Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/25738
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorOliveira, André Ferreira de Castro-
dc.date.accessioned2019-07-04T15:26:50Z-
dc.date.available2019-07-04T15:26:50Z-
dc.date.issued2019-06-28-
dc.identifier.citationOLIVEIRA, André Ferreira de Castro. Caracterização morfofisiológica foliar em duas espécies de lianas: Fridericia florida (DC.) L.G.Lohmann, e Banisteriopsis argyrophylla (A. Juss.) B. Gates, em um fragmento de floresta estacional semidecidual. 2019. 35 f. Dissertação (Mestrado em Biologia Vegetal) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2019. Disponível em: http://dx.doi.org/10.14393/ufu.di.2019.2062.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufu.br/handle/123456789/25738-
dc.description.abstractLianas are a diverse group of plants that are mainly distributed in the tropics and play an important role in the forests dynamics. The semideciduous seasonal forests, a phytophysiognomy characterized by a high abundance of lianas, have marked seasonality, presenting a dry and another rainy season. Because they are commonly found in the borders or in clearings of forest fragments, it is suggested that the lianas are heilophytes, but there are still few studies on its ecophysiology. Due to the fact that they are of great importance in the context of the fragmentation of the cerrado biome, the understanding of the physiology of the lianas is necessary. The present study aimed to characterize the photosynthetic activity, as well as characterize some leaf morphological attributes, in two species of lianas of a semidecidual seasonal forest fragment in the Uberlândia-MG region, during different periods of the dry season, one at the beginning, and another at the peak of the season. The species chosen were Banisteriopsis argyrophylla and Fridericia florida. For this, leaf gas exchanges, chlorophyll fluorescence and water potential of xylem (Ψw) were measured during April, June and August 2018. In addition, it was measured the leaf area (LA), the specific leaf area (SLA) and the relative water content (RWC) in July and December 2018, representing the dry and the rainy season, respectively. At the end of the dry season, when compared to the beginning of the dry season, there was a clear reduction in stomatal conductance. The lower opening of the stomatal pore resulted in reductions in CO2 net assimilation (A) and transpiration (E) of the two species. Water use efficiency values remained relatively stable even at the end of the dry season when Ψw and relative humidity (RH) were lower. The potential quantum yield (Fv/Fm) pointed to a dynamic photoinhibition, since the two species presented a depression of the Fv/Fm ratio close to midday with recovery at the end of the day. The effective quantum yield (ΔF/Fm’) indicated that the two species followed the tendency to adjust to the prevailing conditions. The difference in seasonality was also evidenced by the leaf attributes. The values of leaf area (LA), specific leaf area (SLA) and relative water content (RWC) were significantly higher in the rainy season, when compared to the dry season. The Falker chlorophyll index indicated a significant difference only in chlorophyll a in B. argyrophylla, which presented a slightly lower value in the dry season when compared to rainy season. The data obtained suggest that the lianas studied have mechanisms of protection against damage in photosystem II (PS II) and tolerance to water scarcity, once they showed recovery of the photoinhibition, and maintained relatively high net CO2 rates even at the end of the dry season resulting in water use efficiency (A/E) stability.pt_BR
dc.description.sponsorshipCAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superiorpt_BR
dc.description.sponsorshipFAPEMIG - Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Minas Geraispt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal de Uberlândiapt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/us/*
dc.subjectConteúdo relativo de águapt_BR
dc.subjectTrocas gasosaspt_BR
dc.subjectTrepadeiraspt_BR
dc.subjectSazonalidadept_BR
dc.subjectFluorescência da clorofilapt_BR
dc.subjectFotoinibiçãopt_BR
dc.subjectStatus hídricopt_BR
dc.subjectTaxa de fotossíntesept_BR
dc.titleCaracterização morfofisiológica foliar em duas espécies de lianas: Fridericia florida (DC.) L.G.Lohmann, e Banisteriopsis argyrophylla (A. Juss.) B. Gates, em um fragmento de floresta estacional semidecidualpt_BR
dc.title.alternativeLeaf morphophysiological characterization in two species of lianas: Fridericia florida (DC.) L.G.Lohmann, and Banisteriopsis argyrophylla (A. Juss.) B. Gates, in a semi-deciduous seasonal forest fragmentpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.contributor.advisor1Sanches, Maria Cristina-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/8603925297194645pt_BR
dc.contributor.referee1Sanches, Maria Cristina-
dc.contributor.referee2Almeida, Julieta Andrea Silva de-
dc.contributor.referee3Gonçalves Rodrigues Jr., Ailton-
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/2579834719273764pt_BR
dc.description.degreenameDissertação (Mestrado)pt_BR
dc.description.resumoLianas são um grupo diverso de plantas que se distribui principalmente nos trópicos e desempenham um importante papel na dinâmica das florestas. As florestas estacionais semideciduais, fitofisionomia caracterizada por uma alta abundância de lianas, possuem marcada sazonalidade, apresentando uma estação seca e outra chuvosa. Pelo fato de serem comumente encontradas nas bordas ou em clareiras de fragmentos florestais, sugere-se que as lianas são heliófitas, porém ainda há poucos trabalhos sobre sua ecofisiologia. Devido ao fato de apresentarem grande importância no contexto da fragmentação do bioma cerrado, o entendimento da fisiologia das lianas se faz necessário. O presente estudo teve como objetivo caracterizar a atividade fotossintética durante diferentes períodos da estação seca, sendo um no início, e outro no auge da estação. Também objetivou-se caracterizar atributos morfológicos foliares em duas espécies de lianas de um fragmento de floresta estacional semidecidual na região de Uberlândia-MG. As espécies escolhidas foram Banisteriopsis argyrophylla e Fridericia florida. Para isso foram medidas as trocas gasosas, a fluorescência da clorofila e o potencial hídrico do xilema (Ψw), durante os meses de abril, junho e agosto de 2018. Adicionalmente foram mensuradas a área foliar (AF), área foliar específica (AFE) e o conteúdo relativo de água (CRA) nos meses de julho e dezembro de 2018, representando estação seca e chuvosa, respectivamente. Ao final da estação seca, se comparado com o início da mesma, observou-se nítida redução da condutância estomática. A menor abertura do poro estomático ocasionou consequentes reduções na assimilação líquida de CO2 (A) e na transpiração (E) das duas espécies. Os valores da eficiência do uso da água se mantiveram relativamente estáveis mesmo ao final da estação seca, quando o Ψw e a umidade relativa do ar (UR) foram menores. O rendimento quântico potencial (Fv/Fm) apontou para um quadro de fotoinibição dinâmica, uma vez que as duas espécies apresentaram depressão da razão Fv/Fm ao meio dia com recuperação ao final do dia. O rendimento quântico efetivo (ΔF/Fm’) apontou que as duas espécies seguiram a tendência de se ajustarem às condições prevalecentes. A diferença na sazonalidade ficou evidenciada também pelos atributos foliares. Os valores da área foliar (AF), área foliar específica (AFE) e o conteúdo relativo de água (CRA) foram significativamente maiores na estação chuvosa, se comparado com a estação seca. O índice de clorofila Falker indicou diferença significativa somente na clorofila a em B. argyrophylla que apresentou um valor ligeiramente menor na estação seca, se comparada à chuvosa Os dados obtidos sugerem que as lianas estudas possuem mecanismos de proteção contra danos no fotossistema II (PS II) e de tolerância à escassez de água, uma vez que apresentaram recuperação da fotoinibição, mantiveram relativamente altas as taxas líquidas de CO2 mesmo ao final da estação seca resultando em estabilidade da eficiência do uso da água (A/E).pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Biologia Vegetalpt_BR
dc.sizeorduration42pt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::BOTANICA::FISIOLOGIA VEGETAL::ECOFISIOLOGIA VEGETALpt_BR
dc.identifier.doihttp://dx.doi.org/10.14393/ufu.di.2019.2062pt_BR
dc.orcid.putcode59173297-
dc.crossref.doibatchidpublicado no crossref antes da rotina xml-
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Biologia Vegetal

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CaracterizaçãoMorfofisiológicaFoliar.pdf1.3 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons