Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/11946
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Governança corporativa e valor de instituições financeiras brasileiras
metadata.dc.creator: Lobato, Fernanda Tavares Rezende
metadata.dc.contributor.advisor1: Ribeiro, Kárem Cristina de Sousa
metadata.dc.contributor.referee1: Reis, Ernando Antonio dos
metadata.dc.contributor.referee2: Coaguila, Robert Aldo Iquiapaza
metadata.dc.description.resumo: A separação entre propriedade e controle nas organizações modernas gera conflitos, na medida em que gestores nem sempre agem de acordo com os interesses dos proprietários. A fim de assegurar que seus interesses sejam atendidos por meio da maximização de sua riqueza os proprietários incorrem em custos de monitoramento e controle da gestão. Neste contexto, emerge a governança corporativa como conjunto de mecanismos internos e externos que tem por objetivo o alinhamento de interesses entre gestores e proprietários e o atendimento aos direitos de outros stakeholders, como funcionários e credores. Acredita-se que o alinhamento de interesses afete o valor de mercado das empresas. A relação entre práticas de governança e valor de empresas tem sido alvo de estudos em todo o mundo buscando contribuir para o estabelecimento de diretrizes acerca do tema. Esta dissertação objetiva colaborar com as discussões sobre o tema a partir da investigação da relação existente entre melhores estruturas de governança corporativa, representadas pela adesão aos níveis diferenciados de governança corporativa instituídos pela Bolsa de Valores de São Paulo (BOVESPA), e o valor das instituições financeiras brasileiras. Neste sentido, e levando em conta que os três níveis diferenciados de governança instituídos pela BOVESPA apresentam uma escala crescente de exigências, este estudo partiu do pressuposto de que instituições listadas no nível 1 (nível de menor exigência) apresentassem menor valor de mercado que as empresas financeiras do nível 2, e estas, por sua vez, possuíssem menor valor de mercado que as instituições participantes do novo mercado (nível de maior exigência). A amostra foi composta pelas empresas financeiras que integram o setor financeiro e de seguros do banco de dados Economática, e que aderiram até o ano de 2009 aos níveis diferenciados de governança da BOVESPA. A partir de dados em painel com efeitos fixos para o período de 2007 a 2009, empregou-se o método dos mínimos quadrados ordinários (MQO) robusto à heteroscedasticidade. Como as variáveis de governança deste estudo constituem-se nos níveis diferenciados de governança da BOVESPA, elas se caracterizam como variáveis dummy. Neste caso, o modelo de estimação requer que uma das variáveis seja utilizada como referência. Assim, o modelo desta pesquisa emprega a variável que representa o nível 1 como referência, em termos da qual se verifica o impacto das variáveis dummy nível 2 e novo mercado sobre o valor de mercado das empresas financeiras brasileiras. Os resultados indicaram que há uma relação estatisticamente significativa e negativa entre a variável que representa o nível 2 de governança e o valor de mercado das instituições analisadas. Por outro lado, a variável que representa o novo mercado não apresentou relação estatisticamente significante com as variáveis de valor. Deste modo, não se confirmou o pressuposto teórico de que quanto melhor a estrutura de governança no Brasil, maior o valor da empresa.
Abstract: The separation between ownership and control in modern organizations generates conflicts, as the managers do not always act in accordance with the interests of the propertiers. In order to ensure that their interests be served through the maximization of their wealth, owners incur costs of monitoring and control of management. Therefore, corporate governance emerges as a set of internal and external mechanisms that aims to align the interests of managers and owners and assure the rights of other stakeholders, such as employees and creditors. It is believed that the alignment of interests affects the market value of companies. The relationship between governance practices and the value of companies has been target of studies throughout the world searching to contribute to the establishment of guidelines concerning the subject. This paper aimed to collaborate with the discussions on the issue, investigating the relation existing between better corporate governance structures, represented by the entry into the differentiated levels of corporate governance established by the Stock Exchange of São Paulo (BOVESPA), and the value of the Brazilian financial institutions. In this sense and taking into account that the three differentiated levels of governance established by BOVESPA present a growing scale of requirements, this study hypothesized that institutions listed at level 1 (level of lower requirement) presented lower market value than the financial companies at level 2, and these, in turn, presented lower market value than the participating institutions of the new market (level of highest requirement). The sample was composed of the financial companies that integrate the financial sector and insurance database Economática, and that have acceded until the year 2009 to the differentiated levels of governance of BOVESPA. From panel data with fixed effects for the period of 2007 to 2009, a method of ordinary least squares (OLS) robust to heteroscedasticity was used. As the governance variables of this study were the differentiated levels of governance of BOVESPA, they were characterized as dummy variables. In this case, the estimation model required that one of the variables be used as reference. Thus, the model of this research used the variable that represents the level 1 like reference, in terms of which checks the impact of the variables dummy level 2 and new market on the market value of financial companies in Brazil. The results indicated that there was a statistically significant and negative relation between the variable that represents the level 2 of governance and the market value of the analyzed institutions. On the other hand, the variable that represented the new market did not present statistically significant relationship with the variables of value. Thus, the theoretical assumption that the better the governance structure in Brazil, the greater the value of the company was not confirmed.
Keywords: Níveis de governança
Valor de mercado
Empresas financeiras brasileiras
Corporate governance
Levels of governance
Market value
Brazilian financial companies
Governança corporativa
Bolsa de valores
Instituições financeiras
Valor (Economia)
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAO
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências Sociais Aplicadas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Administração
Citation: LOBATO, Fernanda Tavares Rezende. Governança corporativa e valor de instituições financeiras brasileiras. 2011. 148 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais Aplicadas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2011.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/11946
Issue Date: 15-Feb-2011
Appears in Collections:CPGAD - Mestrado em Administração

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Diss Fernanda.pdf659.03 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.