Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12425
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Traços funcionais como preditores da similaridade funcional entre sub-bosques de florestas estacionais semideciduais: subsídios para a conservação destes ecossistemas
metadata.dc.creator: Prado Júnior, Jamir Afonso do
metadata.dc.contributor.advisor1: Schiavini, Ivan
metadata.dc.contributor.referee1: Araújo, Glein Monteiro de
metadata.dc.contributor.referee2: Carvalho, Fabrício Alvim
metadata.dc.description.resumo: CAPÍTULO 1: As variáveis ambientais do sub-bosque condicionam o desenvolvimento de uma flora e, consequentemente, de uma estrutura funcional muito específica para este estrato. Este estudo avaliou a diversidade florística e a fenologia foliar e síndrome de dispersão das espécies arbóreas em nove sub-bosques de florestas estacionais semideciduais sob diferentes estádios de perturbação e testou a hipótese de que o aumento na intensidade de perturbação da comunidade afeta diretamente a diversidade florística e a estrutura funcional dos sub-bosques. Foram avaliados os parâmetros fitossociológicos das espécies e famílias, e a estrutura de cada sub-bosque e nos sub-bosques como um todo. A similaridade florística foi avaliada entre os nove sub-bosques e, entre os sub-bosques sob mesma intensidade de perturbação. A fenologia foliar e síndrome de dispersão das espécies foi comparada entre o sub-bosque e os estratos superiores em cada área e, entre os sub-bosques. Os resultados apontaram Myrtaceae, Rubiaceae, Celastraceae, Siparunaceae e Meliaceae como as cinco famílias mais importantes. As cinco espécies mais representativas foram Cheiloclinium cognatum, Cordiera sessilis, Siparuna guianensis, Siphoneugena densiflora e Trichilia catigua. As análises de similaridade florística mostraram maior similaridade florística entre os sub-bosques sob mesma intensidade de perturbação e que, algumas espécies e famílias podem ser indicadoras do estádio de perturbação do sub-bosque. As comparações de fenologia foliar e síndrome de dispersão mostraram uma proporção muito baixa de espécies decíduas e anemocóricas no sub-bosque em relação aos estratos superiores. Nas comparações destes traços entre os sub-bosques, observou-se um aumento significativo nas proporções de espécies decíduas nos estádios mais perturbados, mas não nas proporções de espécies anemocóricas. Os resultados obtidos mostraram que, mesmo com diversidades florísticas muito distintas, foi possível estabelecer padrões funcionais relacionados à fenologia foliar e síndrome de dispersão dos sub-bosques e, sugerem que a análise destes traços pode servir como parâmetro na classificação dos estádios sucessionais das florestas estacionais semideciduais em uma perspectiva global de comparação. CAPÍTULO 2: As espécies de sub-bosque, um ambiente tipicamente sombreado, apresentam traços funcionais que potencializem a fotossíntese sob baixas intensidade de luz. O provável aumento da disponibilidade de luz no sub-bosque com o aumento da intensidade de perturbação provoca alterações nos traços funcionais foliares e de arquitetura arbórea, relacionadas à captação e utilização da luz das espécies deste estrato. Também é esperado que a seleção de espécies nos sub-bosque sob diferentes intensidades de perturbação favoreça grupos de espécies com características funcionais diferentes. Este estudo avaliou a influência da intensidade de perturbação nos traços funcionais foliares (área foliar, conteúdo de matéria seca e área foliar específica), da arquitetura da copa e da densidade de madeira das espécies de nove sub-bosques sob diferentes regimes de perturbação. Também foi avaliada como a variabilidade dos traços funcionais foliares está distribuída nos níveis inter/intraespecíficos, e a diferenciação das espécies com base nos traços funcionais. A diversidade funcional entre os sub-bosques foi estimada a partir dos índices de riqueza, equabilidade e divergência funcional e dos valores de área foliar específica das espécies. Os resultados mostrararam qua a variabilidade dos traços foliares estão concentrados no nível interespecífico e, assim, tem grande importância na diferenciação funcional das espécies. O aumento da intensidade de perturbação no sub-bosque favoreceu a seleção de espécies com maior área foliar específica, contrariando muitos estudos que observaram uma redução neste traço com o aumento da perturbação. As diferenças nas densidades relativas das espécies funcionalmente similares nos diferentes estádios de perturbação permitiram estabelcer um modelo de sucessão para os sub-bosques de florestas estacionais semideciduais. Os resultados obtidos também mostraram que sub-bosques com baixa similaridade florística podem ser funcionalmente muito similares. Os índices de diversidade funcional permitiram estabelcer relações entre a diversidade funcional e o estádio de conservação dos sub-bosques. A grande variação nos traços funcionais das espécies permitiram identificar diferentes estratégias na absorção e utilização da luz no sub-bosque e, portanto, podem explicar a alta coexistência de espécies no sub-bosque.
Abstract: CHAPTER 1: The understory environmental variables guide to a very specific flora to this stratum, and thus a distinct functional structure from the rest of the community. This study evaluated the floristic diversity, leaf phenology and dispersal of tree species in nine understories of semideciduous forests in different stages of disturbances. Was tested the hypothesis that environmental changes of this stratum, with the increase in disturbance intensity, directly affects the floristic diversity and understory functional structure. Phytosociological parameters were evaluated to species and families of each understory and to all nine understory altogether. Floristic similarity was evaluated between the nine understories, and among understories under the same disturbance intensity. The leaf phenology and dispersal syndrome of species were compared between the understory and the upper strata in each area and among the nine understories. Myrtaceae, Rubiaceae, Celastraceae, and Meliaceae Siparunaceae were the five most important families. The five most representative species were Cheiloclinium cognatum, Cordieria sessilis Siparuna guianensis, Siphoneugena densiflora and Trichilia catigua. The floristic similarity revealed a higher floristic similarity between the understory under the same disturbance intensity. Some species and families were indicative of disturbance to the understory. Comparisons about leaf phenology and dispersion syndrome demonstrated a very low proportion of deciduous and anemochoric species in the understory compared to the upper layers. Was observed a significant increase in deciduous species proportion to the more disturbed forests but not to the anemochory. Even with very distinct floristic diversity, was possible to establish functional patterns to leaf phenology and dispersal syndrome to the understory, and then can be use as a parameter in the classification of successional stages of seasonal forests. CHAPTER 2: The understory of forests is a shaded environment, with species which have functional traits that increase carbon net gain in photosynthesis under low light intensity. The light available raise in the understory, related to disturbance intensity, causes changes in functional leaf traits and tree architecture, related to the capture and light use to understory species. It is also expected that distinct disturbance in understory, favors species groups with different functional characteristics. This study evaluated the intensity of disturbance influence on functional leaf traits (leaf area, dry matter content and specific leaf area), the canopy architecture and wood density of understory species to nine forests. It was also evaluated the leaves functional traits variability into inter / intraspecific levels, and species distinction based on functional traits. The understory functional diversity was estimated based in indices of richness, evenness and functional divergence and species specific leaf area. The results showed that the leaf traits variability were concentrated in the interspecific level, and then has great importance in the species functional differentiation. The increase of disturbance intensity in the understory favored species with higher specific leaf area, contrary to many studies that observed a reduction of this trait with disturbance increase. The differences in relative densities of functionally similar species under different disturbance stages of allowed to establish a model of succession to the understory of seasonal forests. The results also showed that understory with low floristic similarity were functionally very similar. The functional diversity indices established relationships between functional diversity and the conservation state of understory too. The wide variation in species functional traits allowed to identify different strategies of light use and absorption to the understory and thus may explain the high coexistence of species in the understory.
Keywords: Estratificação
Traços funcionais
Regime de perturbação
Similaridade florística
Similaridade funcional
Área foliar específica
Diferenciação de nichos
Diversidade funcional
Stratification
Functional traits
Disturbance
Floristic similarity
Functional similarity
Specific leaf area
Niche distinction
Funcional diversity
Comunidades vegetais
Ecologia vegetal
Florestas - Preservação
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::BOTANICA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências Biológicas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Biologia Vegetal
Citation: PRADO JÚNIOR, Jamir Afonso do. Traços funcionais como preditores da similaridade funcional entre sub-bosques de florestas estacionais semideciduais: subsídios para a conservação destes ecossistemas. 2012. 84 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2012.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12425
Issue Date: 29-Feb-2012
Appears in Collections:PPGBV - Mestrado em Biologia Vegetal

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
d.pdf2.48 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.