Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/21429
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorDias, João Paulo Andrade-
dc.date.accessioned2018-05-23T14:43:22Z-
dc.date.available2018-05-23T14:43:22Z-
dc.date.issued2018-03-23-
dc.identifier.citationDIAS, João Paulo Andrade. Para uma ideia de parataxis como teor-de-verdade: Adorno e Hölderlin. 2018. 126 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade Federal de Uberlâdia, Uberlândia, 2018. Disponível em: http://dx.doi.org/10.14393/ufu.di.2018.1314pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufu.br/handle/123456789/21429-
dc.description.abstractAesthetic Theory’s Afterword tells the footpaths of Theodor Adorno’s important, posthumous and unfinished work. Through letters and reports, his editors reveal an author profoundly occupied with a formal overwork of its writing. As it seems, this process presents itself as an irrevocable exigency, imposed by his own thoughtέ Such a redraw finds explanation on the demand by idea’s content itself; it rekindles the so-called search for style on Adorno’s thoughtέ Although the work remained unfinished, border notes, letters and testimonies offer an orientation to pervade this issue: it tells about the preparation of a paratactic formal organization under a writing construction principle well favored by Hölderlin’s on his late poetic writingέ Paratactic principle would flag the possibility of totality’s reconstruction through partials complexes’ side-by-side organization, in a way that all of them should be disposed on the same level. It results on such a well-balanced idea’s exhibition mode, which should guarantee a sort of singularity and expressivity that Adorno’s works have never achieved. The reports left behind open up a very wide range of study, namely, analyses covering since totality’s idea overwork until Adorno’s appropriation of Hölderlinέ We adjusted this wide spread with our research time, deciding for an investigation on “Parataxisμ On Hölderlin’s late poetry”, Adorno’s discourse and essayέ On this text, we can follow parataxis’ idea formulation, whose rescue became our taskέ Notably, our purpose demands an investigation on some of Adono’s central conceptsμ “poeticize” (das Gedichtete), thingcontent (Sachgehalt), immanent law of formation (immanentes Gesetz des Gebildes), truthcontent (Wahrheitsgehalt). We dealt with Adorno’s debate against Heidegger, just as with his critique on philologyν with commentators’ support, we attentively analyzed Hölderlin’s poems and textsν finally, we followed all the steps of Adorno’s critical procedure, trying to detach all of the three layers of his work of art interpretation. Our parataxis’ idea rescue concludes that its formulation reflects and walks in through its inferior layers (thingcontent and immanent law of formation), but also surpasses them: in his Hölderlin analysis, Adorno draws out parataxis’ proper truthcontentpt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal de Uberlândiapt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectAdornopt_BR
dc.subjectHölderlinpt_BR
dc.subjectParataxispt_BR
dc.subjectConstelaçãopt_BR
dc.subjectConstellationpt_BR
dc.subjectTeor-de-verdadept_BR
dc.subjectTruthcontentpt_BR
dc.subjectFilosofiapt_BR
dc.subjectAdorno, Theodor W., 1903-1969pt_BR
dc.subjectHölderlin, Friedrich, 1770-1843pt_BR
dc.subjectFilologiapt_BR
dc.titlePara uma ideia de parataxis como teor-de-verdade: Adorno e Hölderlinpt_BR
dc.title.alternativeTowards a parataxis' idea as truthcontent: Adorno and Hölderlinpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.contributor.advisor1Silva, Rafael Cordeiro-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/0797656459749176pt_BR
dc.contributor.referee1Silveira, Sara Juliana Pozzer-
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/5313824538870791pt_BR
dc.contributor.referee2Barbosa, Ricardo José Corrêa-
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/0546360463436776pt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/8426495328593431pt_BR
dc.description.degreenameDissertação (Mestrado)pt_BR
dc.description.resumoO Posfácio à Teoria estética narra os percalços deste importante, póstumo e inacabado escrito de Theodor Adorno. Por meio de cartas e relatos, os editores revelam um autor profundamente ocupado com a reelaboração formal de sua escrita, processo que, ao que parece, colocava-se como uma exigência irrevogável, imposta pelo seu próprio pensamento. Tal reelaboração se justificava por meio de uma imposição do próprio conteúdo da ideiaν ela reeditava o chamado “problema do estilo” no pensamento de Adornoέ Conquanto a obra tenha permanecido inacabada, notas marginais, cartas e declarações oferecem-nos orientação para investigarmos o problema que ora lhe recaía: tratava-se da elaboração de uma organização paratática na forma mediante um princípio de construção privilegiado no procedimento de escrita poética do Hölderlin tardio. O princípio paratático assinalava a possibilidade de reconstrução da totalidade mediante a organização lado a lado de complexos parciais, todos dispostos em mesmo nível. Disso resultaria um modo equilibrado de exposição da ideia, que garantiria um tipo de singularidade e expressividade que a obra de Adorno jamais teria atingido. Os relatos deixados abrem-nos um amplo horizonte de estudo, qual seja, análises que vão desde a reelaboração da ideia de totalidade até a apropriação que Adorno faz de Hölderlin. Ajustamos a envergadura do problema ao tempo de pesquisa, decidindo-nos por uma investigação do discurso e ensaio Parataxis: a lírica tardia de Hölderlin, texto em que podemos acompanhar a formulação da ideia homônima. Nossa tarefa tornou-se resgatar essa ideia. Para tanto, percorremos os conceitos que compõem o texto de Adornoμ “poetificado”, teor-de-coisa, lei imanente da formação, teor-de-verdade. Tratamos do debate estabelecido com a interpretação de Heidegger, bem como da crítica às ciências filológicas; com a ajuda de comentadores, analisamos poemas e outros textos de Hölderlin; enfim, seguimos cada um dos passos do procedimento interpretativo de Adorno, buscando separar os momentos em que cada uma das três camadas para a interpretação da obra de arte são acionadas. Nosso resgate da ideia de parataxis concluiu que sua formulação perpassa e reflete as camadas interpretativas inferiores (teor-de-coisa e lei imanente da formação), mas também as ultrapassa: em sua interpretação de Hölderlin, Adorno extrai o teor-deverdade próprio à parataxis.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Filosofiapt_BR
dc.sizeorduration121pt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS HUMANAS::FILOSOFIA::HISTORIA DA FILOSOFIApt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS HUMANAS::FILOSOFIApt_BR
dc.identifier.doihttp://dx.doi.org/10.14393/ufu.di.2018.1314pt_BR
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Filosofia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ParaUmaIdeia.pdf1.06 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.