Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12365
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Ensinar e aprender em estado de criação: o corpo sensível e cultural no processo de educação do apaeano (Arte Educação na APAE)
metadata.dc.creator: Oliveira, Márcia Souza
metadata.dc.contributor.advisor1: Meira, Renata Bittencourt
metadata.dc.contributor.referee1: Brandão, Carlos Rodrigues
metadata.dc.contributor.referee2: Carneiro, Ana Maria Pacheco
metadata.dc.description.resumo: Esta pesquisa de cunho autobiográfico e performática apresenta meu desvelamento de artista, educadora e mulher. A pesquisa de processual criativo descortina-me e coloca-me visível no espaço da invisibilidade pública. Nesta poética desmascaro-me pela imaginação, imaginário, sonhos, fantasias, pontos cantados da cultura popular, conscientização, expressão corporeomental e escrita das impressões vivenciadas. No processo performático a corporeidade grotesca da não máscara diz da implicação da artista com seu trabalho. A proposta enquanto performance questiona, constrói estética e devolve para o público uma criação artística de inacabamentos. O processual no pessoal é intimista e de entrega do corpo para o chão, despertando diálogo com as energias pessoais e aprofundando a pesquisa num olhar para si mesma (eu mesma). Pelo sensível não movimento no pessoal, no diálogo sincero do eu comigo mesma, libero-me das tensões, nódulos, dores de cabeça, pontos de imobilidade e contusões mentais. É nessa relação de crescimento da mulher e artista que acontece para a educadora o ensinar em estado de criação. Num ir e vir do acadêmico para o institucional o criativo transforma-se pela alteridade com a máscara do teratológico, aqui chamado de malafincado apaeano. Entende-se que o teratológico não tem um rosto nem um corpo belo dentro dos padrões normativos das crianças nas capas das revistas. Sua máscara corporeomental é disforme. O teratológico com o qual dialogamos é o deficiente mental e ou intelectual que estuda em APAE, na cidade do Prata em Minas Gerais, Brasil. O malafincado apaeano não possui status de indivíduo ou povo , por isso está na invisibilidade social, e seu drama não faz rir. No processo educacional, a não máscara, a performance, a relação dialogal, movimento e não movimento foram oportunos para o interativo, com trocas afetivas de conhecimentos. No educacional, o sensível e o cultural facilitaram tanto o aprender quanto o ensinar. E o processual de educação aconteceu pela sensibilização tátil (pés e mãos), pela circularidade do movimento nas danças do cacuriá e na ciranda.
Abstract: This research, with autobiographical and performative character, features my unveiling as artist, educator and wife. The creative procedural research reveals me and shows me as visible in the space of public invisibility. In this poetic, I unmask myself by imagination, imaginary, dreams, fantasies, sung points of popular culture, awareness, corporeomental and written expression of experienced impressions. In the performative process the grotesque embodiment of no mask tells about the implication of the artist with his work. The proposal, as a performance, questions and builds aesthetics and returns to the public a artistic creation of unfinishes. The procedure in personal is intimate and a surrender of the body to the floor, arousing dialogue with the personal energies and deepening research in looking at itself (myself). By means of the sensitive no movement in personal, in sincere dialogue with myself, I release myself of tensions, nodules, headaches, immobility points and mental injuries. In this growth relationship between woman and and artist happens, for the educator, the teaching in a state of creation. In a comes and goes from the academic to the institutional, the creativity changes owing to the otherness with the teratological mask, here called malafincado apaeano. We understand that the teratological don‟t have a beautiful face or body, within the normative standards of children on the covers of magazines. Its corporeomental mask is shapeless. The teratological with which we dialogue is the mental and or intellectual deficiente studying at APAE in the city of Prata, state of Minas Gerais, Brazil. The malafincado apaeano don‟t have individual or people status, therefore is in the social invisibility, and his drama is not funny. In the educational process, the no mask, the performance, the dialogical relationship, motion and no movement were desirable for the interaction, with emotional exchanges of knowledge. In education, the sensitive and the cultural facilitated both the learning and the teaching. And the processual of education happened by tactile awareness (hands and feet), the circularity of movement in Cacuriá dances and ciranda.
Keywords: Performance
Não máscara
Educação
Apaeanos
No mask
Education
Criação (Literária, artística, etc.)
Máscaras
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::ARTES
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Linguística, Letras e Artes
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Artes
Citation: OLIVEIRA, Márcia Souza. Ensinar e aprender em estado de criação: o corpo sensível e cultural no processo de educação do apaeano (Arte Educação na APAE). 2015. 221 f. Dissertação (Mestrado em Linguística, Letras e Artes) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2015.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12365
Issue Date: 31-Mar-2015
Appears in Collections:CPART - Mestrado em Artes

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
EnsinarAprenderEstado.pdf5.99 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.