Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/20846
Tipo do documento: Dissertação
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Título: O cuidado de si na perspectiva dos enfermeiros de um hospital universitário
Título(s) alternativo(s): The care of you in the perspective of the nurses of a university hospital
Autor(es): Andrade, Marcia Ferreira de Medeiros
Primeiro orientador: Aragão, Ailton de Souza
Primeiro membro da banca: Santos, Álvaro da Silva
Segundo membro da banca: Zago, Karine Santana Azevedo
Resumo: Historicamente, o foco da enfermagem, em relação ao cuidado, sempre foi voltado ao cuidado do outro e, minimamente, ao cuidado do profissional. Diante da dor, da morte, das condições e organização do trabalho, da prestação do cuidado, os enfermeiros também, ao perderem sua saúde, sofrem seus impactos, dialeticamente, na realização do trabalho. Numa perspectiva foucaultiana, cuidado de si é o modo de encarar as coisas, de estar no mundo, de praticar ações, de ter relações com o outro; uma certa forma de olhar para si mesmo; de ações que são exercidas de si para consigo pelas quais se assume, se modifica, se purifica, se transforma e se transfigura. Estudar o cuidado de si, portanto, possibilita a compreensão não somente das ações dos sujeitos no âmbito da saúde, mas dos sentidos que eles atribuem a essas ações em face dos contextos em que elas são produzidas, justificando suas atitudes frente às realidades vivenciadas. Este estudo objetivou compreender o significado e os desafios para o cuidado de si na perspectiva dos enfermeiros de um Hospital Universitário. Trata-se de um estudo de caso com metodologia qualitativa e, para tanto, a construção e análise dos aspectos sócio demográfico, o diagnóstico das práticas do cuidado de si e os seus desdobramentos para a saúde desses trabalhadores ocorreram por meio de entrevistas semi estruturadas. Participaram deste estudo 15 enfermeiros do gênero masculino que estavam lotados em setores assistenciais e administrativos do cenário estudado, com idades entre 30 e 62 anos. As narrativas foram analisadas segundo a análise de conteúdo na modalidade temática, que permitiram a emersão de cinco categorias temáticas, a saber: 1) “Eu sou eu”: desafios do cuidado de si na rotina cotidiana; 2) “Cuidar de mim é...”: o cuidado de si entre saberes e práticas; 3) “Escolhas, liberdade, responsabilidade e desafios na produção do cuidado de si”; 4) “O cotidiano do trabalho de Enfermagem e os desafios do cuidar de si: A saúde do trabalhador em foco”, 5) “Cuidado de si: desafio institucional frente à Saúde do Trabalhador”. Os resultados revelaram que os enfermeiros apresentaram dificuldades para falaram de si, mas se caracterizaram como pessoas “caseiras” e “tranquilas”, tendo como entretenimento atividades com a família e amigos. A prática de atividades físicas integra parte do cotidiano desses profissionais, ainda que para alguns não seja rotineira. O cuidado de si vai além do cuidar da saúde, do corpo, da doença e do mundo, ou do famoso check up. O descuido de si é constatado pela reduzida ou ausência de cuidados consigo, como uma alimentação balanceada, prática de atividades físicas e lazer, acompanhamento médico ou realização de exames. A pesquisa reconheceu a importância da subjetividade do cuidado frente ao processo de trabalho e como este impacta naquela, pois o trabalho da enfermagem podem afetar o cuidado de si e o autocuidado e, ao mesmo tempo, impor barreiras nas demandas diárias de trabalho e/ou vida social. Evidencia-se a necessidade de uma escuta humanizada, de uma gestão focada nas pessoas, com valorização da equipe, fomentando o diálogo e o reconhecimento.
Abstract: Historically, the focus of nursing, in relation to care, has always been directed towards the care of the other and, minimally, to the care of the professional. Faced with pain, death, conditions and organization of work, care delivery, nurses also, when they lose their health, suffer their impacts, dialectically, in the performance of work. In a Foucaultian perspective, caring for oneself is the way to face things, to be in the world, to practice actions, to have relationships with others; a certain way of looking at oneself; of actions that are exercised from self to self by which one assumes, modifies, purifies, transforms, and transforms. Studying care for self, therefore, enables the understanding not only of the actions of the subjects in the health area, but of the senses that they attribute to these actions in the face of the contexts in which they are produced, justifying their attitudes towards the realities experienced. This study aimed to understand the meaning and challenges for self care from the perspective nurses from a University Hospital. It is a case study with a qualitative methodology, and for that, the construction and analysis of socio-demographic aspects, the diagnosis of self-care practices and their unfolding for the health of these workers occurred through semi-structured interviews. Fifteen male nurses who were employed in care and administrative sectors of the scenario studied, aged between 30 and 62, participated in this study. The narratives were analyzed according to the content analysis in the thematic modality, which allowed the emergence of five thematic categories, namely: 1) "I am me": challenges of caring for oneself in the daily routine; 2) "Caring for me is ...": caring for each other between knowledge and practice; 3) "Choices, freedom, responsibility and challenges in the production of self-care"; 4) "The daily work of Nursing and the challenges of caring for oneself: The health of the worker in focus", 5) "Care of self: institutional challenge to Workers' Health." The results revealed that the nurses presented difficulties to talk about themselves, but they were characterized as "home" and "quiet" people, having as entertainment activities with family and friends. The practice of physical activities integrates part of the daily life of these professionals, although for some it is not routine. Self-care goes beyond caring for health, body, disease and the world, or the famous check up. Carelessness is evidenced by the reduced or lack of care with you, such as a balanced diet, physical activity and leisure, medical monitoring or testing. The research acknowledged the importance of the subjectivity of care in relation to the work process and how it impacts on it, since the work of nursing can affect self care and self care and, at the same time, impose barriers in the daily demands of work and / or social life. There is a need for humanized listening, for people-centered management, for team appreciation, and for fostering dialogue and recognition.
Palavras-chave: Cuidado de si
Trabalho de Enfermagem
Gênero Masculino
Self Care
Nursing Work
Male Gender
Cuidado de Sí
Trabajo de Enfermería
Género Masculino
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::GEOGRAFIA::GEOGRAFIA HUMANA
Idioma: por
País: Brasil
Editora: Universidade Federal de Uberlândia
Programa: Programa de Pós-graduação em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador (Mestrado Profissional)
Citação: ANDRADE, Márcia Ferreira de Medeiros. O cuidado de si na perspectiva dos enfermeiros de um Hospital Universitário. 2018. 134f. Dissertação (Mestrado em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador)- Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2018. Programa de Pós-graduação em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador.
Identificador do documento: http://dx.doi.org/10.14393/ufu.di.2018.139
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/20846
Data de defesa/publicação: 7-Fev-2018
Aparece nas coleções:DISSERTAÇÃO - Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador (Mestrado Profissional)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
CuidadoSiEnfermeiros.pdf2.4 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.