Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/16537
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorRossi, Eliane Pimenta Braga-
dc.date.accessioned2016-06-22T18:46:10Z-
dc.date.available2009-05-06-
dc.date.available2016-06-22T18:46:10Z-
dc.date.issued2007-08-30-
dc.identifier.citationROSSI, Eliane Pimenta Braga. A criança-consumidora: a genealogia de um fenômeno contemporâneo 1950-2000. 2007. 140 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2007.por
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufu.br/handle/123456789/16537-
dc.description.abstractThis work has as aim the discussion about the consumer child s historical process formation. The problems resulting from this issue include a wider perception about the social relationships within a symbolic system guided by references roused by social experiences during the second half of the last century. The historical construction of the contemporary subject remits to their own childhood remeaning. This re-meaning is perceptible at the changing of the child s representation present at goods publicity designed to their use, as well as its usage in goods campaigns which are not designed to them. Through publicity, it is possible to notice these changes due to the advertisers effort in creating their campaigns having as source the social imaginary and the current representations in society. The creation of meanings, interposed by specific values on each social segment, starts, thus, to suffer a remarkable influence of an aspect which was previously restricted to commercial trades, the marketing. Publicity and commercial advertisements, which used to sell goods and/or a necessity, have acquired the status of belonging to a life style. Therefore, the consumer child is figures as a sui generis subject due to their condition of non-belonging to the world of work and, consequently, not having an income. Such paradox does not constitute a problem to the position as a consumer, because, as one, they became demanding, voracious and extremely sensitive to the seductions immanent to publicity. This significant changing ended up in re-meaning not only the childhood but also figuring it as a reference to the other phases of life.eng
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Uberlândiapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectInfância - consumopor
dc.subjectPublicidadepor
dc.subjectConsumer childeng
dc.subjectChildhood consumeeng
dc.subjectPublicityeng
dc.subjectHistoryeng
dc.subjectPublicidade Históriapor
dc.subjectCrianças consumidoraspor
dc.subjectHistória socialpor
dc.titleA criança-consumidora: a genealogia de um fenômeno contemporâneo 1950-2000por
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Seixas, Jacy Alves de-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4721443P5por
dc.contributor.referee1Alem, João Marcos-
dc.contributor.referee1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4783189D1por
dc.contributor.referee2Naxara, Márcia Regina Capelari-
dc.contributor.referee2Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4786392H9por
dc.creator.Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4702142P2por
dc.description.degreenameMestre em Históriapor
dc.description.resumoEste trabalho tem como objetivo a discussão acerca do processo histórico de formação da criança-consumidora. A problematização decorrente desta questão inclui uma percepção mais ampla sobre as relações sociais inseridas num sistema simbólico pautado por referenciais despertados por novas experiências sociais vividas na segunda metade do século passado. A construção histórica desse sujeito contemporâneo remete à própria resignificação da infância. Essa resignificação é perceptível na mudança da representação da criança presente na publicidade de mercadorias destinadas a seu uso, bem como sua utilização em campanhas de mercadorias que não se destinam a ela. Por meio da publicidade é possível perceber essas mudanças devido ao empenho dos publicitários em construir suas campanhas tendo como fonte o imaginário social e as representações correntes na sociedade. A construção de significados, permeada por valores específicos a cada segmento social, passa, então, a sofrer influência marcante de um aspecto anteriormente restrito às relações comerciais, o marketing. As propagandas e as inserções comerciais, que anteriormente vendiam uma mercadoria e/ou uma necessidade, adquiriram o estatuto de pertencimento a um estilo de vida. Neste sentido, a criança-consumidora configura-se como um sujeito sui generis devido à sua condição de não pertencente ao mundo do trabalho e, conseqüentemente, de posse de renda. Tal paradoxo não constituiu empecilho à sua configuração como consumidor uma vez que, como tal, tornou-se exigente, ávido e extremamente sensível às seduções imanentes da publicidade. Esta mudança significativa acabou por resignificar não só a infância, mas também a configurando como referencial para as demais fases da vida.por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Históriapor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS HUMANAS::HISTORIApor
dc.publisher.departmentCiências Humanaspor
dc.publisher.initialsUFUpor
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - História

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
EPBRossiDISPRT.pdf797.1 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.