Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/24891
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorMaravalhas, Jonas Brochado-
dc.date.accessioned2019-04-16T19:04:11Z-
dc.date.available2019-04-16T19:04:11Z-
dc.date.issued2018-02-26-
dc.identifier.citationMARAVALHAS, Jonas Brochado. Diversidade de formigas de solo no Cerrado: determinantes hierárquicos entre escalas espaciais. 2018. 118 f. Tese (Doutorado em Ecologia e Conservação de Recursos Naturais) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2018. Disponível em: http://dx.doi.org/10.14393/ufu.te.2019.1217.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufu.br/handle/123456789/24891-
dc.description.abstractTo understand why certain regions differ in the number and identity of occurring species is one of the major goals in ecology and biogeography, representing both a theoretical challenge and an urgent conservation need. This thesis aims at studying the patterns of diversity (alpha) and dissimilarity (beta) of ground-dwelling ants in the Cerrado savannas. These patterns were analyzed at different spatial scales, since the assembly of communities depend on ecological and evolutionary factors that operate at hierarchical spatial and temporal scales. In the first chapter of this thesis the species density and diversity (abundance-independent) were calculated at four spatial scales and then modelled by factors related to one of four general hypotheses: i) species-energy; ii) heterogeneity; iii) geographical/historical factors; and iv) local factors. The results show that localities with higher net primary productivity (species-energy hypothesis) are associated to higher diversity of species, since favorable climate lead to lower rates of local extinctions and, thus, more species in the regional banco. On the other hand, the species in the banco are filtered by edaphic characteristics (local factors hypothesis) that control ant abundances. In the second chapter the patterns of compositional dissimilarity (beta diversity) and its components of turnover (species replacement) and nestedness (dissimilarity due to richness differences) were analyzed across five spatial scales that vary in terms of spatial grain (spatial resolution of the sampling unit) and extent (spatial dispersion of samples). The patterns found were then related, in each scale, to five environmental factors: i) species banco sizes; ii) heterogeneity in topography; iii) heterogeneity in the structure of the vegetation; iv) presence of closed habitat vegetation; and v) sand content in the soil. As expected, beta diversity was highest at the smallest spatial scale and decreased with increasing scale, showing a further increase at the largest spatial scale. More species in the regional banco resulted in lower nestedness and higher turnover, the latter being also negatively affected by the amount of sand in the soil. The influence of these factors, however, reduced with increasing scale, being accompanied by an increase in the importance of heterogeneity in vegetation structure. This point to a greater importance of species sorting processes at larger spatial scales. The studies of the present thesis demonstrate the importance of incorporating spatial scale in the analysis of biodiversity patterns, since scale determine the relative importance of the ecological and evolutionary factors that generate these patterns. Understanding how these factors interact is, thus, fundamental to appropriately design conservation strategies that counter the effects of the global biodiversity crisis.pt_BR
dc.description.sponsorshipCAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superiorpt_BR
dc.description.sponsorshipCNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológicopt_BR
dc.description.sponsorshipUFU - Universidade Federal de Uberlândiapt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal de Uberlândiapt_BR
dc.rightsAcesso Embargadopt_BR
dc.subjectMacroecologiapt_BR
dc.subjectEcologiapt_BR
dc.subjectCerradospt_BR
dc.subjectBiogeografiapt_BR
dc.subjectFormigapt_BR
dc.subjectCerradopt_BR
dc.subjectBiogeografiapt_BR
dc.subjectTrocapt_BR
dc.subjectAninhamentopt_BR
dc.subjectAlfa e beta diversidadept_BR
dc.subjectComunidades de formicidaept_BR
dc.subjectGradiente latitudinal de diversidadept_BR
dc.subjectMacroecologypt_BR
dc.subjectBiogeographypt_BR
dc.subjectLatitudinal gradient in diversitypt_BR
dc.subjectFormicidae communitiespt_BR
dc.subjectAlpha and beta diversitypt_BR
dc.subjectSpecies turnoverpt_BR
dc.subjectNestednesspt_BR
dc.titleDiversidade de formigas de solo no Cerrado: determinantes hierárquicos entre escalas espaciaispt_BR
dc.title.alternativeGround-dwelling ant diversity in the Cerrado: hierarchical drivers across spatial scalespt_BR
dc.typeTesept_BR
dc.contributor.advisor1Vasconcelos, Heraldo Luis de-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/1962867485120733pt_BR
dc.contributor.referee1Campos, Ricardo Ildefonso de-
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/4480079684936769pt_BR
dc.contributor.referee2Solar, Ricardo Ribeiro de Castro-
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/9924177207371692pt_BR
dc.contributor.referee3Tôrres, Natália Mundim-
dc.contributor.referee3Latteshttp://lattes.cnpq.br/8182179698427525pt_BR
dc.contributor.referee4Moura, Mario Ribeiro de-
dc.contributor.referee4Latteshttp://lattes.cnpq.br/5336500595805051pt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/5829082095780090pt_BR
dc.description.degreenameTese (Doutorado)pt_BR
dc.description.resumoCompreender por que determinadas regiões diferem em número e identidade de espécies é um dos principais objetivos da ecologia e biogeografia, representando tanto um desafio teórico como uma urgente necessidade na biologia da conservação. Esta tese tem por objetivo estudar os padrões de diversidade (alfa) e de dissimilaridade (beta) de formigas de solo no Cerrado. Estes padrões foram analisados em diferentes escalas espaciais, pois a montagem de comunidades depende de fatores ecológicos e evolutivos que operam em escalas espaço-temporais hierárquicas. No primeiro capítulo desta tese a densidade de espécies e a diversidade (independente da abundância) foram calculadas em quatro escalas espaciais, sendo então modeladas por fatores que remetem a uma dentre quatro hipóteses: i) espécies-energia; ii) heterogeneidade; iii) fatores históricos e geográficos; e iv) fatores locais. Os resultados mostram que locais com maior produtividade primária (hipótese de espécies-energia) estão associados a uma maior diversidade de espécies, pois climas favoráveis levam a menores taxas de extinção e, logo, a um maior banco regional. Os resultados indicam ainda que as espécies do banco são possivelmente filtradas por características do solo (hipótese de fatores locais), por meio de um controle da abundância de formigas. No segundo capítulo foi analisada a dissimilaridade composicional (beta diversidade) e seus componentes de troca (substituição de espécies entre amostras) e aninhamento (mudança composicional devido a diferenças de riqueza). Estas métricas foram calculadas em cinco escalas que variam em termos de grão (resolução da unidade amostral) e extensão (dispersão espacial das amostras). Os padrões encontrados foram relacionados, em cada escala, a cinco fatores: i) diferenças no banco de espécies; ii) heterogeneidade topográfica; iii) heterogeneidade da estrutura da vegetação; iv) presença de vegetação densa; e v) quantidade de areia no solo. Conforme esperado a beta diversidade (e seus componentes) foi maior em escalas espaciais menores, diminuindo em escalas intermediárias; inesperadamente, porém, os valores aumentaram novamente na maior escala. Maiores bancos de espécies resultaram em menor aninhamento e maior troca, esta também sendo negativamente afetada pela quantidade de areia no solo. A influência do banco de espécie de formigas de solo, no entanto, diminuiu com o aumento da escala, e a heterogeneidade da vegetação foi o principal determinante dos padrões de troca e aninhamento em maiores escalas, indicando uma maior importância de processos de alocação de espécies. Os estudos que compõem esta tese mostram a importância de considerar a escala espacial ao analisar padrões de biodiversidade, já que ela determina a importância relativa dos fatores ecológicos e evolutivos que geram esses padrões. Compreender como diferentes fatores interagem através de escalas é, portanto, fundamental para que medidas eficazes de conservação sejam aplicadas para remediar a crise global de biodiversidade.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Ecologia e Conservação de Recursos Naturaispt_BR
dc.sizeorduration118pt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::ECOLOGIApt_BR
dc.identifier.doihttp://dx.doi.org/10.14393/ufu.te.2019.1217pt_BR
dc.crossref.doibatchidpublicado no crossref antes da rotina xml-
Appears in Collections:TESE - Ecologia e Conservação de Recursos Naturais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
FormigasSoloCerrado.pdf
  Until 2021-04-16
Tese3.57 MBAdobe PDFView/Open    Request a copy


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.