas como o tipo de piso e a luminosidade, foram as maiores dificuldades relatadas pelos idosos para se deslocarem dentro de suas casas. As doenças mais prevalentes foram a hipertensão (81; 45,8%), o diabetes (57; 32,2%) e a osteoporose (24; 13,6%). A maioria dos pacientes relatou fazer uso rotineiro de medicamentos anti-hipertensivos (47,5%), hipoglicêmicos (32,2%) e benzodiazepínicos (27,1%). Setenta e cinco pacientes (42,3%) praticavam atividade física, sendo a caminhada (62,0%) e a hidroginástica (24,1%) as modalidades mais comuns. Noventa e quatro (53,1%) desenvolviam algum tipo de atividade de lazer predominantemente a dança (36,7%) e passeios (29,2%). As quedas apresentaram pouca variação conforme os meses do ano, mas foram mais comuns nos horários de 6:00 às 10:00 horas da manhã. O local de maior ocorrência foi a própria residência (135; 76,3%), principalmente no banheiro (51; 28,8%) e no quarto (28; 15,8%). As principais causas foram os escorregões (60; 37,8%) e tropeções (33; 20,8%). A principal conseqüência foi a fratura (121; 68,4%), principalmente de fêmur (81, 45,8%) e rádio (23; 13,0%). Cinqüenta e nove pacientes (33,3%) afirmaram ter sofrido queda anterior, nos últimos doze meses, na própria residência (46; 78,0%), devido a escorregão (18; 32,1%) desequilíbrio (11; 21,4%); 119 (67,2%) declararam nunca ter recebido orientações preventivas contra quedas. A letalidade foi de 3,5%. Pode-se concluir, com relação às quedas de idosos que motivam atendimento no Hospital de Clínicas de Uberlândia que: ocorrem de forma pouco variável nos meses do ano mas predominando da 6:00 às 10:00 horas; a freqüência aumenta até a faixa etária de 70 a 74 anos, é maior entre as mulheres e entre aposentados e pensionistas; cerca da metade das vítimas está vivendo sem união estável no momento da queda; a maioria das residências das vítimas são casas, possuem de cinco a sete cômodos e, nelas, mais freqüentemente moram de 2 a 4 pessoas; os banheiros utilizados pelos idosos distam, em média, três e meio metros do leito; os pacientes consideram a distância, a falta de luminosidade e a presença de tapetes como as dificuldades mais comumente encontradas para chegarem ao banheiro; os problemas de saúde pré-existentes são principalmente a hipertensão e o diabetes; as atividades físicas rotineiras mais comuns são as caminhadas e a hidroginástica, e as atividades de lazer a dança e os passeios; na maioria da vezes a queda se dá devido a escorregão ou a tropeção; como conseqüência o TCE é diagnosticado em cerca de 10% dos casos e as fraturas em mais da metade, sendo o fêmur o osso mais atingido; a grande maioria das vítimas é socorrida em poucos minutos após a queda; a maioria considera não ter recebido informação sobre prevenção de queda; a percentagem de óbito devido à queda é menor do que 5%.
Abstract: The fast increase in the proportion of elders in the world and Brazilian population opens a discussion about unabling events in this age, in which the occurence of falls stands out. This study aimed to evaluate epidemical and clinical aspects related to accidents caused by falls among the elders attended at Hospital de Clínicas de Uberlândia (HCU). For the data assessment, from September 01, 2003 to August 31, 2004, one day of the week was drafted to start the investigation and, in sequence, every six days, during twenty four hours, the elders victims of falls attended in the emergency hospital of HCU were interviewed. We also daily visited the nurses to interview every elder in internment because of falls. For such interviews, we used a questionnaire made specificaly to obtain data related to patients personal informations, health conditions before the fall, residence conditions, necessity and level of care they needed, causes and circumstances of the fall. In the period studied, 485 patients were attended at the hospital victims of falls, and the sample studied was composed of 177 of these patients who lived and fell in Uberlândia and were interviewed. The mean of the patients ages were 76, and 108 (61.o%) were female; prevailing the married or widowed (147; 83%) retired or pensioner (121; 68.3%); 76 (42.9%) had monthly income between 2 and 4 minimum wages. The kind of residence prevailing was house (135; 76.3%), with rugs (135; 76.8%), unlevellings (109; 61.0%) and stairs (69; 39.0%) These facts , associated with problems such as the kind of floor and luminosity, were the main difficulties reported by the elders to move in their houses. The prevailing deseases were hypertension (81; 45.8%), diabetes (57; 32.2%) and osteoporosis (24; 13.6%). Most of the patients reported daily use of medicines antihypertensives (47.5%), Hypoglycemic (32.2%) and benzodiazepinic (27.1%). Seventy five patients (42.3%) practised physical activities, being walking (62.0%) and hydrogymnastic (24.15) the most common. Ninety four (53.1%) had a leisure activity, mainly dance (36.7%) and sightseeing (29.2%). The falls presented little variation related to the months of the year, but were more common between 6 and 10 in the morning. The site of major occurence was in their own houses (135; 76.3%), mainly in the bathroom (51; 28.8%) and bedroom (28; 15.8%). The main causes were slippings (60; 37.8%) and stumbles (33; 20.8%). The major consequence was fracture (121;68.4%), mainly of femur (81; 45.8%) and radius (23; 13.0%). Fifty nine patients (33.3%) confirmed having fallen before, in the last twelve months, in their own houses (46; 78.0%), because of slipping (18; 32.1%); unbalance (11; 21.4%); 119 (67.2%) reported never have received any preventing oriantation against falls. Letality was of 3.5%. We can conclude that, in relation to elders falls attended in Hospital das Clínicas de Uberlândia that: they occur in a with little variability during the months of the year, but prevail between 6 and 10 in the morning; the frequency increases in the ages 70 to 74, is higher among women, retired and pensioners; about half of the victims had no stable union at the time of the fall; most of the residences were houses, with five to seven rooms, in which lived from 2 to 4 people; the bathrooms used by the elders were about 3.5 metres from their bedroom; the patients consider distance, lack of luminosity and the presence of rugs as the most common difficulties to reach the toilet; pre-existing health problems were mainly hypertension and diabetes; the most comons physical activities were walking and hydrogymnastics, and leisure activities were dance and sightseeing; most of the times the fall is due to slippings or stumbles; as a consequence, TCE is diagnosed for about 10% of the patients and fracture for more then half, being femur the most commonly broken bone; the great majority of the victims is helped in a few minutes after the fall; most of them consider not having received any information about avoiding falls; the percentage of deaths due to falls is less than 5%.
Keywords: Quedas (acidentes) na velhice
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências da Saúde
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde
Citation: FREITAS JÚNIOR, Orízio da Silva. Queda de idosos que motiva atendimento hospitalar de emergência pelo SUS em Uberlândia - MG : epidemiologia e consequências para a saúde. 2006. 89 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2006.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12783
Issue Date: 30-Mar-2006
Appears in Collections:PGCS - Mestrado em Ciências da Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
OSFJuniorDISSPRT.pdf319.96 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.