Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/11977
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Resultado econômico da estocagem no âmbito da cafeicultura brasileira
metadata.dc.creator: Silva, Breno Augusto de Oliveira
metadata.dc.contributor.advisor1: Reis, Ernando Antonio dos
metadata.dc.contributor.referee1: Ribeiro, Kárem Cristina de Sousa
metadata.dc.contributor.referee2: Valle, Maurício Ribeiro do
metadata.dc.description.resumo: Dentro do agronegócio brasileiro, o café é um importante item da pauta da produção nacional. Além de ser o maior produtor e exportador mundial, o Brasil é um dos maiores mercados consumidores do produto. Mas a atividade é repleta de riscos e incertezas. A constante oscilação dos preços de mercado do café arábica faz com que os produtores busquem se proteger por meio de alternativas de comercialização que maximizem sua rentabilidade. Uma das estratégias para isso é a manutenção de estoques. O intuito deste trabalho foi apresentar os contrastes e particularidades da abordagem da Gestão Econômica no que se refere à decisão de se manter estoques, em particular, na cafeicultura brasileira. Para isso, propôs-se a evidenciar, em diferentes alternativas de venda do café, o comportamento do resultado econômico da estocagem no âmbito da cafeicultura brasileira nos últimos 8 anos, de 2004 a 2011, com periodicidade mensal, de forma a abranger quatro períodos de safra alta (2004, 2006, 2008 e 2010) e quatro períodos de safra baixa (2005, 2007, 2009 e 2011). A fim de compreender as alternativas de venda mais frequentes e acessíveis para o produtor do café arábica, limitou-se a analisar o intervalo de tempo de 12 meses antes do mês da colheita e 12 meses após. O resultado econômico da estocagem foi analisado à luz da Margem de Contribuição Operacional de Estocagem, segundo os preceitos da abordagem da Gestão Econômica. Os valores obtidos foram analisados separadamente para os anos de safra alta e safra baixa, de modo a verificar o impacto da bienalidade da cultura cafeeira nos resultados econômicos da estocagem. Dentro do intervalo de tempo delimitado, foram identificadas 108 alternativas de venda possíveis para cada ano de safra. Deste total, 13 compreendem modalidades de contrato à vista e 95 de contratos futuros. Apesar de constatada a possibilidade de a estocagem gerar valor econômico ao produtor, não foi possível determinar uma única e melhor alternativa de comercialização do café. O maior resultado econômico da estocagem dependerá do cenário econômico de cada ano. Todavia, foi possível observar momentos de venda mais favoráveis. Para os contratos à vista, os melhores períodos para entrega física do café ocorreram na entressafra, entre o 5º e o 12º mês de estocagem, nas safras altas. Nas safras baixas, a estocagem não apresentou resultados favoráveis para os contratos à vista, o que faz da venda no mês da colheita a melhor alternativa. Para os contratos futuros, o período da entressafra, especificamente 9 e 11 meses de estocagem, foi o melhor período para entrega física nas safras altas. Já para as safras baixas, não houve diferenças significativas entre o período da safra e entressafra. Comparativamente, os resultados econômicos da estocagem nos anos de safra alta foram maiores do que nas safras baixas, tanto para os contratos à vista quanto futuros. Os resultados obtidos demonstram que a decisão de se manter estoques e por quanto tempo mantê-los deve sempre levar em consideração o efeito da bienalidade da cultura cafeeira, já que o comportamento dos valores nas safras altas tende a ser bem diferente do que nas safras baixas.
Abstract: Within the Brazilian agribusiness, coffee is an important item on the national production agenda. Besides being the largest producer and exporter, Brazil is one of the largest consumer markets of the product. But the activity is fraught with risks and uncertainties. The constant fluctuation of market prices of arabica coffee makes producers seek to protect themselves by sales alternatives that maximize their profitability. One strategy for this is to maintain inventories. The purpose of this paper was to present the particularities and contrasts of Economic Management approach regarding the decision to hold inventory, particularly in the Brazilian coffee culture. For this, it was proposed to evidence, in different coffee selling alternatives, the behavior of the economic result of storage within the Brazilian coffee culture in the last 8 years, from 2004 to 2011, monthly, covering, therefore, four periods of high harvests (2004, 2006, 2008 and 2010) and four periods of low harvests (2005, 2007, 2009 and 2011). In order to understand the most frequent and affordable selling alternatives for the producer of arabica coffee, it was analyzed the time period of 12 months before the month of harvest and 12 months after it. The economic result of storage was analyzed in light of the Operational Contribution Margin of Storage, according to the precepts of the Economic Management approach. The values obtained were analyzed separately for the years of high and low harvests, to observe the impact of biannuality of coffee culture in the economic results of storage. Within the time period delimited, 108 possible selling alternatives were identified for each year of harvest. From these, 13 include spot contracts and 95 include future contracts. Although found the possibility of storage generate economic value to the producer, it was not possible to determine a single best coffee selling alternative. The higher economic result of storage will depend on the economic scenario of each year. Nevertheless, it was possible to observe favorable moments for selling the product. For spot contracts, the best periods for physical settlement occurred during the interharvest, between the 5th and 12th month of storage, in high harvests. In low harvests, storage did not show favorable results for spot contracts, which makes the sale in the harvesting month the best alternative, without any storage. For future contracts, the period of the interharvest, specifically 9 and 11 months of storage, was the best period for physical settlement in high harvests. In low harvests, however, there were no significant differences between the period of the harvest and interharvest. Comparatively, the economic results of storage in the years of high harvests were higher than in lower harvests for both spot and future contracts. The results show that the decision to hold inventory and how long to keep them should always take into account the effect of biannuality of the coffee culture, since the behavior of values in high harvests tend to be quite different than in low harvests.
Keywords: Café
Estocagem
Gestão econômica
Resultado econômico
Coffee
Storage
Economic management
Economic result
Café - Comercialização
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAO
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências Sociais Aplicadas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Administração
Citation: SILVA, Breno Augusto de Oliveira. Resultado econômico da estocagem no âmbito da cafeicultura brasileira. 2012. 90 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais Aplicadas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2012.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/11977
Issue Date: 17-Dec-2012
Appears in Collections:CPGAD - Mestrado em Administração

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
d.pdf1.27 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.