Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/19783
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorFerreira, Daniel Victor de Sousa-
dc.date.accessioned2017-10-03T17:56:09Z-
dc.date.available2017-10-03T17:56:09Z-
dc.date.issued2017-04-25-
dc.identifier.citationFERREIRA, Daniel Victor de Sousa. Práticas estratégicas em segurança pública: a tensão relacional micro-macro no policiamento comunitário de uma Unidade da Polícia Militar de Minas Gerais. 2017. 325 f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2017.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufu.br/handle/123456789/19783-
dc.description.abstractThe serious and complex scenario of public security in Brazil originates debates and proposals that evaluate the roles of the Military Police and the practices of the Community Police. Police organizations that practice community policing seek to prevent crime through close community relations and programs that promotes a sense of security and minimizes fear of crime, gaining support and respect of civil society. The purpose of this research is to analyze the strategic practices of Community Police, conducted by members of an Operational Unit of the Military Police of Minas Gerais, in Uberlandia. The research question is: how does micro and macro relational tension presents itself in the strategic practices of community policing, in a context of public security that seeks the approximation between police and civil society? The research was based on an interpretative perspective of the strategy as a social practice. The research public was: (a) macro level: Military Police of Minas Gerais and the police blog called Police Approach; (b) micro level: the operational police officers of the 17th Battalion, who was daily dealing with community policing practices. Considering an ethnomethodological approach, the following data collection techniques were applied: documentary research about laws and regulations on police action in Brazil and Minas Gerais; research on police blogs, including their publications and readers' comments; 26 episodic interviews; participant observation (106 hours) of operational police and managers practices that work on community policing, emphasizing the Protected Neighbors Network program; and, participant observation in 32 groups of WhatsApp, referring about the virtual relationship between police officers and citizens who participated of the program. The results demonstrate that the strategic practices of community policing are characterized in a micro-macro relational tension. The micro level, that is immerse in local and immediate particularities, seeks to daily transform the rules and regulations created by macro level to guide in a general and idealized way the micropractices of community policing. The research revealed that community policing practices pass between the preventive and repressive paradigms, and between the assumptions of Community Police and Traditional Police, not yet overcome. The results show the existence of these tensions through the guiding principles of police practices, namely: (a) image: the image of police officers and civil society is fractured and socially constructed by the military; (b) interaction: police interaction with civil society is done through a community configuration that, in the formation of outsiders, under a fractured image, promotes the militarization of “good citizens” and criminal persecution of “bandits”; (c) management: the management of fear through statistics promotes an epistemological crisis, in which, through managerialism, it deals with criminal indices while at the same time seeking to treat the sense of security; (d) objectives: the plurality of community policing objectives also lead to contradictions between the focus on the criminal incident and the focus on the fear of crime; and (e) expected results of police practices: the unfeasibility of fear management through statistics and the anxiety of practitioners of community policing strategy shows the need for a new epistemology for public safety. The perspective of strategy as a social practice reflects about the current emphasis on managerialism, seen as a solution to public security problems, and opens possibilities for future research in the field of public safety and community policing.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal de Uberlândiapt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectAdministraçãopt_BR
dc.subjectSegurança públicapt_BR
dc.subjectPolícia - Administraçãopt_BR
dc.subjectPolícia - Atividades politicaspt_BR
dc.subjectEstratégia-como-Práticapt_BR
dc.subjectPolícia Comunitáriapt_BR
dc.subjectStrategy-as-Practicept_BR
dc.subjectPublic Securitypt_BR
dc.subjectCommunity Policept_BR
dc.titlePráticas estratégicas em segurança pública: a tensão relacional micro-macro no policiamento comunitário de uma Unidade da Polícia Militar de Minas Geraispt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.contributor.advisor1Borges, Jacquelaine Florindo-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4756411Z8pt_BR
dc.contributor.referee1Barros, Sulivan Charles-
dc.contributor.referee1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4706969P6pt_BR
dc.contributor.referee2Bueno, Janaína Maria-
dc.contributor.referee2Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4776852T4pt_BR
dc.contributor.referee3Domingues, Carlos Roberto-
dc.contributor.referee3Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4739545E9pt_BR
dc.creator.Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4366004A1pt_BR
dc.description.degreenameDissertação (Mestrado)pt_BR
dc.description.resumoO grave e complexo cenário da segurança pública no Brasil dá origem a debates e propostas que avaliem os papéis da Polícia Militar e das práticas da Polícia Comunitária. As organizações policiais que praticam o policiamento comunitário buscam prevenir o crime por meio de um estreito relacionamento com a comunidade e de programas que promovem a sensação de segurança e minimizam o medo do crime, ganhando o apoio e o respeito da sociedade civil. O objetivo desta pesquisa é analisar as práticas estratégicas de Polícia Comunitária conduzidas por membros de uma Unidade Operacional da Polícia Militar de Minas Gerais, em Uberlândia. A questão de pesquisa é: como a tensão relacional micro e macro se apresenta nas práticas estratégicas de policiamento comunitário, em um contexto de segurança pública que busca a aproximação entre policiais e sociedade civil? A pesquisa foi fundamentada em uma perspectiva interpretativista da estratégia vista como uma prática social. O público pesquisado é composto por: (a) nível macro: Polícia Militar de Minas Gerais e o blog policial Abordagem Policial; (b) nível micro: policiais do 17° Batalhão que atuam cotidianamente com práticas de policiamento comunitário. Sob uma abordagem etnometodológica, foram aplicadas as seguintes técnicas de coleta de dados: pesquisa documental de leis e regulamentos sobre a atuação policial no Brasil e em Minas Gerais; pesquisa em blog policial; entrevistas com 26 policiais; observação participante (106 horas) das práticas de policiais e gestores que atuam no policiamento comunitário, com ênfase no programa Rede de Vizinhos Protegidos; e, observação participante em 32 grupos de WhatsApp de relacionamento virtual entre os policiais e os moradores participantes deste programa. Os resultados mostram que as práticas estratégicas de policiamento comunitário se caracterizam por uma tensão relacional micro-macro. O nível micro, imerso em particularidades locais e imediatas, busca traduzir cotidianamente as normas e regulamentações geradas pelo nível macro para orientar de modo geral e idealizado as micropráticas de policiamento comunitário. A pesquisa mostrou que as práticas de policiamento comunitário transitam entre os paradigmas preventivo e repressivo, e, entre os pressupostos da Polícia Comunitária e da Polícia Tradicional, ainda não superado. Os resultados mostram a existência dessas tensões por meio dos norteadores das práticas policiais, quais sejam: (a) imagem: a imagem dos policiais e da sociedade civil é fraturada e construída socialmente pelos militares; (b) interação: a interação da polícia com a sociedade civil é feita por meio da configuração comunitária que, na formação de outsiders, sob uma imagem fraturada, promove a militarização dos “cidadãos de bem” e a persecução criminal dos “bandidos”; (c) gestão: a gestão do medo por meio das estatísticas promove uma crise epistemológica, na qual, por meio do gerencialismo, lida com os índices criminais ao mesmo tempo em que busca tratar a sensação de segurança; (d) objetivos: a pluralidade dos objetivos do policiamento comunitário também provocam contradições entre o foco no incidente criminal e o foco no medo do crime; e, (e) resultados esperados da prática policial: a inviabilidade da gestão do medo por meio dos números e a ansiedade dos praticantes da estratégia de policiamento comunitário mostram a necessidade de uma nova epistemologia para a segurança pública. A perspectiva da estratégia como uma prática social questiona a atual ênfase no gerencialismo, visto como solução para os problemas de segurança pública, e abre caminhos para futuras pesquisas no campo da segurança pública e do policiamento comunitário.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Administraçãopt_BR
dc.sizeorduration325pt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAOpt_BR
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Administração

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PraticasEstrategicasSeguranca.pdfDissertação27.37 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.