Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17261
metadata.dc.type: Dissertação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Title: Violência conjugal : estudo sobre a permanência da mulher em relacionamentos abusivos
metadata.dc.creator: Marques, Tania Mendonça
metadata.dc.contributor.advisor1: Coleta, Marilia Ferreira Dela
metadata.dc.contributor.referee1: D'amorim, Maria Alice Magalhães
metadata.dc.contributor.referee2: Pagotti, Antônio Wilson
metadata.dc.description.resumo: Este trabalho foi desenvolvido em duas fases. A primeira teve como objetivo caracterizar as mulheres que sofrem violência conjugal e seus parceiros agressores e determinar a prevalência das diferentes queixas, tipos de violência e incidência penal. Para cumprir a primeira etapa, foi realizado um levantamento nos arquivos da Delegacia da Mulher Adida ao Juizado Especial Criminal e do Juizado Especial Criminal de Uberlândia. Foram examinados 876 registros encontrados nos Boletins de Ocorrência (BO) no primeiro semestre de 2004, e 390 casos em andamento nos Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCO), no período de janeiro de 2003 a maio de 2004. A análise dos resultados demonstrou que a idade média das mulheres foi de 30,8 anos e de 32,31, respectivamente para BO e TCO, sendo que entre amásias e ex-amásias encontra-se a maior concentração de mulheres vítimas de violência conjugal. As mulheres residem em diferentes bairros de Uberlândia e suas ocupações variam de desempregadas e do lar até empresárias e profissionais liberais. A prevalência das queixas nos TCOs foi fim de relacionamento, e nos BOs foi motivos fúteis, seguido por ausência de motivos. A ameaça à integridade física foi o mais freqüente crime denunciado, tanto nos registros dos BOs quanto nos registros dos TCOs, respectivamente denominados, descrição da violência e incidência penal. As denúncias de violência conjugal ocorreram para casais cujo relacionamento variaram de um mês até 40 anos de vida em comum. A maior incidência de BOs ocorreu com uma periodicidade de sete dias, revelando especificamente alta taxa de violência nos finais de semana. Observou-se uma maior prevalência de ameaças devido à não aceitação do fim de relacionamento, o que evidencia que é altamente justificado o temor de se romper uma relação conjugal violenta. Na segunda fase da pesquisa, foram avaliadas as atribuições causais para o primeiro e o último episódio de violência em uma amostragem de 71 mulheres que procuraram espontaneamente a Delegacia da Mulher de Uberlândia para registrar queixa crime contra o parceiro conjugal (TCO). A idade média das mulheres foi de 34,69 anos, com idade variando entre 17 e 59 anos, sendo a maioria branca, oriunda de diferentes religiões, profissões e bairros, e com filhos. A fase do namoro já revelava a problemática da violência para 31% das mulheres. Ciúmes, nervosismo, agressividade, uso de álcool, desconfiança de ser traído por ela e traição dele foram os fatores mais referidos como desencadeantes das agressões. As agressões físicas e psicológicas são uma rotina vivida pelas mulheres. Todas as mulheres entrevistadas conviviam com parceiros violentos. Para o estudo das causas percebidas pelas mulheres para as agressões foi apresentado um modelo proposto por Weiner que prevê que um estímulo provoca as cognições sobre suas causas, as cognições ou atribuições causais determinam respostas afetivas e expectativas de meta, assim como os comportamentos subseqüentes. Foi verificado se o foco da atribuição, sentimentos e expectativas estariam relacionados com a intenção da mulher permanecer ou romper o relacionamento conjugal. A metodologia utilizada permitiu às entrevistadas classificar as categorias de atribuição conforme preconizadas por Weiner, e também categorizar seus sentimentos. As atribuições causais foram classificadas pelas mulheres como internas para a primeira e última agressão, caracterizando-se como instáveis e controláveis para a primeira e estáveis e incontroláveis para a última. Além disso, as mulheres exibiram uma alta freqüência de culpa do parceiro por ambos os episódios de violência. As mulheres que atribuíram causas internas estáveis à violência do parceiro, que manifestaram sentimentos contra o parceiro, que apresentaram expectativas de que a situação ficaria pior caso permanecessem na relação, demonstrando perceber intenções negativas no parceiro e, expectativas de vida digna se deixar o parceiro, relataram ter intenção de romper o relacionamento. Os resultados sugerem que as mulheres têm particular dificuldade em romper o relacionamento quando atribuem causas internas instáveis e controláveis ao parceiro e mostram maior facilidade quando atribuem causas internas estáveis incontroláveis à violência cometida pelo parceiro conjugal. Esses resultados dão suporte aos modelos psicossociais que postulam que atribuições estão relacionadas ao comportamento e, particularmente, ao que foi proposto neste estudo.
Abstract: This work was developed in two phases. The first aimed to characterize women who suffer abuse from their husbands/partners and determine the prevalence of the different complaints, types of violence and penal incidence. To achieve the first phase, a survey of the files at the Women s Police Station Attaché to the Special Criminal Judgeship and the Special Criminal Judgeship of Uberlândia was performed. Eight hundred and seventy-six Police Reports (PRs), from the first semester of 2004 as well as three hundred and ninety cases in progress in Circumstanced Term Reports (CTRs) from January 2003 to May 2004 were examined. Analysis revealed that the average age of the women was 30.8 years and 32.3 years for PRs and CTRs, respectively. A higher concentration of violence was encountered in lovers and former lovers who lived or had lived together with their partners. The women reside in various neighborhoods in Uberlândia and their occupations varied from unemployed and housewives to businesswomen and liberal professionals. The prevalence of complaints in the CTRs was end of relationship, and in the PRs were futile motives, followed by lack of motives. Threatening of physical integrity was the most frequent disclosed crime in the PRs as well as in the CTRs. Accusations of violence committed by spouses occurred in couples whose relationships varied from one month to forty years of living together. The greatest incidence of PRs occurred within a periodicity of seven days and revealed a specifically higher rate of violence on the weekends. A greater prevalence of threats due to nonacceptance of ends of relationships was observed which makes it evident that the fear of ending a violent relationship is justified. In the second phase of the research, causal attributions of the first and last violent episodes were evaluated in a sampling of seventy-one women who spontaneously sought out the Women s Police Station of Uberlândia to press charges against partners (CTRs). The average age of the women was de 34.69 years, varying from 17 to 59 years. The majority of the women was white, had children and came from different religious, professional and geographical backgrounds. The dating phases of these women revealed the problematic of violence for 31% of them. Jealousy, angriness, aggressiveness, alcohol use, and suspicion of being betrayed by female partner or the actual betrayal of the male partner were the factors referred as to trigger the aggressions. Physical and psychological aggressions were routine for the women. All of the women interviewed lived with their violent partners. For the study of causes of the aggression perceived by the women, the model proposed by Weiner which foresees that a stimulus provokes cognitions upon the causes of the stimulus and cognitions or causal attributions determine affective responses and hopes of goals as well as subsequent behaviors, was presented. It was verified if the focus of attribution, feelings and expectancies would be related to the intention of the woman to remain or terminate the relationship. The methodology used permitted the women interviewed to classify their attributions as proposed by Weiner, and also categorize their feelings. Attributions of cause were classified by the women as being internal for the first and last aggression characterized as unstable and controllable for the first and stable and controllable for the last. Women also reported a high frequency of partner s fault for both of the violent episodes. Women who reported stable internal causes to partner s violence, who manifested feelings against their partners and who presented expectancies that the situation would worsen if they remained in the relationship revealing perceived negative intentions in their partners and hopes of dignifying lives if they were to leave their them, reported intentions of ending their relationships. Results suggest that women particularly have difficulty in terminating a relationship when they attribute unstable and controllable internal causes to their partners and reveal greater facility when they attribute stable and uncontrollable internal causes to the violence committed by the partner. These results support psychosocial models, which assume that attributions are related to behavior and particularly to the model proposed in this study.
Keywords: Violência conjugal
Mulher
Psicologia social
Atribuição causal
Marriage violence
Woman
Social psychology
Causal attribution
Mulheres- Aspectos psicológicos
Atribuição de causalidade
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
metadata.dc.publisher.initials: UFU
metadata.dc.publisher.department: Ciências Humanas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-graduação em Psicologia
Citation: MARQUES, Tania Mendonça. Violência conjugal : estudo sobre a permanência da mulher em relacionamentos abusivos. 2005. 303 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2005.
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17261
Issue Date: 29-Mar-2005
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TMarquesDISSPRT.pdf2.19 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.