Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12436
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Diversidade funcional de espécies nativas utilizadas em programa de restauração ambiental
Other Titles: Functional diversity of natives species used in environmental restoration program
metadata.dc.creator: Martins, Ana Carolina Ferreira
metadata.dc.contributor.advisor1: Schiavini, Ivan
metadata.dc.contributor.referee1: Lopes, Sergio de Faria
metadata.dc.contributor.referee2: Araújo, Glein Monteiro de
metadata.dc.description.resumo: O uso intensivo e desordenado dos recursos naturais está colocando em risco muitos biomas, como o Cerrado. Por isso, a restauração de ambientes degradados é uma atividade crescente, sendo cada vez mais necessária e imprescindível para a conservação da biodiversidade. O objetivo deste estudo foi avaliar a história de vida e a capacidade adaptativa de espécies de duas áreas em restauração comparadas com indivíduos controle, ou seja, indivíduos encontrados em áreas de vegetação original do Cerrado. As espécies deste estudo fazem parte de uma lista de espécies arbóreas utilizadas pelo Programa Buriti, para a restauração ambiental da mata ciliar da Bacia Hidrográfica do Rio Uberabinha. Foram selecionadas 5 espécies na Área 1 (Croton urucurana, Guazuma ulmifolia, Inga laurina, Inga sessilis e Tabebuia roseo-alba) e 10 espécies na Área 2 (Cecropia pachystachya, Croton urucurana, Guazuma ulmifolia, Inga laurina, Inga sessilis, Luhea divaricata, Myrsine umbellata, Tapirira guianensis, Tabebuia roseo-alba e Trema micrantha), sendo essas as mais representativas e que melhor se adaptaram às duas áreas estudadas. Foram avaliados os atributos vegetativos e reprodutivos de cada uma delas, para se verificar a diversidade de atributos nas duas áreas em restauração. Cinco indivíduos de cada uma dessas espécies tiveram o diâmetro e a altura aferidos e 5 a 10 folhas jovens totalmente expandidas foram coletadas de cada um, para avaliação dos traços foliares funcionais. Para isso, a área foliar específica (AFE) foi mensurada através da razão área foliar (mm2)/massa seca(mg) para cada uma das folhas dos indivíduos coletados. Foram necessárias imagens digitalizadas das folhas (Image J) para obtenção da área foliar. Já a massa seca foi obtida através de pesagem após essas folhas ficarem por um período de no mínimo 48 horas em estufa a 70o C. O comprimento do pecíolo (CP) foi estimado pelas mesmas imagens usadas para a obtenção da área foliar. Para a análise dos dados foram utilizados testes paramétricos, ANOVA e Teste T, e não-paramétricos, Kruskal-Wallis e Mann-Whitney, quando os pressupostos não foram atendidos. A diferença entre as médias foi feita através do teste de comparações múltiplas de Tukey a 5% de significância. O coeficiente de variação de cada espécie também foi calculado para medir a variabilidade intraespecífica entre as amostras de uma mesma espécie. Houve diferenças significativas entre as espécies das duas áreas e entre o controle, para a maioria das espécies estudadas. A AFE e o CP, ao contrário do que se espera para espécies sob luminosidade intensa, em esses dois atributos foliares possuem valores menores do que espécies sob condições de sombreamento, foram significativamente maiores na Área 2 (luminosidade intensa) do que no controle (sombreamento) e na Área 1 (luminosidade intensa). Entretanto, grande parte das espécies na Área 1 tiveram AFE e o CP igual ou menor do que o controle e do que as espécies da Área 2. Este estudo indica que estas espécies apresentam diversidade de atributos necessários ao restabelecimento dos processos ecológicos das duas áreas degradadas. São espécies que possuem a capacidade de ajustar sua morfologia, e provavelmente também sua fisiologia, para a aclimatação à ambientes com luminosidade intensa. Sendo assim, são espécies potenciais para utilização em programas de restauração ambiental.
Abstract: The intensive use and disorderly of natural resources is endangering many biomes, such as Cerrado. Therefore the restoration of degraded environments is a growing activity been increasingly necessary and essential for conservation of biodiversity. The aim of this study was to evaluate the life history and adaptive capacity of species in two restoration areas compared with control individuals, i.e. individuals found in areas of Cerrado original vegetation. The studied species are part of a tree species list used by Buriti Program for environmental restoration of the riparian River Basin Uberabinha. We selected 5 species in Area 1 (Croton urucurana, Guazuma ulmifolia, Inga laurina, Inga sessilis e Tabebuia roseo-alba) and 10 species in Area 2 (Cecropia pachystachya, Croton urucurana, Guazuma ulmifolia, Inga laurina, Inga sessilis, Luhea divaricata, Myrsine umbellata, Tapirira guianensis, Tabebuia roseo-alba e Trema micrantha), being these the most representative and the best adapted in the two studied areas. We evaluated the vegetative and reproductive attributes of each species to verify the diversity of attributes in both restoration areas. Five individuals of each species have had measured diameter and checked, and 5 to 10 young fully expanded leaves were collected from each for assessment of functional leaf traits. For this, specific leaf area (SLA) was measured by the ratio leaf area (mm2)/dry weight (mg) to each sheet of the collected individuals. Were necessary scanned images of leaves (Image J) to obtain the leaf area. Already dry mass was achieved by weighing after these leaves turn for a period of at least 48 hours in an incubator at 70o C. The petiole length (PL) was estimated by the same images used for obtaining the leaf area. For date analysis we used parametric tests, ANOVA and T test, and non-parametric Kruskal Wallis and Mann-Whitney test when the assumptions were not met. The differences between means were performed using the multiple comparisons of Tukey at 5% significance. The variation coefficient each species also had been calculated for measure intraspecific variability between samples each species. There were significant differences between species of the two areas and between control for most studied species. The SLA and PL contrary to what is expected for species under intense luminosity, in these two leaf traits have lower values than species under shaded conditions, were significantly higher in Area 2 than control and Area 1. However, most species in Area 1 had AFE and PL equal or less than control and then species of Area 2. This study indicates that these species show attributes diversity necessary for ecological processes reestablishment in the two degraded areas. They are species that have ability to adjust their morphology, and probably also physiology for acclimation to environments with intense luminosity. So this species are potential for use in environmental restoration programs.
Keywords: Áreas degradadas
Diversidade de atributos
Área foliar específica
Comprimento do pecíolo
Degraded areas
Diversity of attributes
Specific leaf area
Petiole length
Ecologia vegetal
Floresta - Restauração
Comunidades vegetais
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::BOTANICA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências Biológicas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Biologia Vegetal
Citation: MARTINS, Ana Carolina Ferreira. Functional diversity of natives species used in environmental restoration program. 2013. 71 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2013.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12436
Issue Date: 19-Feb-2013
Appears in Collections:PPGBV - Mestrado em Biologia Vegetal

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Ana Carolina.pdf1.53 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.