Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12383
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Avaliação da atividade gastroprotetora do extrato aquoso das folhas de Eugenia dysenterica DC. e Campomanesia pubescens O. Berg
metadata.dc.creator: Prado, Ligia Carolina da Silva
metadata.dc.contributor.advisor1: Silva, Luiz Borges Bispo da
metadata.dc.description.resumo: A Eugenia dysenterica e a Campomanesia pubescens (Myrtaceae), conhecidas no Brasil como cagaita e gabiroba , respectivamente, são amplamente utilizadas pela população no tratamento de algumas desordens gastrintestinais. Considerando seu uso popular e que algumas plantas da família Myrtaceae apresentam efeitos protetores sobre a mucosa gástrica, selecionamos, utilizando uma abordagem taxonômica, os extratos aquosos das folhas de E. dysenterica e C. pubescens para investigar seus possíveis efeitos gastroprotetores. A capacidade de ambos os extratos e da carbenoxolona em proteger a mucosa gástrica de lesões induzidas por HCl/etanol foi avaliada em camundongos. A contribuição do óxido nítrico (NO), dos compostos sulfidrílicos endógenos (-SH) e as alterações na produção de HCl sobre o efeito gastroprotetor do extrato de E. dysenterica também foi investigada, bem como, sua atividade antioxidante e a possível participação dos taninos nesses efeitos citoprotetores. O extrato de E. dysenterica, a carbenoxolona, mas não o extrato de C. pubescens, protegeu a mucosa gástrica de lesões induzidas por HCl/etanol, diminuindo a produção de HCl. O bloqueio de grupamentos - SH por NEM, mas não a inibição da sintase do NO pelo L-NAME, aboliu a atividade gastroprotetora do extrato de E. dysenterica. A presença de taninos no referido extrato foi confirmada pelas análises por MALDI; esses taninos foram identificados pelo padrão de fragmentação (MS/MS) como taninos condensados do tipo-B, com até 11 unidades flavan-3-ol e predominantemente constituídos por procianidinas e prodelfinidinas. Ainda, a remoção parcial de taninos do extrato de E. dysenterica aboliu o efeito citoprotetor do mesmo sobre a mucosa gástrica. Por fim, o extrato de E. dysenterica apresentou uma significativa atividade antioxidante in vitro. Assim, o extrato das folhas de E. dysenterica, mas não o extrato de C. pubescens, possui efeito gastroprotetor, o qual parece estar relacionado à inibição de HCl, à sua atividade antioxidante e aos compostos SH endógenos. Essas ações pleiotrópicas parecem estar estreitamente relacionadas com os taninos condensados presentes no extrato das folhas de E. dysenterica.
Abstract: Eugenia dysenterica and Campomanesia pubescens (Myrtaceae), known in Brazil as cagaita and gabiroba , respectively, have been used by the general populace to treat some gastrointestinal disorders. Considering their folk uses and that many plants of the Myrtaceae family exhibit protective effects toward the gastric mucosa, we applied a taxonomic approach to select the E. dysenterica and Campomanesia pubescens leaf extracts to evaluate their gastroprotective effects. The abilities both extracts and carbenoxolone to protect the gastric mucosa from ethanol/HCl-induced lesions were evaluated in mice. The contributions of nitric oxide (NO), endogenous sulfhydryl (SH) groups and alterations in HCl production to the extract s gastroprotective effect were investigated. We also determined the antioxidant activity of the extract and the possible contribution of tannins to the cytoprotective effects. E. dysenterica extract, carbenoxolone, but not C. pubescens protected the gastric mucosa from ethanol/HCl-induced ulcers and the former also decreased HCl production. The blockage of SH groups by NEM, but not the inhibition of NO synthesis by L-NAME, abolished the gastroprotective action of E. dysenterica extract. Tannins are present in this extract, which was analysed by MALDI; the identified tannins by fragmentation pattern (MS/MS) are condensed, type B with the coupling until eleven flavan-3-ol units and predominantly comprised procyanidin and prodelphinidin. Partial withdraw of tannins from the extract abolished its cytoprotective actions. Finally, the extract exhibits free radical scavenger activity in vitro. Therefore, E. dysenterica, but not C. pubescens leaf extracts has gastroprotective effects that appear linked to the inhibition of HCl production, to its antioxidant activity and to endogenous SH-containing compounds. These pleotropic actions appear strictly related to the condensed tannins contained in the E. dysenterica leaf extracts.
Keywords: Campomanesia pubescens
Gastroproteção
Eugenia dysenterica
Gastroprotection
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::MORFOLOGIA::CITOLOGIA E BIOLOGIA CELULAR
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências Biomédicas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Biologia Celular e Estrutural Aplicadas
Citation: PRADO, Ligia Carolina da Silva. Avaliação da atividade gastroprotetora do extrato aquoso das folhas de Eugenia dysenterica DC. e Campomanesia pubescens O. Berg. 2013. 92 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biomédicas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2013.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12383
Issue Date: 1-Mar-2013
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Biologia Celular e Estrutural Aplicadas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
LigiaCarolina.pdf3.14 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.