Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/29536
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorSilva, Gabriella Teixeira-
dc.date.accessioned2020-07-21T18:16:18Z-
dc.date.available2020-07-21T18:16:18Z-
dc.date.issued2019-06-14-
dc.identifier.citationSILVA, Gabriella Teixeira. Amplitude de movimento de dorsiflexão do tornozelo não está relacionado ao controle postural dinâmico em indivíduos com Instabilidade Crônica de Tornozelo. 2019. 14 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Fisioterapia) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2020.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufu.br/handle/123456789/29536-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal de Uberlândiapt_BR
dc.rightsAcesso Embargadopt_BR
dc.subjectControle postural dinâmicopt_BR
dc.subjectInstabilidade Crônica de Tornozelopt_BR
dc.subjectDorsiflexão de tornozelopt_BR
dc.titleAmplitude de movimento de dorsiflexão do tornozelo não está relacionado ao controle postural dinâmico em indivíduos com Instabilidade Crônica de Tornozelopt_BR
dc.title.alternativeAnkle dorsiflexion range of motion is not related to dynamic postural control in individuals with chronic ankle instability.pt_BR
dc.typeTrabalho de Conclusão de Cursopt_BR
dc.contributor.advisor1Felicio, Lilian Ramiro-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/5721303841655608pt_BR
dc.description.degreenameTrabalho de Conclusão de Curso (Graduação)pt_BR
dc.description.resumoIntrodução: A reduzida amplitude de movimento (ADM) de dorsiflexão (DF), ocasionando o mau alinhamento articular, e associado ao pobre controle postural dinâmico, parece induzir a entorses recorrentes, podendo contribuir para o desenvolvimento da instabilidade crônica de tornozelo (ICT). Objetivo: verificar o nível de correlação do desempenho do Y-Balance Test (YBT) e da ADM de DF em indivíduos fisicamente ativos com e sem instabilidade crônica de tornozelo (ICT). Metodologia: Foram avaliados 36 voluntários fisicamente ativos com ICT, classificados por meio do Identification of Functional Ankle Instability (IdFAI) e 29 indivíduos saudáveis ativos sem histórico de entorses no tornozelo. Ambos os grupos realizaram três repetições do YBT e três repetições do lunge test (aplicativo iHandy Level) para avaliar a ADM de DF. Foram computadas para análise, as médias das três repetições de cada teste. Para determinar o nível de correlação, foi utilizado o teste de correlação de Pearson (r) entre ADM e o desempenho no YBT. A comparação entre os grupos foi realizada por meio do teste t-student para medidas independentes, adotado o nível de significância de p ≤ 0,05 para ambos os testes. Resultados: não foram observados correlação entre ADM de DF e o desempenho do YBT em todas as direções, tanto no grupo controle quanto no grupo com ICT. Conclusão: Não foram encontradas relações entre o desempenho no YBT a ADM de DF em ambos os grupos.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.courseFisioterapiapt_BR
dc.sizeorduration14pt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS DA SAUDEpt_BR
Appears in Collections:TCC - Fisioterapia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AmplitudeMovimentoDorsiflexão.pdf540.4 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.