Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/26791
Document type: Dissertação
Access type: Acesso Aberto
Title: Biologia reprodutiva de Mauritia Flexuosa L.(ARECACEAE) em vereda no município de Uberlândia – MG
Alternate title (s): Reproductive biology of Mauritia Flexuosa L. (ARECACEAE) in a path in the municipality of Uberlândia - MG
Author: Abreu, Solange Aparecida Brienza de
First Advisor: Barbosa, Ana Angélica Almeida
First member of the Committee: Barros, Mariluza A. G. e
Second member of the Committee: Oliveira, Paulo Eugênio A. M.
Third member of the Committee: Araújo, Glein Monteiro de
Summary: Abreu, Solange A. B. 2001. Biologia Reprodutiva de Mauritia flexuosa L. (Arecaceae) em Vereda no Município de Uberlândia-MG. Dissertação de Mestrado em Ecologia e Conservação de Recursos Naturais. UFU. Uberlândia-MG. 87p. Mauritia flexuosa é uma palmeira dióica, típica de áreas alagadas e na região dos cerrados está restrita em áreas de veredas. Os dados sobre sua biologia reprodutiva nesta vegetação são escassos. Os objetivos deste trabalho foram estudar a fenologia de floração e de frutificação, a biologia reprodutiva e identificar os visitantes de M. flexuosa. O estudo foi realizado em uma Vereda localizada na Reserva do Parque do Sabiá (18° 57’S e 48° 14’W), em Uberlândia, MG, no período de setembro de 1999 a junho de 2001. Para obter dados dos eventos fenológicos, foram marcados 71 indivíduos que foram acompanhados quinzenalmente. Foram analisados aspectos da morfologia, horário de abertura, produção de tipo de odor, recurso, longevidade da flor, receptividade do estigma e viabilidade polínica. Com relação aos visitantes, foram realizadas observações focais em vários indivíduos de ambos os sexos para determinar a ffeqüência dos visitantes e o comportamento na flor. No período de estudo o florescimento foi anual e estendeu-se de novembro a abril com pico em março em 2000, e em abril em 2001. O tamanho das inflorescências tanto estaminadas quanto das pistiladas variou de 2,5 - 4 metros. O número médio de flores por inflorescência pistilada foi de 3.576,3 ± 167,4 (n=5) e na estaminada de 204.747 ± 2.992,5 (n=3). Ocorreram em média 5,4 ± 1,8 (n=31) inflorescências nas plantas pistiladas e 5,3 ± 1,7 (n= 19) nas estaminadas no primeiro ano de florescimento. No segundo ano a média foi de 2,4 ± 1,5 inflorescências pistiladas e 2,5 ± 1,3 inflorescências estaminadas. A abertura das flores pistiladas e das estaminadas ocorre ao longo do dia com um pico em tomo das 18 horas (não considerado o horário de verão). O tamanho das flores estaminadas foi de 0,5 cm de comprimento por 0,3 cm de largura enquanto que a das flores pistiladas foi de 1,7 cm por 1,2 cm. As flores possuem cor alaranjada com odor suave e adocicado. Somente a flor pistilada produz néctar, com volume médio de 1,5 ji 1 ± 0.9 (n= 120) e a média de concentração de açúcares de 19, 5 % ± 6,2 (n=120). A receptividade estigmática se dá entre o 4o e 5o após a antese e a flor pistilada dura cerca de oito dias. A flor estaminada dura apenas 1-2 dias. Para avaliação do sistema reprodutivo foram feitos quatro tratamentos: controle (9,5% de frutos); polinização manual(l), polinização distante 80 metros da planta doadora (24,5% de frutos); polinização manual (2), distante 300 metros da planta doadora (63% de furtos) e apomixia, ensacamento de 750 botões (sem frutos). A maturação do fruto leva mais de um ano. Em julho do ano seguinte ao florescimento ocorreu o maior número de indivíduos marcados com frutos caídos. Os visitantes encontrados foram coleópteros, restritos as flores estaminadas sendo considerados polinizadores eventuais, e himenópteros e dípteros que visitaram as flores de ambos os sexos. Na área de estudo Trigona sp (Meliponini: Apidae) foi considerada como o principal polinizador.
Abstract: Mauritiaflexuosa is a dioecious palm tree, typical of flooded areas and, in the region of Savanna, it is restricted to palm swamp. Data on its reproductive biology in this vegetation are scarce. The objectives of this work were to study the flowering and ffuctification phenology, the reproductive biology and identify the visitors of M. flexuosa. The study was accomplished in an area of palm swamp located in the Park of Sabiá (18° 57'S and 48°14'W), in Uberlândia, State of Minas Gerais, in the period ffom September 1999 to June 2001. In order to obtain data of the phenologycal events, 71 individuais were marked and accompanied each fifteen days. To analyze aspects of the flower morphology, time of anthesis, production of odour type, resources, longevity, receptivity of the stigma and viability of pollen five staminate individuais and five pistillate ones, were evaluated. Pistillate inflorescences were bagged to evaluate the apomixis occurrence. Focal observations were accomplished in several individual of both sexes to determine the visitors ffequency and their behavior in the flower. The flowering was annual during the study period that extended ffom November to April with a peak in March 2000, and in April 2001. The maturation of the fruit takes more than one year. The beginning of ripening fruits occurred in the following year after the blooming during May and June. The size of the inflorescences varied ffom 2.5 - 4m both for the staminate and the pistillate ones. The number of flowers for pistillate inflorescence was of 3,576.3 ± 167.4 (n=5) and in the staminate ones it was of 204,747 ± 2,992.5 (n=3). There were 5.4 ± 1.8 (n=31) inflorescences on the average in the pistillate plants, and 5.3 ± 1.7 (n = 19) in the staminate ones in the first year of flowering. In the second year the average was of 2.4 ± 1.5 of pistillate inflorescences and 2.5 ± 1.3 of staminate inflorescences. The opening of the pistillate and staminate flowers occurs along the day with a peak around 6 p.m. The flowers possess orange color with soft and sweetened odour. Only the pistillate flower produces néctar, with médium volume of 2.5 jxl ± 0.9 (n = 120) and the average of sugar concentration of 19.5% ± 6.2 (n=10). The stigmatic receptivity happens between the 4th and 5th day, after the anthesis and the pistillate flower lasts about eight days. The staminate flower lasts only 1-2 days. It doesn't happen apomixis in this species. The found visitors were coleoptera (Nitiduüdae, Mycetophagidae and Curculionidae), which were restricted to the staminate flowers, and hymenoptera and diptera that visited the flowers of both sexes. In the area of study, Trigona sp (Meliponini: Apidae) was considered as the main pollinator.
Keywords: Mauritia flexuosa
Vereda
Fenologia
Biologia reprodutiva
Polinização
Area (s) of CNPq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Uberlândia
Program: Programa de Pós-graduação em Ecologia e Conservação de Recursos Naturais
Quote: Abreu, Solange Aparecida Brienza de. Biologia reprodutiva de Mauritia Flexuosa L.(ARECACEAE) em vereda no município de Uberlândia – MG. 2001. 87 f. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Conservação de Recursos Naturais) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2019. Disponível em: http://dx.doi.org/10.14393/ufu.di.2001.3
Document identifier: http://dx.doi.org/10.14393/ufu.di.2001.3
URI: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/26791
Date of defense: 2001
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Ecologia e Conservação de Recursos Naturais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
BiologiaReprodutivaMauritia.pdf7.53 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons