Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12142
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Fluxo gênico de soja geneticamente modificada, em semeaduras de verão e de inverno, com isolamentos de soja ou milho
Other Titles: Gene flow of genetically modified soybeans, in summer and winter sowings, with isolations of soybean or maize
metadata.dc.creator: Zanetti, Ana Luísa
metadata.dc.contributor.advisor1: Santana, Denise Garcia de
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Santos, Carlos Machado dos
metadata.dc.contributor.referee1: Arantes, Neylson Eustáquio
metadata.dc.contributor.referee2: Zito, Roberto Kazuhiko
metadata.dc.description.resumo: A soja geneticamente modificada, tolerante ao glifosato, ampliou sua área de cultivo em poucos anos, tornando-se hoje a mais semeada no país. As vantagens da sua utilização são várias frente à soja convencional, o que tem levado os sojicultores a preferi-la. Entretanto, como alguns mercados ainda mostram preferência pela soja não transgênica e sua produção ocorre em áreas menores, há necessidade de se suprir o mercado com sementes convencionais com alta qualidade genética. A contaminação de lotes de sementes convencionais por transgênicas tem ocorrido com alta frequência, em várias etapas da cadeia de produção. Uma das possibilidades é a contaminação via cruzamento natural entre plantas convencionais e transgênicas, em campos de produção de sementes. Diante desta realidade, o trabalho objetivou avaliar a eficiência da utilização de barreiras de isolamento com plantas de soja e de milho, bem como o fluxo gênico de uma cultivar transgênica para uma convencional, em cultivos de verão e de inverno. Foi utilizada a cultivar convencional MG/BR 46 [Conquista] e a transgênica BRS Valiosa RR. Os experimentos de campo constaram da combinação da utilização de dois tipos de isolamento físico (soja e milho) com duas épocas de semeadura (verão e inverno), totalizando quatro experimentos. Eles foram conduzidos na Fazenda Experimental Getúlio Vargas, da EPAMIG, em Uberaba, MG e os de inverno na Fazenda Suçuarana, em São Romão, MG. Os ensaios a campo caracterizaram-se pela semeadura formando um quadrado de 6,5 m de lado com a cultivar transgênica, isolada por todos os lados por 3 m cultivados com plantas de milho ou da própria soja convencional, e ladeados por 8 m de soja convencional. A unidade experimental constou de uma fileira de 6,5 m da cultivar convencional, nas distâncias de 0,5; 1, 2, 4, 6 e 8 m, contados a partir da última linha do isolamento. Das sementes colhidas, 200 g de cada unidade experimental foram utilizados para bioensaio de detecção de soja transgênica no Laboratório de Ensino de Sementes do ICIAG da UFU e o restante foi semeado no campo. Antes do florescimento, as plantas foram dessecadas com glifosato, na dose de 1080g de equivalente ácido (ea) por hectare. As transgênicas remanescentes foram contadas e foi calculada sua freqüência. Para o bioensaio, as sementes foram pré-embebidas em solução de glifosato (0,6% ea), por 16 horas antes do teste de germinação e avaliadas ao 5º dia, determinado-se a freqüência de plântulas normais e anormais. Concluiu-se que: a) a frequência de plantas transgênicas foi mais alta nas semeaduras de inverno que de verão, independentemente da barreira utilizada; b) o fluxo gênico reduziu com o aumento na distância em todos os experimentos; c) a distância de 11 m não foi suficiente para evitar o fluxo gênico e, d) o bioensaio não foi eficiente na quantificação do fluxo gênico.
Abstract: Genetically modified soybean, tolerant to glyphosate, expanded its growing area in few years becoming the most sown in the country. The advantages of its use are many compared to the conventional soybean, which has led soybean farmers to prefer it. However, since some markets still prefer conventional soybean and its production occurs in smaller areas, there is the need to supply the market with high genetic quality seeds. The contamination of conventional seed lots with transgenic seeds has occurred with high frequency, in many stages of the production chain. One of the possibilities is the contamination by natural crossing between conventional plants and transgenic ones, in seed production fields. Therefore, this study evaluated the efficacy of the use of isolation barriers with soybean and maize plants, as well as gene flow of a transgenic cultivar to a conventional one, in summer and winter crops. The cultivars used were conventional MG/BR 46 [Conquista] and transgenic BRS Valiosa RR. The field experiments consisted of the combination of the use of two kinds of physical isolation (soybeans or maize) with two sowing dates (summer and winter), in a total of four experiments. The summer experiments were done at Getúlio Vargas Experimental Farm, of EPAMIG, in Uberaba, MG, and the winter ones at Suçuarana Farm, in São Romão, MG. The field trials were characterized by sowing a 6.5-m-sided square with the transgenic cultivar, isolated on all sides by 3 m cultivated with maize plants or the conventional soybean, and sided by 8 m of conventional soybeans. The experimental unit consisted of a 6.5 m long row of the conventional cultivar, at distances of 0.5, 1, 2, 4, 6 and 8 meters, counted from the last isolation line. The seeds were harvested, and 200 g of each experimental unit were used for transgenic soybean detection bioassay at the Laboratório de Ensino de Sementes of ICIAG, UFU, while the remainder was sown in the field. Before flowering, the plants were desiccated with Roundup (Glyphosate 3 L ha-1). The surviving transgenic plants were counted and their frequency calculated. For the bioassay, the seeds were pre-soaked in a glyphosate solution (0.6% e.a.) for 16 hours before the germination test and evaluated on the 5th day, determining the frequency of normal and abnormal seedlings. It was concluded that: a) the frequency of transgenic plants was greater in winter sowings than in the summer, regardless of the barrier used; b) the gene flow was reduced with increase distance in all of the experiments; c) the 11 m distance was not sufficient to avoid gene flow, and, d) the bioassay was not effective in quantifying the gene flow.
Keywords: Contaminação genética
Transgenia
Bioensaio
Glycine max
Genetic contamination
Transgenic
Bioassay
Soja - Melhoramento genético
Sementes Melhoramento genético
Soja - Semente
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências Agrárias
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Agronomia
Citation: ZANETTI, Ana Luísa. Gene flow of genetically modified soybeans, in summer and winter sowings, with isolations of soybean or maize. 2010. 37 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Agrárias) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2010.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12142
Issue Date: 23-Dec-2010
Appears in Collections:PPGA - Mestrado em Agronomia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Diss Ana.pdf3.62 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.