Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12391
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Alterações comportamentais e neuroquímicas relacionadas à administração crônica de etanol e exposição ao estresse em camundongos
metadata.dc.creator: Silva, Daniel Moreira
metadata.dc.contributor.advisor1: Marin, Marcelo Tadeu
metadata.dc.contributor.referee1: Amaral, Vanessa Cristiane de Santana
metadata.dc.contributor.referee2: Ferreira, Tatiana Lima
metadata.dc.description.resumo: O consumo de etanol é um dos maiores fatores de risco de morbidade e mortalidade mundial, sendo sua dependência um grave problema de saúde pública. Em animais de laboratório, podem ser investigados alguns comportamentos relacionados à dependência ao etanol, como a preferência condicionada por lugar (PCL) e sinais da síndrome de abstinência na retirada do etanol. O estresse é um fator de grande importância na iniciação, manutenção e recaída ao consumo de substâncias psicoativas de abuso e pode modular alterações neuroquímicas induzidas pela administração crônica dessas substâncias. O objetivo deste trabalho foi investigar os efeitos do estresse de nado forçado, concomitante à administração crônica de etanol (em dieta líquida), na PCL e síndrome de abstinência ao etanol, e sua relação com alterações da neurotransmissão dopaminérgica e serotoninérgica em camundongos. Quando avaliamos os parâmetros de ansiedade, não foram encontradas alterações tanto no labirinto em cruz elevada (LCE) quanto no campo aberto (CA). Contudo, a exposição apenas ao etanol induziu a redução da atividade locomotora no CA, se correlacionando com o aumento do turnover dopaminérgico (razão entre os metabólitos dopaminérgicos pela dopamina) observada no córtex pré-frontal (CPF), decorrente do mesmo tratamento. A alteração no CPF pode ainda ser responsável pelo aumento da procura pelo etanol, analisada no modelo de PCL. No núcleo acúmbens (NAc), foi verificada redução do turnover dopaminérgico nos animais expostos apenas ao estresse, que pode ter predisposto ao aumento da PCL ao etanol nesse grupo experimental. Nos animais expostos concomitantemente ao etanol e ao estresse não houve alteração tanto na PCL quanto no turnover dopaminérgico no CPF e NAc. A ausência de alterações nesse grupo pode estar relacionada ao aumento do estoque de dopamina na amídala. Portanto, nosso estudo indica que tanto o estresse quanto o etanol induzem alterações dopaminérgicas em diferentes regiões encefálicas e isso pode ser responsável pelos comportamentos característicos da síndrome de abstinência e pela procura pelo etanol. Tendo, assim, o estresse importante papel para o desenvolvimento da dependência ao etanol e sendo necessários mais estudos para compreender as vias moleculares pelas quais se dá essa interação.
Abstract: Ethanol consumption is one of the biggest risk factors for world morbidity and mortality, once its dependence is a serious public health problem. In laboratory animals, some behaviors related to ethanol dependence can be investigated, like conditioned place preference (CPP) and the symptoms of withdrawal syndrome. Stress is a factor of major importance for beginning, maintenance and reinstatement of abuse psychoactive drugs and can regulate neurochemical alterations induced by chronic administration of these substances. The objective of this study was investigate the effects of forced swimming stress, concomitant to ethanol chronic administration (in liquid diet), on CPP and ethanol withdrawal syndrome, and its relation to alterations of dopaminergic and serotoninergic neurotransmission in mice. When we evaluate anxiety parameters during ethanol withdrawal, it was not found alterations in both elevated plus maze and open field (OF). However, exposure to ethanol alone induced reduction of exploratory activity in OF, correlating to increase of dopaminergic turnover (ratio between dopaminergic metabolites by dopamine) observed in prefrontal cortex (PFC), due to the same treatment. PFC alteration can still be responsible by increase of ethanol seeking, analyzed in the CPP procedure. Nevertheless, in nucleus acumbens (NAc), it was found reduction of dopaminergic turnover in animals exposed to stress alone, which may be predisposed to increase of ethanol CPP in this experimental group. In animals exposed concomitantly to ethanol and stress, it was not found alterations in both CPP as in dopaminergic turnover in PFC or NAc. Absence of alterations in this group may be related with increase of dopaminergic storage in amygdala. Thus, our study indicates that stress as well as ethanol induces dopaminergic alterations in different encephalic regions and this can be responsible by characteristic behaviors of withdrawal syndrome and ethanol seeking. Therefore, stress has an important role for ethanol addiction development and it is necessary more studies to understand the neurochemical pathways responsible by this interaction.
Keywords: Etanol
Estresse
Dopamina
Ethanol
Stress
Dopamine
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::MORFOLOGIA::CITOLOGIA E BIOLOGIA CELULAR
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências Biomédicas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Biologia Celular e Estrutural Aplicadas
Citation: SILVA, Daniel Moreira. Alterações comportamentais e neuroquímicas relacionadas à administração crônica de etanol e exposição ao estresse em camundongos. 2013. 84 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biomédicas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2013.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12391
Issue Date: 1-Mar-2013
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Biologia Celular e Estrutural Aplicadas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Daniel Moreira.pdf1.34 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.