Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/24697
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorAndrade, Silvia Taveira-
dc.date.accessioned2019-03-26T20:10:28Z-
dc.date.available2019-03-26T20:10:28Z-
dc.date.issued2018-05-03-
dc.identifier.citationANDRADE, Silvia Taveira. Manobras de hiperinsuflação mecânica e peep zeep: efeitos hemodinâmicos. 2018.12 f. Trabalho de Conclusão de Residência (Especialização em Atenção ao Paciente em Estado Crítico) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2018.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufu.br/handle/123456789/24697-
dc.description.sponsorshipUFU - Universidade Federal de Uberlândiapt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal de Uberlândiapt_BR
dc.rightsAcesso Embargadopt_BR
dc.subjectFisioterapiapt_BR
dc.subjectPhysiotherapypt_BR
dc.subjectUnidade de Terapia Intensivapt_BR
dc.subjectIntensive care unitpt_BR
dc.subjectVentilação Pulmonarpt_BR
dc.subjectPulmonary Ventilationpt_BR
dc.titleManobras de hiperinsuflação mecânica e peep zeep: efeitos hemodinâmicospt_BR
dc.typeTrabalho de Conclusão de Residênciapt_BR
dc.contributor.advisor1Carvalho, Eliane Maria de-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/6504439416476834pt_BR
dc.contributor.referee1Pulici, Érica Carolina Campos-
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/6397869831185219pt_BR
dc.contributor.referee2Ronchi, Carlos Fernando-
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/0383901999382484pt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/7489452130096002pt_BR
dc.description.resumoNa Unidade de Terapia Intensiva (UTI) é comum o uso de ventilação mecânica (VM) por incapacidades ventilatórias, o que ocasiona déficit da higiene brônquica (HB). Objetivo: Avaliar os efeitos hemodinâmicos causados por duas manobras de HB. Método: Ensaio clínico controlado, randomizado, cruzado e prospectivo, realizado na UTI do Hospital de Clínicas de Uberlândia, com 18 indivíduos intubados, em modo controlado e com PEEP ≤12cmH2O. Denominamos GI para indivíduos com lesão neurológica e GII, para indivíduos sem lesão neurológica. Manobras aplicadas: hiperinsuflação pulmonar com ventilador mecânico (HM) e PEEP ZEEP (PZ). Registramos pressão arterial (PA), saturação periférica de oxigênio (SpO2) e frequência cardíaca (FC), antes (pré), imediatamente após (imed. após) e 10 minutos (10‘) após as manobras. Resultados: A FC no GI aumentou nos momentos pré e imed. após (p=0,047), entre o pré e 10’ após (p=0,013) pela PZ. O GII não produziu alteração estatística. Quando comparado os momentos entre as manobras, elevou-se a FC entre o pré e imed. após a PZ (p=0,016). A SpO2 no GI apresentou-se alterada na PZ, houve redução significativa entre o pré e imed. após (p=0,038). No GII não houve diferença. A PA diastólica (PAD) e média do GI teve alterações imed. após (p=0,039) e 10’ após (p=0,020) em relação ao inicial à PZ. No GII a PAD apresentou alteração entre o pré e imed. após a HM (p=0,050). A PAD no pré entre as duas manobras também foi diferente (p=0,031). Conclusão: Ambas manobras geram alterações, entretanto, mais frequentes e significativas na manobra de PZ.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.courseResidência Ciências da Saúdept_BR
dc.sizeorduration12pt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS DA SAUDEpt_BR
Appears in Collections:TCR - Ciências da Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ManobrasHiperinsuflacaoMecanica.pdf242.05 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.