Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12046
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Aspectos estratégicos da expatriação a partir da abordagem da estratégia como prática social
metadata.dc.creator: Soares, Raquel Santos
metadata.dc.contributor.advisor1: Sá, Raquel Cristina Radamés de
metadata.dc.contributor.referee1: Valadão Júnior, Valdir Machado
metadata.dc.contributor.referee2: Martinelli, Dante Pinheiro
metadata.dc.description.resumo: Neste trabalho parte-se de uma abordagem emergente da estratégia, que a considera uma prática social, para analisar uma prática que tem se tornado comum em empresas localizadas no Brasil a expatriação. Enviar profissionais ao exterior atende a uma necessidade organizacional premente, dado ao fato de que cada vez mais empresas têm-se lançado à expansão internacional de suas operações. Do ponto de vista do indivíduo que se expatria, a experiência no exterior pode assumir diferentes conotações estratégicas , desde o aprimoramento de um idioma à compreensão da diversidade cultural, também valorizada pelas empresas que se internacionalizam. Nos estudos organizacionais, autores da chamada estratégia como prática social têm-se voltado para as ações das pessoas envolvidas no fazer estratégia , ou seja, para o entendimento de como os estrategistas ou praticantes executam a prática de estrategizar , analisando a interação entre eles, e deles com os recursos físicos e sociais - as práticas - disponíveis em um determinado contexto cultural-histórico. Desta forma, o objetivo desta proposta é analisar o papel da prática de expatriação em conciliar aspectos objetivos da empresa que envia o expatriado, e subjetivos, levando em conta os interesses do indivíduo que se expatria. Na abordagem da estratégia como prática social, a prática da estratégia depende de quem são estes estrategistas, não apenas em termos de suas qualificações e experiências profissionais, mas também de experiências pessoais que trazem para desempenhar seus papéis e dos interesses que buscam. O desvendar do campo organizacional e da prática de expatriação se volta para a compreensão dos aspectos objetivos das empresas em enviar profissionais para o exterior; a análise das formas de capital possibilita avançar no entendimento de interesses dos profissionais que promovem a prática, tanto em termos de valorização econômica, cultural e social, quanto dos carregados de valor simbólico. O habitus, por sua vez, revela que há certa intencionalidade recôndita na trajetória dos profissionais entrevistados, que aceitaram como desafio a idéia de viver em outro país, em alguns casos, com sua família. Pelas narrativas realizadas, pode-se verificar que a expatriação se aproxima de uma prática social na medida em que possibilita ao expatriado vivenciar situações únicas, decorrentes de seu contato direto com uma realidade diferente da sua, dando uma nova visão sobre o seu trabalho aqui no Brasil, principalmente quando este continua relacionado à entrega de resultados estratégicos dependentes de operações internacionais. As narrativas foram analisadas pela técnica de Análise Crítica de Discurso, que possibilita ampliar a compreensão das falas dos entrevistados para o querer dizer e até mesmo para o não dizer , revelando o quanto de si mesmos emprestam à execução de uma atividade estratégica para a organização na qual trabalham.
Abstract: This work it based on an emergent approach, in which strategy is considered a social practice, to analyze a practice that has become common in companies located in Brazil - the expatriation. To send professionals abroad respond pressing organizational need - due the fact of that each time more companies have been launched to the international expansion of its operations. From the point of view of the individual who expatriates, the experience in the exterior can assume different "strategic" connotations, from the improvement of a language to the understanding of the cultural diversity, also valued for the companies whom internationalize. In the organizational studies, authors of the strategy as social practice have turned themselves toward the actions of the people involved in "making strategy", or either, for the agreement of as the strategists or practitioners execute the practice of strategizing, analyzing the interaction between them, and of them with the physical and social resources - the practices - available in certain cultural-historic context. The methodological approach for understanding of the objective aspects of the expatriation, on the part of the company, and subjective, on the part of the professional who lives deeply this experience, uses the concepts of field, capital and habitus of Pierre Bourdieu, that it is one of the authors of sociology that had influenced the "practice turn ", this means, a movement for the understanding the practice of the human activities. The objective of this proposal is to analyze the role of the practice of expatriation in conciliating objective aspects of the company who sends the expatriated one, and subjective, leading in account the interests of the individual who expatriates. In the approach of strategy as social practice, the practice of strategy depends on who is these strategists, not only in terms of their qualifications and professional experiences, but also of personal experiences that bring to play their roles and of the interests that they search. Unmasking the organizational field and practical of expatriation return for the understanding of the objective aspects of the companies in sending professionals abroad; the analysis of the capital forms makes possible to advance in the agreement of interests of the professionals who promote this practice, as much in terms of economic, cultural and social valuation, how much of symbolic value. Habitus, in turn, discloses that it has certain recondite intentionality in the trajectory of the interviewed professionals, whom they had accepted as challenge the idea of living in another country, in some cases, with their family. Throughout the narratives, it can be verified that the expatriation approaches to a social practice, once makes possible to the expatriated live deeply exclusive situations, due its direct contact with a different reality, giving a new vision on its work here in Brazil, mainly when this continues related to the delivery of dependent strategic results of international operations. The narratives had been analyzed by the technique of Critical Analysis of Speech, that it makes possible to extend the understanding of interviewed speeches for "the fondness to say even though" and for "not saying", disclosing how much of themselves they loan to the execution of a strategic activity for the organization in which work.
Keywords: Estratégia como prática social
Expatriação
Bourdieu
Strategy as social practice
Expatriation
Desenvolvimento organizacional
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAO
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências Sociais Aplicadas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Administração
Citation: SOARES, Raquel Santos. Aspectos estratégicos da expatriação a partir da abordagem da estratégia como prática social. 2008. 134 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais Aplicadas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2008.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/12046
Issue Date: 18-Jan-2008
Appears in Collections:CPGAD - Mestrado em Administração

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Raquel Santos.pdf770.58 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.