Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/11825
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Mito e cultura na narrativa etnográfica
metadata.dc.creator: Schroden, Juliana Vittorazze
metadata.dc.contributor.advisor1: Tollendal, Eduardo José
metadata.dc.contributor.referee1: Alem, Joao Marcos
metadata.dc.contributor.referee2: Leite, Mário Cezar
metadata.dc.description.resumo: Quem é aquele que observa e narra o modo de vida do outro? Será este outro tão diferente de si, mesmo tendo raízes tão próximas? As narrativas etnográficas antropológicas e ficcionais, tais como Nove Noites, de Bernardo Carvalho e O Falador, de Mario Vargas Llosa, retratam percepções diferentes do imaginário da personagem urbana, em contato com sociedades indígenas. Enquanto O Falador apresenta um judeu residente no Peru que renega a herança religiosa familiar e adota a crença indígena, dos Machiguengas, cuja concepção de mundo é baseada em mitos como o único meio viável de se viver em sociedade, Nove Noites traz um narrador brasileiro que se choca com os costumes da nação Krahô, no Mato Grosso, sendo esta observada por ele durante todo o período de convivência e interação. É a partir dessas duas perspectivas literárias que se realiza a seguinte análise a respeito dos mitos, da cultura e do olhar do narrador não-indígena em contato com povos nativos. Por meio de textos teóricos literários e antropológicos, como os estudos de Diana Klinger e Maria José de Queiroz, procuraremos desvelar seus encontros, desencontros e reencontros culturais presentes em um mesmo universo: a América-latina moderna e contemporânea, pós-colonizada e subdesenvolvida em busca de uma identidade própria e descobrindo na própria cultura ora a referência perdida, ora o motivo da sua condição de ex-colônia. Que narrador é esse que sai de seu contexto urbano e culturalmente influenciado pelas ideias díspares e se embrenha na mata nativa em busca de um contato com uma civilização aparentemente tão diferente da sua? O que ele busca? Quem ele encontra? Quem ele se torna após esse encontro? Questões como essas são levantadas e analisadas neste trabalho em que buscamos trazer um pouco mais de proximidade entre narrador e personagens em meio a todo o conflito presente em ambas as ficções etnográficas aqui abordadas.
Abstract: Who is the one that observes and narrates the life of another mode? Is this one so different from each other, even getting roots so close? The anthropological and ethnographic narrative fiction, such as Nine Nights, by Bernardo Carvalho and The Speaker, by Mario Vargas Llosa, portray different perceptions of the imaginary character of urban, in contact with indigenous societies. While The Speaker presents a jewish resident in Peru who renounces familiar religious heritage and adopts the indian belief, of the Machiguengas, whose worldview is based on myths as the only viable means of living in society, Nine Nights presents a brasilian narrator that collides with the customs of the nation Krahô, Mato Grosso, which is observed by him during the whole period of coexistence and interaction. It is from these two literary perspective which takes place the following analysis about the myths, culture and the non-indigenous narrator‟s view in contact with native peoples. Through literary theoretical and anthropological texts, such as the studies of Diana Klinger and Maria José de Queiroz, we‟ll try to reveal their encounters, misunderstandings and cultural encounters present in the same universe: the Latin-American modern and contemporary, post-colonized and underdeveloped in search of their own identity and discovering on your own culture sometimes its reference, sometimes the reason of their status of former colony. Which narrator is the one that comes out of its urban context and culturally influenced by the disparate ideas and gets entangled in the native forest in search of a contact with a civilization apparently so different from yours? What he seeks? Who is he? Who gets it after this meeting? Such issues are raised and analyzed in this study we seek to bring a little more proximity between narrator and characters in the midst of all conflict present in both ethnographic fictions discussed here.
Keywords: Etnografia
Ficção etnográfica
Narrator
Indigenous
Ethnography
Ethnographic fiction
Literatura - História e crítica -Teoria
Carvalho, Bernardo, 1960- - Nove noites - Crítica e interpretação
Vargas Llosa, Mario, 1936- - O falador - Crítica e interpretação
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LETRAS
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Linguística, Letras e Artes
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Letras
Citation: SCHRODEN, Juliana Vittorazze. Mito e cultura na narrativa etnográfica. 2011. 81 f. Dissertação (Mestrado em Linguística, Letras e Artes) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2011.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/11825
Issue Date: 25-Mar-2011
Appears in Collections:PGLETRAS - Mestrado em Teoria Literária

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
d.pdf950.05 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.