Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/18030
ORCID:  http://orcid.org/0000-0002-0941-3501
Tipo de documento: Tese
Tipo de acceso: Acesso Aberto
Título: A sintaxe no e do discurso político brasileiro: os proferimentos do Dia do Trabalho em Dilma Rousseff : a direita na esquerda ou a esquerda na direita?
Autor: Rocha, Patrícia de Brito
Primer orientador: Agustini, Carmen Lucia Hernandes
Primer miembro de la banca: Freitas, Alice Cunha de
Segundo miembro de la banca: Rodrigues, Eduardo Alves
Tercer miembro de la banca: Bertoldo, Ernesto Sérgio
Cuarto miembro de la banca: Silva, Telma Domingues da
Resumen: Nesta tese, ocupamo-nos dos proferimentos do Dia do Trabalhador realizados pela Presidente Dilma Rousseff no seu primeiro mandato, estabelecendo como objeto teórico o discurso, visto nossa filiação teórica à Análise de Discurso francesa pechetiana, e como objeto de estudo a sintaxe implicada no discurso institucional da primeira Presidente mulher na história do Brasil. A fim de estudarmos a implicação da sintaxe nesse discurso, elegemos, especificamente, os nomeados termos acessórios da oração pela Gramática Normativa, a saber: os adjuntos e o aposto, pois é propalado que o discurso político seria um discurso esvaziado de sentido, sendo que, caso essa realidade se configure, o funcionamento dos termos acessórios não seriam mais do que um acréscimo contingente na produção do discurso analisado. Contudo, tomamos como hipótese o fato de a sintaxe constituir o mecanismo de articulação fundamental que nos permite compreender os processos discursivos, constituindo, assim, o ponto sobre o qual o processo discursivo desenrola-se a partir de movimentos espirais. Nessa direção, o conceito de sequência, sob a perspectiva teórica assumida, assume outros contornos: ela (con)figura-se como uma extensão em espiral, não sendo, pois, da ordem da linearidade, como na perspectiva linguística. Em consequência disso, descortina-se a possibilidade de trabalharmos com trajetos de leitura, conforme (pro)posto no processo de análise dos proferimentos. Da nossa visada, então, a adjunção e a aposição são concebidas como mecanismos linguístico-sintáticos considerados como pertencentes à ordem da língua e, em consequência disso, não podem ser considerados dispensáveis, visto que suscitam efeitos de sentido juntamente com as demais unidades do discurso, visto a espiralação promovida pelo efeito-leitor. Deixamos, então, de olhar apenas o emprego da língua e voltamo-nos para as questões de natureza de produção do sentido, buscando (re)conhecer a articulação entre interdiscurso e intradiscurso no processo discursivo, de modo específico nos proferimentos presidenciais do Dia do Trabalhador entre os anos de 2011 e 2014. Para tanto, nossa tese apresenta, na introdução, as balizagens teóricas e metodológicas do trabalho. Nos capítulos que dizem respeito ao referencial teórico, preocupamo-nos inicialmente em traçar uma diferenciação da linguística do discurso da Linguística; logo a seguir, a preocupação é tratar o linguístico do discurso e a sintaxe voltada ao discurs(iv)o; e, finalmente, trabalhar determinadas especificidades do discurso presidencial. No capítulo seguinte, empreendemos os movimentos analíticos, considerando os quatro proferimentos do Dia do Trabalhador atravessados pelo discurso capitalista neoliberal. Na conclusão, produzimos uma reflexão acerca das palavras-conceito língua, gramática, sintaxe, discurso, sujeito e ensino.
Abstract: On this thesis, we’ve gotten Dilma Rousseff’s utterances from The Labor Day on her first term, establishing the discourse as a theoretical object, considering our theoretical bonding with the French pechetiana Discourse Analysis, and the syntax implied by the speech of the first woman President in Brazil’s history as the study object. In order to study the syntax implied by this speech, we selected, specifically, the accessory terms named by the Normative Grammar, which are: the adjuncts and the appositive, since it’s disclosed that the political speech would be a speech with no sense, so that, if this reality is fulfilled, the performance of the accessory terms wouldn’t be more than a contingent adding on the production of the analyzed speech. Nevertheless, we’ve taken as hypothesis the fact of the syntax has got the essential articulation mechanism that allow us understand the discursive processes, constituting, then, the point in which the discursive process develops from spiral movements. On this way, the sequence concept, from the theoretical perspective chosen, gets other concepts: it configures as a spiral extension, not being, so, from the linearity order, as it is in the linguistic perspective. In consequence of that, it’s opened the possibility of working with reading paths, as it was proposed in the analyses process of the utterances. From our target, then, the adjuncts and the appositive are understood as linguistic-syntactic mechanisms considered as belonging to the language order and, in consequence of that, they can’t be considered dispensable, whereas they cause sense effects along with the other discourse units, in view of the spiral promoted by the effect-reader. Therefore we’ve stopped just looking at the usage of the language and we’ve put our attention on the items of sense production, trying to (re)cognize the articulation between the interdiscourse and the intradiscourse in the discursive process, specifically in the presidential utterances of the Labor Day from 2011 to 2014. Thereunto, our thesis shows, in the introduction, the theoretical and methodological markings from this study. On chapters that talk about theoretical reference, at first we were concerned with delineating the differences between the linguistic of the discourse from the Linguistic; then, the concern is to deal with the linguistic of the discourse and the syntax related to the discursive; and, finally, work with some particularities of the presidential speech. On the following chapter, we’ve undertaken the analytical movements, considering the four utterances of the Labor Day crossed by the neoliberal capitalist speech. In the conclusion, we’ve produced a reflection about the wordsconcept of language, grammar, syntax, discourse, subject and teaching.
Palabras clave: Linguística
Rousseff, Dilma, 1947- Discursos, alocuções, etc.
Políticos - Brasil - Discursos, ensaios, conferências
Gramática comparada e geral - Sintaxe
Sintaxe
Discurso político
Neoliberalismo
Dia do Trabalhador
Syntax
Political discourse
Neoliberalism
Labor Day
Área (s) del CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA
Idioma: por
País: Brasil
Editora: Universidade Federal de Uberlândia
Programa: Programa de Pós-graduação em Estudos Linguísticos
Cita: ROCHA, Patrícia de Brito. A sintaxe no e do discurso político brasileiro: os proferimentos do Dia do Trabalho em Dilma Rousseff: a direita na esquerda ou a esquerda na direita? 2016. 261 f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2016.
Identificador del documento: https://doi.org/10.14393/ufu.te.2016.10
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/18030
Fecha de defensa: 16-feb-2016
Aparece en las colecciones:TESE - Estudos Linguísticos

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción TamañoFormato 
SintaxeDiscursoPolitico.pdf3.15 MBAdobe PDFVista previa
Visualizar/Abrir


Los ítems de DSpace están protegidos por copyright, con todos los derechos reservados, a menos que se indique lo contrario.