Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12230
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Caracterização de isolados de Fusarium oxysporum e resistência de genótipos de Passiflora à fusariose
metadata.dc.creator: Teixeira, Letícia Magalhães
metadata.dc.contributor.advisor1: Coelho, Lísias
metadata.dc.contributor.referee1: Tebaldi, Nilvanira Donizete
metadata.dc.contributor.referee2: Lima, Alison Talis Martins
metadata.dc.contributor.referee3: Cardoso, Eliane Ribeiro
metadata.dc.description.resumo: O Brasil é o maior produtor mundial de maracujá, e a podridão do colo do maracujazeiro (Passiflora edulis f. flavicarpa), causada por Fusarium spp., é um dos principais problemas da cultura no Brasil, sendo responsável pelo decréscimo da produtividade. Apesar de no Brasil, o maracujá-amarelo ser propagado predominantemente por via sexual, a utilização de porta-enxertos tolerantes à morte prematura de plantas pode ser uma forma de viabilizar o plantio de maracujazeiros em áreas com histórico da doença. O objetivo do trabalho foi caracterizar os isolados de Fusarium existentes no Triângulo Mineiro e determinar o melhor genótipo a ser utilizado para reduzir as perdas com a doença causada por Fusarium spp. Os isolados de Fusarium sp. foram coletados de plantas com sintomas de lesão vascular, em lavouras comercias de maracujá situadas em Uberlândia, Distrito de Cruzeiro dos Peixotos (Uberlândia), Indianópolis e Prata, MG. O isolamento do fungo foi realizado em BDA e após 10 dias de incubação realizou-se a repicagem em CMA (Corn Meal Agar). O teste de patogenicidade dos isolados foi realizado em mudas de Passiflora edulis aos 45 dias de idade oriundas do Viveiro Flora Brasil. A quantificação da esporulação dos isolados, em 3 diferentes meios, foi determinada através da contagem de conídios na câmara de Neubauer após 10 dias de incubação em extrato de malte 2%, BDA e CMA, em esquema fatorial 4X3 com 5 repetições. As placas de Petri foram incubadas a 22 ± 3ºC e fotoperíodo de 12 horas para crescimento miceliogênico do fungo. A caracterização das estruturas morfológicas dos isolados foi realizada em cultivo mínimo composto pelo meio de Malte a 2% com solo+areia autoclavados na proporção de 1:1. O crescimento micelial de cada isolado foi determinado pelo diâmetro micelial obtido em BDA (Batata Dextrose Agar 39 g L-1), Extrato de malte a 2% e CMA (17 g L-1) aos 10 dias de incubação em um delineamento inteiramente casualizado em arranjo fatorial 4 x 3 com 5 repetições. Cinco dias após a avaliação do crescimento micelial observou-se o aspecto visual das colônias quanto à cor. Três espécies de Passiflora e 2 tipos de mudas foram utilizadas como porta enxerto para avaliar a resistência à fusariose em delineamento de blocos casualizados com quatro repetições em esquema fatorial 3X2 sendo três espécies de Passiflora, Passiflora alata, P. setacea e P. edulis e dois tipos de mudas, pé franco e enxertadas com P. edulis. Todos isolados foram confirmados como fitopatogênicos. O melhor meio para a produção de conídios foi o Extrato de Malte e os isolados mais esporulantes foram LMT01 (AL) e LMT02 (GU). Na caracterização morfológica as colorações dos isolados nos meios de cultura estudados variaram entre branco, rosa e roxo. O BDA foi o pior meio para o crescimento micelial dos isolados apresentando menores médias para o diâmetro de colônia. Apenas LMT02(GU) e LMT04(IN) formaram macro e microconídios. Os formatos, dimensões e número de septos dos macro e microconídios, bem como as características das monofiálides permitiram classificar todos isolados como Fusarium oxysporum f.sp. passiflorae. No campo Passiflora alata e P. setacea usados como porta enxerto para P.edulis, se mostraram mais resistentes à fusariose. Apesar de P.edulis não sobreviver como pé franco, sua utilização como porta-enxerto promoveu, da mesma forma que P.setacea, o maior crescimento dos ramos secundários aos 180 dias após transplante.
Abstract: Brazil is the major passion fruit producer in the world, and collar rot of Passiflora edulis f. flavicarpa, caused by Fusarium spp., is one of the limiting problems of the crop, significantly reducing yield. Although yellow passion fruit is propagated by seeds, the use of rootstocks tolerant to early death could be a management strategy for cultivation in areas with disease history. Thus, this study characterized Fusarium isolates obtained in Triângulo Mineiro and determined the most suitable genotype to use for grafting to reduce losses caused by fusariosis. Fusarium sp. isolates were obtained from symptomatic plants in commercial areas of Uberlândia, District Cruzeiro dos Peixotos (Uberlândia), Indianópolis and Prata, MG. Fungal isolation was done in PDA and 10 days later, mycelial fragments were transferred to CMA (Corn Meal Agar). Patogenicity test was done in 45-days-old Passiflora edulis seedlings. Sporulation in three different growth media was quantified by counting in Neubauer chamber 10 days after transferring mycelial disks to malt extract-agar 2%, PDA and CMA, in a completely randomized design as a factorial 4X3 with five replications. The isolates were incubated in Petri plates at 22 ± 3ºC and 12 hours lighting to stimulate myceliogenic growth. Characterization of morphological structures of isolates was done with minimum cultivation in Malt extract-agar 2% amended with sterilized soil + sand (1:1). Mycleial growth was determined by measuring colony diameter in PDA (Potato Dextrose Agar 39 g L-1), Malt extract Agar 2% and CMA (17 g L-1) 10 days after incubation, as a 4 x 3 factorial, with 5 replications. Five days later the color of the colonies was evaluated. Three Passiflora species and two seedling types were used to evaluate field resistance to fusariosis, in a randomized block design, as a 3X2 factorial, with three Passiflora species (Passiflora alata, P. setacea and P. edulis) and two seedling types (ungrafted or grafted with P. edulis). All isolates obtained were pathogenic to P. edulis. The best medium for conidium production was Malt extract and most sporulating isolates were LMT01 (AL) and LMT02 (GU). Isolate color varied from white to pink to violet. PDA was the the medium that least favored mycelial growth of the isolates. Only LMT02(GU) and LMT04(IN) formed macro and microconidia. Shape, dimensions and septa number of macroconidia and microconidia, as were as the presence of characteristic monophyalides allowed the classification of all isolates as Fusarium oxysporum f.sp. passiflorae. Passiflora alata and P. setacea, used as rootstocks for P. edulis in the field, were resistant to fusariosis. Although ungrafted P. edulis does not survive in areas infested with the pathogen, its use as a rootstock promoted, similarly to P. setacea, greater growth of secondary branches 180 days after transplanting to the field.
Keywords: Passiflora spp.
Fusarium sp.
Enxertia
Grafting
Passiflora
Maracujá - Doenças e pragas
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências Agrárias
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Agronomia
Citation: TEIXEIRA, Letícia Magalhães. Caracterização de isolados de Fusarium oxysporum e resistência de genótipos de Passiflora à fusariose. 2015. 54 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Agrárias) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2015.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12230
Issue Date: 31-Mar-2015
Appears in Collections:PPGA - Mestrado em Agronomia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CaracterizacaoIsoladosFusarium.pdf3.74 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.