Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/15564
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorMendes, Gigliola
dc.date.accessioned2016-06-22T18:42:47Z-
dc.date.available2013-06-17
dc.date.available2016-06-22T18:42:47Z-
dc.date.issued2013-03-08
dc.identifier.citationMENDES, Gigliola. Em que espelho ficou perdida a minha face? : uma análise da condição da mulher nas Obras do cárcere de Antonio Gramsci. 2013. 133 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2013.por
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufu.br/handle/123456789/15564-
dc.description.abstractThis research aims to discuss the woman condition on the capitalist system which has the patriarchal model of society as one of his foundations as well as analyzing how this question is bonded to the fight for society s transformation. Therefore, the reflection proposes to situate the woman question inside the context of the class struggle, opting for analyzing, not in the perspective of the feminist conceptions, but of the Philosophy of Praxis of Antonio Gramsci. This option is justified considering that the philosopher, despite of his ambiguous thought regarding the woman condition, introduces in his Prison Works a relevant reflection concerning the theme. Such reflection points the origins of the peculiar feminine subalternity, which prolongs itself in the capitalism, and the necessity of forming a new feminine personality as a part of the intellectual and moral reform constructed by organic intellectuals of the working class , with the purpose of overcoming the burgess hegemony, in order to build one nuova civiltà. Therefore, we will look forward to investigate this philosopher s demand for the development of a new feminine personality, in order to comprehend if, by his categories, it is possible to think about the emancipation and the liberation of the women in the context of capitalism or if it is anticipated a limited role for woman on this process, which she would simply had to adequate herself to the claims of the working class, submitting again herself to a pedagogic relation with men, without having an action room to overcome the peculiar obstacles for his gender in search of her autonomy.eng
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Uberlândiapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectMulherpor
dc.subjectCapitalismopor
dc.subjectFilosofia da práxispor
dc.subjectSubalternidadepor
dc.subjectPersonalidadepor
dc.subjectWomaneng
dc.subjectCapitalismeng
dc.subjectPraxis philosophyeng
dc.subjectSubalternityeng
dc.subjectPersonalityeng
dc.subjectGramsci, Antonio, 1891-1937 - Crítica e interpretaçãopor
dc.subjectMulher (Filosofia)por
dc.subjectPráxis (Filosofia)por
dc.title Em que espelho ficou perdida a minha face? : uma análise da condição da mulher nas Obras do cárcere de Antonio Gramscipor
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Said, Ana Maria
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4778597D6por
dc.contributor.referee1Graciolli, Edilson José
dc.contributor.referee1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4784406U3por
dc.contributor.referee2Semeraro, Giovanni
dc.contributor.referee2Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4795601J1por
dc.creator.Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4733547A4por
dc.description.degreenameMestre em Filosofiapor
dc.description.resumoEsta pesquisa busca discutir a condição da mulher no sistema capitalista que tem o modelo patriarcal de sociedade como um de seus alicerces e analisar como esta questão se vincula à luta pela transformação da sociedade. Por isso, a reflexão propõe situar a questão da mulher no contexto das lutas de classes, optando por analisá-la, não na perspectiva das concepções feministas, mas da filosofia da práxis de Antonio Gramsci. Essa opção se justifica porque o filósofo, a despeito de seu pensamento ambíguo em relação à condição feminina, apresenta nas Obras do cárcere uma reflexão relevante sobre o tema. Tal reflexão aponta a origem da peculiar subalternidade feminina, que se perpetua no capitalismo, e a necessidade de se formar uma nova personalidade feminina como parte da reforma intelectual e moral realizada pelos intelectuais orgânicos da classe trabalhadora , com o objetivo de superar a hegemonia burguesa, para se construir uma nuova civiltà. Dessa forma, buscar-se-á investigar essa demanda do filósofo pela formação de uma nova personalidade feminina, para compreender se, por meio de suas categorias, é possível pensar na emancipação e na libertação da mulher no contexto do capitalismo, ou se é prevista uma função limitada para a mulher neste processo, em que ela teria simplesmente que se adequar às reivindicações da classe trabalhadora, submetendo-se novamente a uma relação pedagógica com o homem, sem ter espaço de ação para superar os obstáculos peculiares ao seu sexo em busca de sua autonomia.por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Filosofiapor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS HUMANAS::FILOSOFIApor
dc.publisher.departmentCiências Humanaspor
dc.publisher.initialsUFUpor
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO - Filosofia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Gigliola Mendes.pdf774.4 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.