Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/11941
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Nem tudo são flores nesse mar de rosas: um olhar sobre o Hospital do Câncer de Uberlândia
metadata.dc.creator: Ferreira, Juliene Barbosa
metadata.dc.contributor.advisor1: Valadão Júnior, Valdir Machado
metadata.dc.contributor.referee1: Oliveira, Márcia Freire de
metadata.dc.contributor.referee2: Oliveira, Marilene Olivier Ferreira de
metadata.dc.description.resumo: A cultura organizacional tem sido objeto de estudo de diversas áreas do conhecimento, como a Antropologia, a Sociologia, a Psicologia e, inclusive, a Administração. O interesse pelo tema se acentuou nos anos 1980 e, a partir de então, vários estudos têm sido conduzidos, na expectativa de melhor compreensão do que seja de fato cultura organizacional e como analisá-la. No início dos estudos da Administração voltados para o tema cultura, a maioria se pautava na perspectiva funcionalista, da cultura integradora e gerenciável, analisando apenas os artefatos. No entanto, entende-se que os estudos de cultura não se orientam somente nesta direção. Existem formas diferentes de analisar cultura organizacional, uma delas por meio da Antropologia interpretativa, que considera a cultura como um sistema de signos entrelaçados, utilizando a etnografia para suas análises. O método etnográfico consiste no levantamento de todos os dados possíveis sobre uma determinada comunidade, com a finalidade de melhor conhecer seu estilo de vida ou sua cultura específica. Assim, além de utilizar dos instrumentos da Antropologia para a construção deste trabalho, considerou-se a abordagem dada por Martin (1992, 2002), na qual a autora considera que a análise de cultura deve envolver o que é compartilhado pela organização, portanto, integrador; o que se manifesta em grupos, sendo diferenciador, e, ainda, as manifestações, que são específicas, e portanto, fragmentadas. Considerando esta abordagem, o objetivo geral deste trabalho foi levantar e analisar as manifestações culturais compartilhadas, diferentes e fragmentadas no Hospital, e apresentar os traços culturais regionais que influenciam essas manifestações. Isso foi feito em forma de estudo de caso, realizado no Hospital do Câncer em Uberlândia, utilizando-se de observação, caderno de campo e entrevista semiestruturada para coleta de dados. As manifestações culturais deram origem às categorias de análise: a) Busca por uma identidade como Hospital do Câncer; b) Preocupação com a saúde, com a integridade e com o bem-estar do paciente; c) Altruísmo; d) Relações de Poder e; e) Cumprimento de Regras e Normas. As três primeiras categorias foram associadas à perspectiva da integração, uma vez que perpassam qualquer formação de grupos, sendo comuns a toda organização. As duas últimas categorias são diferenciadoras e fragmentadas em alguns casos. As relações de poder apresentam manifestações culturais que acontecem em grupos específicos, sendo, portanto, diferenciadoras. Por outro lado, houve manifestação fragmentada, considerado na categoria de relação de poder, o assédio moral. Já a categoria de Cumprimento de Regras e Normas é diferenciada, uma vez que cada grupo empregador possui um comportamento distinto dentro da organização. Cada uma dessas categorias está relacionada aos traços da cultura nacional e regional, como hospitalidade, devoção religiosa, hábito de servir comida, perfil de elite, o jeitinho brasileiro , a valorização das relações. Isso corrobora o nosso posicionamento de que existem manifestações de integração, diferenciação e fragmentação, que estão diretamente relacionadas aos traços culturais, inclusive no caso do HCa.
Abstract: Organization culture has been studies by distinct knowledge areas, such as Anthropology Sociology, Psychology and even Administration. The interest on this subject increased in the eighties and a lot of studies have been conducted, in order to understand better what organization culture really is and how it can be analyzed. However, few of those studies have been indeed concerned to understand how is the organization, what it does, how its members behave. Most of them are based on functionalist approach of an integrative and manageable culture, and they analyze only the artifacts. Nevertheless, one understand that culture studies are not are not directed only in that direction, but there are different ways to analyze organization culture, such as Interpretative Anthropology, which considers culture as an interlocking signs system. Ethnographic method consists on the survey of all possible data about a particular community, in order to know better its lifestyle or its specific culture. Sothat, besides using Interpretative Anthropology to build this search, one considered the ideas from Martin (1992, 2002). This author points that culture analysis must involve what is shared by the organization (integrator); what is manifested in groups (differentiator) and also the specific manifestations (fragmented). Based on this approach, this study aims to analyze shared, different and fragmented culture manifestations in the Hospital and show cultural regional traces that influence these manifestations. This was done as a case study in Uberlandia Cancer Hospital, using ethnography and semi-structured interview for data collection. These cultural manifestations raised the analysis categories: a) searching an identity as a Cancer Hospital; b) Concerning to patient health, integrity and well being; c) altruism; d) Power relationship; and e) Rules and Norms accomplishment. The first three categories were associated to integration approach, because they overpass any group formation and are common to any organization. The two are further differentiating and fragmented in some cases. Power relationship shows cultural expressions in specific groups, so they are differentiating. On the other hand there was fragmented manifestation considering power relation as bullying. The category Rules and Norms accomplishment is differentiated, because each employer group behaves in a different way within the organization. Each category is related to national and regional cultural traces, such as hospitality, religion devotion, habit of serving food, elitism, the Brazilian jeitinho and the valorization of relationship. This confirms our position that there are expressions of integration, differentiation and fragmentation which are directly related to cultural traces in HCa.
Keywords: Cultura organizacional
Cultura regional
Serviço público
Terceiro setor
Organization culture
Regional culture
Public service
Third sector
Hospitais - Administração
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAO
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências Sociais Aplicadas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Administração
Citation: FERREIRA, Juliene Barbosa. Nem tudo são flores nesse mar de rosas: um olhar sobre o Hospital do Câncer de Uberlândia. 2010. 148 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais Aplicadas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2010.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/11941
Issue Date: 31-May-2010
Appears in Collections:CPGAD - Mestrado em Administração

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Diss Juliene.pdf6.21 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.